quarta-feira, 6 de maio de 2009

Exames de rotina evitam surpresas depois dos 40 anos

Especialista indica os principais exames utilizados na prevenção de doenças do coração, pulmão, próstata, aneurismas ou mesmo alergias

Antes mesmo de completar 40 anos, alguns homens são surpreendidos por sérios problemas de saúde. São enfartos, aneurismas, ou mesmo câncer de próstata – episódios que poderiam ser evitados ou tratados com mais sucesso se diagnosticados precocemente.

“O check up masculino aos 40 é indicado a todos que desejam conhecer melhor os novos limites do seu corpo – que é bastante diferente de quando estavam com 20 anos –, evitar complicações de doenças que podem ser tratadas a tempo e, principalmente, servir de base à mudança de hábitos que se faz necessária nessa nova etapa da vida”, diz o doutor Marcelo Secaf, radiologista da URP Diagnósticos Médicos.

Secaf diz que muitas empresas começam a exigir que seus principais executivos passem por um check up, com a finalidade de prevenir um afastamento imprevisto. O especialista indica os principais exames e sua finalidade:

§ Eletrocardiograma, ecocardiograma e teste ergométrico – para checar a performance do coração;

§ Raio-X do tórax (fumantes devem passar por uma tomografia computadorizada do tórax) – para verificar as condições dos pulmões;

§ Ultra-som do abdome (fígado, baço, pâncreas, vesícula e rins) – para detectar eventuais alterações desconhecidas;

§ Ultra-som da pelve (bexiga e próstata) – para verificar se há aumento da próstata. Como um em cada seis homens desenvolverá câncer de próstata, quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maiores as chances de o tratamento ser bem-sucedido;

§ Ressonância magnética do crânio – para investigar malformações vasculares, aneurismas ou trombose de seios venosos;

§ Tomografia dos seios da face – para checar a existência de sinusite;

§ Ultra-som das carótidas – para investigar qualquer tipo de obstrução nas artérias que levam sangue do coração para o cérebro, prevenindo, assim, um derrame.


Fonte: Dr. Marcelo Secaf, médico radiologista da URP Diagnósticos Médicos (SP)