Seguidores

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Cigarro Eletrônico e Narguilé: novos vilões






A febre do narguilé, um cachimbo de água, é vista diariamente entre jovens reunidos para o consumo, que o consideram uma simples e inofensiva diversão. Entretanto, a dra. Irma salienta que esse ritual deixa o usuário prolongadamente exposto à nicotina, às substâncias cancerígenas do tabaco e ao monóxido de carbono, aumentando o risco para várias doenças.



"A água utilizada no narguilé filtra cerca de 5% das substâncias, isso sem falar que muitas vezes são adicionadas outras drogas ao tabaco, além da utilização de bebida destilada no lugar da água".



Deste modo, comparado ao cigarro, a exposição é muito maior. Uma roda pode durar até 2 horas, geralmente exalando fumaça em ambiente fechado. Fumantes de narguilé, ativos ou passivos, estão em risco para câncer, doença cardíaca, respiratória e efeitos adversos durante a gravidez.



Já o cigarro eletrônico é um cartucho descartável que parece um cigarro de verdade, com uma luz fazendo as vezes da brasa. O filtro, descartável, contém nicotina dissolvida em propilenoglicol, um líquido oleoso inodoro, sem sabor e incolor, conforme explica a dra. Irma.



Ele emite uma "fumaça" sem haver queima de qualquer substância e, a cada tragada, há liberação de certa quantidade de nicotina que pode alcançar os pulmões, chegando a oferecer até 300 tragadas contra as cerca de 15 de um cigarro comum. Suas características ainda não estão totalmente claras, mas como contém nicotina, pode ocasionar dependência e, assim, facilitar o início do fumo de cigarros.



Cabe ressaltar que as saídas alternativas de fumo fazem mal à saúde em proporções iguais ou maiores do que as causadas pelo cigarro. "Formas não convencionais do uso do tabaco são potenciais epidemias do próximo século. As pessoas começam consumindo um determinado tipo e vão passando para outros. Nenhuma forma do uso do tabaco é segura", alerta a especialista.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

QUALIDADE DO SONO PODE AFETAR RENDIMENTO ESCOLAR DA CRIANÇA

No início do segundo semestre escolar é comum que os pais adotem aulas de reforço para recuperar notas baixas de seus filhos, porém, é importante avaliar também a qualidade do sono da criança, fator determinante para o bom rendimento em sala de aula



Alguns distúrbios do sono são frequentes na criança, em especial a apnéia do sono, naquelas entre 3 e 7 anos de idade. Esse problema pode ser importante o suficiente para afetar o rendimento escolar da criança. Nessa época do ano, com o início do segundo semestre de aulas, é muito comum a preocupação com a recuperação das notas baixas. Alguns pais incluem os filhos em aulas de reforço para intensificar os estudos. Mas é preciso verificar a razão do problema, pois em alguns casos, a má qualidade do sono pode ser contribuir para o problema.



"As crianças que apresentam um baixo desenvolvimento escolar devem ser observadas pelos pais. Em alguns casos, o problema não tem a ver com a capacidade de aprendizado do aluno ou com a metodologia de ensino, mas com os maus hábitos e problemas relacionados à qualidade do sono", explica Rosana Alves, assessora médica em Polissonografia do Fleury Medicina e Saúde.



Apnéia (interrupção da respiração, frequentemente associada ao ronco), terror noturno (episódios de agitação intensa com movimentos bruscos, gritos e abertura dos olhos durante o sono) obesidade, irritabilidade e hiperatividade são fatores que interferem muito na qualidade do sono, principalmente do público infantil. "Hoje, o número de crianças obesas aumentou, o que gera um crescimento nos casos de distúrbio do sono, por exemplo. O problema de baixa estatura também é influenciado pela qualidade do sono, já que os distúrbios alteram a liberação do hormônio de crescimento, que ocorre normalmente durante o sono", diz a especialista.



Segundo ela, quanto mais cedo for diagnosticado o problema na criança, maior a eficácia no tratamento e menores serão suas conseqüências. Para apontar os problemas no sono, a polissonografia é um dos métodos mais eficazes - um exame que é feito durante a noite, com o paciente dormindo, e que registra diversas características do sono, como movimentos oculares, a oxigenação do sangue, alterações nas fases do sono e se ocorre a apnéia, por meio de recursos específicos para essas finalidades.



Atendimento domiciliar



Um dos diferenciais do Fleury Medicina e Saúde é a possibilidade da realização do exame na casa da criança.



"Um tratamento importante para os distúrbios do sono é a abordagem comportamental com mudanças nos hábitos da criança e, às vezes, na rotina da família. Somente nalgumas situações se faz necessário o uso de medicamentos. A criança precisa ter disciplina, como dormir cedo, não realizar atividades agitadas antes do sono e dormir em um ambiente tranqüilo. Pequenas mudanças podem ter grande impacto neste contexto" explica Rosana.



Dicas para avaliar a qualidade de sono da criança



- Verificar se a criança apresenta apnéia (muitas vezes percebida pela presença de ronco)

- Atentar se acorda muitas vezes à noite

- Acordar cansada ou com dor de cabeça são dicas de um sono de má qualidade

- Prestar atenção se o pequeno fica sonolento durante o dia ou, por outro lado, se é muito agitado ou irritado.

- Acompanhar o rendimento escolar da criança

TRISTE REALIDADE DOS DIAS ATUAIS

No link abaixo imagens chocantes mas terrivelmente reais.
Não dá para fechar os olhos.


http://docs.google.com/gview?a=v&pid=gmail&attid=0.1&thid=122cb375bf111842&mt=application/vnd.ms-powerpoint&pli=1

quarta-feira, 29 de julho de 2009

OMS conclui que câmara de bronzeamento provoca câncer

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u601870.shtml

da Folha Online

A Iarc (Agência Internacional para Pesquisa do Câncer), braço da OMS (Organização Mundial da Saúde) voltado para pesquisas da área oncológica, elevou o nível de alerta do bronzeamento artificial. Para a entidade, as cabines usadas no processo deixaram de ser "prováveis cancerígenas" para representar uma causa concreta de tumor de pele --a mesma relação entre o cigarro e o câncer, por exemplo.

A conclusão surgiu depois que um grupo de 20 especialistas concluiu que o risco de câncer de pele aumenta em cerca de 75% quando as pessoas começam a usar câmaras de bronzeamento antes dos 30 anos.

Os raios UVA emitidos pelas câmaras estimulam a produção de melanina (que dá a coloração mais escura da pele). É justamente essa radiação que está relacionada a um maior risco de melanoma, o tipo mais agressivo de câncer de pele.

As lâmpadas usadas nessas cabines são capazes de acelerar o envelhecimento da pele. O excesso de radiação, por sua vez, pode danificar o DNA das células. O melanoma surge quando uma dessas células danificadas se prolifera.

Desde 1992, os raios solares ultravioletas (A, B e C), do mesmo modo que os UVA artificiais de lâmpadas de bronzeamento, são classificados no nível 2 de perigo do Iarc. Com os novos estudos, essa radiação passa a ser de nível 1, que classifica produtos cancerígenos para o homem.

O organismo destaca ainda que "numerosos estudos mostraram uma ligação entre o bronzeamento artificial e o melanoma ocular". "Não somos uma agência reguladora; publicamos resultados científicos para que as agências de saúde nacionais possam tomar as decisões que julguem necessárias", explicou Vincent Cogliano, um dos pesquisadores da Iarc.

Segundo um estudo da Associação Alemã para a Prevenção Dermatológica, realizado no final de 2008, cerca de 14 milhões de alemães com entre 18 e 45 anos fazem bronzeamento artificial e um quarto deste total começou com entre 10 e 17 anos.

Georges Reuter, presidente do Sindicato Francês de Dermatologistas, disse que o "grande perigo é tentar manter o bronzeado durante todo o ano". Segundo Reuter, o limite de sessões de bronzeamento é de dez ao ano. "O outro perigo é a má manutenção das instalações", disse.

ROMANCE ESPÍRITA QUESTIONA O TEMPO

Em 2004, um cidadão comum se reconhece em uma foto tirada no século retrasado e inicia uma busca emocionante pelo seu passado desconhecido. Esse é o fio condutor do novo romance do escritor paulistano Fernando Costa Leite, "O Busto de Bronze de Tia Anita". Narrado na pequena cidade de Tremembé, no interior de São Paulo, em três tempos distintos, o livro encara o presente, o passado e o futuro apenas como tempos verbais.

Com uma linguagem moderna e coloquial, o autor constroi uma narrativa em que o leitor passeia pela Tremembé de 1658, de 1960 e de 2004, ano em que se passa a ação principal do livro. Em "O Busto de Bronze de Tia Anita", Fernando Costa Leite mistura ficção e realidade e mostra a seus leitores que o tempo não existe, é apenas uma brincadeira de Deus.

O espírita Fernando Costa Leite iniciou-se na Literatura em 1978, com o livro de contos "Futuro do Pretérito", que teve o prefácio escrito pelo poeta Carlos Drummond de Andrade. Mais de trinta anos depois, o autor mantém suas convicções e volta a ter o tempo como personagem principal de sua obra.



"O Busto de Bronze de Tia Anita" será lançado no dia 1º de Agosto, no Solar das Artes de Tremembé, e toda a renda obtida com a venda dos livros será destinada a conservação e restauro do Solar, instalado em um Casarão do século passado, também cenário do romance.





Serviço

Noite de autógrafos do lançamento de "O Busto de Bronze de Tia Anita", de Fernando Costa Leite

Data: 1º de agosto de 2009

Horário: a partir das 19h

Local: Solar das Artes - Casarão dos Gonçalves

Endereço: Praça Geraldo Costa, 58 B - Centro - Estância Turística de Tremembé

terça-feira, 28 de julho de 2009

EXAGERO EM ATIVIDADES FÍSICAS PODE CAUSAR QUEDA CAPILAR

O peso em excesso pode acelerar quedas de cabelos em pessoas predispostas à calvície genética, principalmente mulheres. Isto porque a gordura periférica corporal acaba sendo uma fonte de hormônios que causam queda capilar. Sendo assim, nos indivíduos obesos, sensíveis a estes hormônios, a queda pode aparecer.

O contrário pode ser verdadeiro, já que pessoas que praticam atividades físicas de forma intensa, por período de tempo prolongado e diariamente, podem sofrer alterações hormonais que também causam queda capilar genética na mesma proporção que os obesos. Isto por conta de alguns sistemas de proteção corporal que, para manter alguns equilíbrios metabólicos quando a porcentagem de gordura corporal fica muito abaixo do que é considerado normal, usam de outras formas para produzir os mesmos hormônios que levam à queda nos obesos, porém em maior quantidade.

Por isso, concluímos que tanto obesos quanto pessoas com baixíssimo percentual de massa gorda podem sofrer quedas capilares hormonais com maior frequência do que os indivíduos cujo índice de massa corporal está dentro dos padrões ideais.

Casos especiais de quedas capilares em atletas podem ocorrer, devido ao estresse corporal, pelo exagero de desgaste físico. Nestes casos, a queda hormonal de origem genética não é levada em consideração, apesar de ser também afetada pelo esforço excessivo, como já citado. Porém, como caso especial, o que devo salientar é que pessoas que não repõem seus nutrientes de forma correta após uma atividade física desgastante podem desencadear quedas por estresse físico. Isto é valido também para aqueles que, após exercícios extenuantes, não respeitam o tempo de recuperação de seus organismos.

Para evitar este tipo de problema, é fundamental a orientação de educadores físicos e nutricionistas comprometidos com o bem-estar de seus orientados. Não só por conta de tratar pessoas com excesso de peso, mas também para corrigir excessos físicos que poderão se mostrar primeiramente nos cabelos, porém que, no futuro, poderão se mostrar também em outras regiões do corpo e comprometer a saúde.

Dr. Ademir Jr. (CRM 92.693) é médico dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, da Sociedade Brasileira de Termalismo, e da Sociedade Brasileira de Medicina Estética. Presidente do Grupo de Assistência a Problemas Capilares - GAPCA e Presidente do Grupo de Apoio a Portadoras de Síndrome dos Ovários Policísticos - GAPSOP. Professor de Anatomia e Fisiologia da pele no curso de Pós-Graduação em Cosmetologia das Faculdades Oswaldo Cruz - SP/SP. Autor dos Livros: "Socorro, Estou ficando careca", publicado pela Editora MG em 2005, "Tem alguma coisa errada comigo - Como entender, diagnosticar e tratar a Síndrome dos ovários Policísticos", publicado pela Editora MG em 2004 e "É outono para meus cabelos - Histórias de mulheres que enfrentam a queda capilar" - Editado pela Editora Summus.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

LIVRETOS APÓIAM EDUCADORES A PROMOVER CONSUMO DE FRUTAS, LEGUMES E VERDURAS

Professores, merendeiras, gestores escolares e agentes de saúde tem novas ferramentas para promover a alimentação saudável e a prevenção da obesidade, hipertensão e diabetes principalmente entre crianças e adolescentes. Livretos, produzidos pelos parceiros do projeto FLV, que é coordenado pela Embrapa Agroindústria de Alimentos (Rio de Janeiro-RJ), estão disponíveis gratuitamente na internet (http://www.ctaa.embrapa.br/produtos/pub-download.php) .

As publicações fazem parte do projeto "Construção de uma estratégia de intervenção em nível local para a promoção do consumo de frutas, legumes e verduras (FLV)". De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), um adulto deve ingerir, no mínimo, 400 gramas de frutas, legumes e verduras por dia. A presença desses alimentos protege o organismo contra as deficiências de vitaminas e minerais, aumenta a resistência às infecções; melhora a disposição, evita o consumo de alimentos ricos em açúcar e gorduras e ajuda a prevenir doenças crônicas graças à presença de compostos bioativos. No Brasil, a população consome apenas 1/3 da quantidade recomendada pela OMS.

"Um dos principais fatores do baixo consumo é o hábito alimentar. E isso preocupa ainda mais quando vemos crianças com excesso de peso e pressão alta, situações que abrem caminho para a instalação de doenças crônicas", explica a pesquisadora Virgínia Matta, da Embrapa Agroindústria de Alimentos, líder do Projeto FLV.

No livreto dirigido aos professores (Promover o consumo de frutas, legumes e verduras - Escolas e Creches), há sugestões de atividades para colocar o tema em discussão como explorar a influência dos sentidos na alimentação; estimular o aluno a trazer uma fruta que nunca tenha comido para prová-la na companhia de amigos na sala de aula e assim descobrir novos sabores; visitar uma feira livre e explorar cores, formas, tamanhos, nomes e classificação dos alimentos; ou então, com a ajuda de pais e avós montar um livro de receitas saudáveis com FLV.

O livreto destinado aos agentes de saúde (Estratégia de Saúde da Família) incentiva, por exemplo, o consumo de sopas no dia-a-dia, substituindo parte da batata, do inhame e do aipim por legumes e verduras como chuchu, couve, abobrinha e cenoura. Assim, a refeição fica mais nutritiva e menos calórica. Outra dica é substituir o sal e os temperos prontos e gordurosos por limão e ervas como cebolinha, manjericão, salsa e orégano. Para ter noção de quantidade, o livreto compara porção com colheres de sopa, fatias e unidades para frutas, legumes e verduras.

A terceira publicação destina-se a gestores escolares (Programa de Alimenmtação Escolar) e traz exemplos concretos de iniciativas eficazes para ilustrar as propostas de ação. Por fim, um folder (12 pasos para uma alimentação saudável) apresenta uma síntese de atitudes que colaboram para a melhoria da qualidade de vida.

Na Zona Oeste do Rio, nos bairros de Campo Grande, Guaratiba, Santa Cruz, Paciência e Antares, os livretos reforçarão as oficinas já feitas com professores, merendeiros e agentes de saúde e darão subsídios para novas atividades como feiras, cursos e palestras. As publicações são uma realização do Instituto de Nutrição Annes Dias/Secretaria Municipal de Saúde, Embrapa Agroindústria de Alimentos, Instituto de Nutrição/Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Instituto Nacional do Câncer, Fundação Xuxa Meneghel, Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa e Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. A iniciativa tem o apoio da Faperj, Associação de Nutrição do Estado do Rio de Janeiro, Universidade Federal Fluminense, Conselho Regional de Nutricionistas, Centro Universitário Metodista Bennet e Secretaria de Estado de Saúde e Devesa Civil.

Para mais Informações:
Embrapa Agroindústria de Alimentos
Av. das Américas, 29501 - Guaratiba - RJ - cep 23020 470
projetoflv@gmail.com

SP COMEÇA CONTAGEM REGRESSIVA PARA INÍCIO DA LEI ANTIFUMO

Ampulhetas gigantes registram tempo restante para implantação da regra na capital e interior

A contagem regressiva para o Estado de São Paulo respirar novos ares já começou. Quem passou nesta segunda-feira, 27, por pontos centrais das cidades de São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto e Santos foi surpreendido por uma ampulheta gigante. O equipamento registra quanto tempo falta para que o fumo seja terminantemente proibido em ambientes fechados de uso coletivo em todo o Estado.

As ampulhetas têm três metros de altura e foram instaladas na noite deste domingo em pontos de grande visibilidade em quatro cidades paulistas. Na capital, o contador foi instalado na Praça Oswaldo Cruz, no início da Avenida Paulista. Em Campinas, ela está no Largo do Rosário, na esquina das avenidas Francisco Glicério e Campos Sales. Ribeirão Preto pode conferir a ampulheta na Praça Carlos Gomes, no centro da cidade. A última ampulheta foi instalada em Santos, na Praça das Bandeiras, na avenida Ana Costa.

A partir do dia 7 de agosto, fica proibido fumar em ambientes como bares, restaurantes, casas noturnas e outros estabelecimentos comerciais. Mesmo os fumódromos em ambientes de trabalho e as áreas reservadas para fumantes em restaurantes ficam proibidos. A nova legislação estabelece ambientes 100% livres do tabaco. A nova lei restringe, mas não proíbe o ato de fumar. O cigarro continua autorizado dentro das residências, das vias públicas e em áreas ao ar livre.

Endereços

Confira o endereço das ampulhetas gigantes instaladas pelo Governo do Estado que fazem a contagem para o início da aplicação da lei antifumo.

São Paulo

Praça Oswaldo Cruz, no início da Avenida Paulista.

Campinas

Largo do Rosário, na Av. Francisco Glicério com a Av. Campos Sales, no Centro.

Ribeirão Preto

Praça Carlos Gomes, no Centro.

Santos

Praça das Bandeiras, na Avenida Ana Costa.

Fotos e vídeo estarão disponíveis no Portal do Governo, em http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=203273

15% DAS CRIANÇAS BRASILEIRAS SÃO OBESAS

As mais recentes notícias sobre saúde não negam que existe um número crescente de crianças acima do peso ou obesas no país. Estatísticas divulgadas mostram que 15% das crianças no Brasil são obesas. A obesidade infantil pode ser fatal e é um mal que provoca, ainda na infância, problemas de coluna, nas articulações, fere a auto-estima e leva à rejeição social. Orientação inadequada? Alimentação incorreta? Qual será a melhor maneira de fazer com que a criança perca peso e mantenha-se dentro do padrão definido?

Em torno dos dois anos de idade é que se define o número de células gordurosas de uma pessoa adulta. Uma criança com excesso de peso possui maior número de células gordurosas que uma criança com peso normal e, na fase adulta, aquele que tiver um número maior de células gordurosas, terá maior dificuldade em se manter magro, pois essas células, por serem numerosas, deverão conter pouca gordura dentro delas. Já aquele que tiver um número menor de células gordurosas, mesmo que em alguma época da vida engorde, não será um indivíduo obeso, pois possui poucas células que armazenam gordura.

A gordura corporal muda ao longo do crescimento e a quantidade de gordura considerada normal difere entre meninos e meninas e são usadas tabelas específicas de peso, altura e IMC para definir quem está acima do peso. O pediatra é o médico que inicialmente deve reconhecer esse problema e encaminhar ao especialista.

Basicamente, a obesidade é atribuída a aspectos ambientais, genéticos e comportamentais. A nutrição irregular, isto é, a ingestão de alimentos contendo altos teores de gordura, é considerada o grande vilão causador da doença. Somada à falta de exercício físico, outro fator importante, já com a modernização tecnológica foram adquiridas facilidades antes inexistentes, tem-se multiplicado o número de pessoas com excesso de peso.

A tendência genética a engordar quando existem casos anteriores de obesidade na família, também é decisiva para o desenvolvimento da doença. Filhos de pais obesos possuem cinco vezes mais chances de desenvolver o problema do que os que possuem histórico familiar saudável. Além disso, problemas glandulares também podem ser associados, apesar de nem sempre estarem diretamente relacionados ao problema.

Considerada uma doença de alto risco, crônica e reincidente, a obesidade é, sem dúvida, preocupante e merece devida atenção. Pensando nos milhões de brasileiros que já sofrem com o excesso de peso nas proporções em que a doença vem se desencadeando, a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, ABESO desenvolveu a Campanha Nacional de Combate à Obesidade.

Focada na conscientização, a campanha tem como objetivo ressaltar os riscos da doença, promover estilos de vida mais saudáveis e enfatizar a importância do acompanhamento médico especializado, essencial em todas as etapas, desde a profilaxia até o tratamento.

CAMPANHA ALERTA JOVENS CONTRA PERDA DE AUDIÇÃO

Jovens podem perder audição com tanto barulho

Em Londres, a Fundação ''''Hear the World'''' (Ouça o Mundo) mostra famosos como Amy Winehouse em campanha contra perda de audição

Começou há poucos dias em Londres a exposição de fotos "Hear the World", parte da campanha contra a perda de audição que pode afetar a "geração Ipod", promovida pela Fundação que leva o mesmo nome. Para chamar a atenção de todos, o roqueiro - e fotógrafo - Bryan Adams clicou celebridades da música, como Mick Jagger, Dione Warwick, Plácido Domingo, Amy Winehouse e Michael Bublé. Nas fotos, eles exibem o característico gesto de levar as mãos aos ouvidos, de quem não escutou o que foi dito.

Os jovens em geral não ligam para conselhos, mas os especialistas alertam: o excesso de barulho pode levar à surdez. Permanecer pelo menos meia hora por dia em lugares muito barulhentos pode afetar, para sempre, a capacidade de ouvir.

Estudos recentes feitos na Inglaterra apontam que 20% dos britânicos serão afetados por problemas auditivos até 2015. Outra pesquisa, do England´s Royal National Institute of Deaf, mostra que três em cada quatro frequentadores assíduos de boates e danceterias correm o risco de perda permanente da audição. E o perigo está até nas academias de ginástica, onde professores colocam a música em alto volume para estimular seus alunos a malhar. Mas não é só em locais fechados. O risco também está nas ruas, nas micaretas e durante o Carnaval, por exemplo.

A perda de audição afeta 10% da população mundial. No Brasil, não há estatísticas oficiais, mas calcula-se que cerca de quinze milhões de pessoas têm deficiência auditiva e 350 mil não ouvem absolutamente nada. Os dados são alarmantes, mas ainda não houve nenhuma campanha governamental a respeito.

Segundo médicos e fonoaudiólogos, os que gostam de baladas devem tomar cuidado. Quando estiverem expostos a muito barulho, devem se afastar a cada duas horas para locais mais silenciosos e lá permanecer por, pelo menos, vinte minutos, como forma de evitar o risco de perda auditiva.

A fonoaudióloga Isabela Pereira Gomes, do Centro Auditivo Telex, explica que também existe outro jeito de auxiliar na prevenção da perda auditiva induzida por ruído. Ela recomenda o uso de protetores auriculares. "Eles reduzem o volume excessivo, mas quem usa não deixa de ouvir o som ambiente. São indicados principalmente para músicos, DJs, motociclistas e até dentistas".

Os protetores - ou atenuadores, como são chamados - comercializados pelo Centro Auditivo Telex são moldados de acordo com a anatomia do ouvido de cada pessoa. Existem dois modelos, o que diminui em 15 decibéis o barulho ambiente e outro que reduz em 25 decibéis.

Outro perigo para a audição são os MP3, os MP4 players e os celulares que tocam música. Usados com frequência pelos jovens, possuem earphones que, em contato direto com os ouvidos, podem fazer mal à saúde, se a música estiver sempre em volume alto.

Em várias profissões os trabalhadores também correm o risco de perda de audição, por causa do barulho excessivo durante a jornada de trabalho. São operadores de britadeiras, operadores de aúdio em estúdios e emissoras de rádio e funcionários de gráficas, entre outros. Não se deve ficar exposto a ruídos de 85 decibéis por mais de oito horas por dia. Isso corresponde ao barulho de um caminhão.

domingo, 26 de julho de 2009

"DIAGNÓSTICO DE CANCÊR É COMO UM ASSALTO", AFIRMA MÉDICO QUE JÁ TEVE A DOENÇA, EM CONFERÊNCIA INTERNACIONAL

"DIAGNÓSTICO DE CANCÊR É COMO UM ASSALTO", AFIRMA MÉDICO QUE JÁ TEVE A DOENÇA, EM CONFERÊNCIA INTERNACIONAL
Na manhã desta sexta-feira, dia 24, teve início, a VII Conferência Internacional de Onco-Hematologia, realizada na Fecomercio, em São Paulo (SP).



Merula Steagall, presidente de ABRALE (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia) destacou a importância do evento. "A conferência é uma oportunidade de troca e aprendizado. Queremos diminuir a burocracia, facilitar o acesso e o atendimento aos pacientes", afirmou.

A primeira palestra foi ministrada por Waldir Veiga Pereira, professor titular de Hematologia e Oncologia, Ex-Fellow St. Jude Children''s Research Hospital, membro da Academia Sul Riograndense e membro do Comitê Científico-Médico da ABRALE, com o tema: "O especialista e sua luta particular contra o câncer".

O professor contou que teve câncer duas vezes e relatou aos participantes, como foi para ele, um médico, lidar com esta situação. "O diagnóstico de câncer é como um assalto. É uma sensação ruim. A primeira reação de uma pessoa que constata que tem a doença é a negação. Depois vem a raiva e a revolta. A partir daí começa a fase de conversas com o médico para saber como vai ser feito o tratamento, seguido da aceitação", revela.

Waldir Veiga Pereira, disse que a etapa do diagnóstico é muito dolorosa. "Recebi o diagnóstico com serenidade. Tive a fase da adaptação. Depois vem a incerteza, o medo de deixar de existir, de morrer ou de se separar das pessoas que se ama. Hoje, com os recursos científicos já existentes e com aqueles que podem surgir, o índice de cura pode chegar a 90%", explica.

A VII Conferência Internacional de Onco-Hematologia está sendo transmitida pela Internet, pelo site: www.abrale.org.br. O público pode enviar perguntas que estão sendo respondidas pelos profissionais de saúde.

Hoje, dia 24, no período tarde, serão realizadas outras palestras que terminam às 18h30. Amanhã, dia 25, a conferência terá início às 8h, com término previsto para 18h.



ABRALE

A Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia é uma Organização Não-Governamental (ONG), sem fins lucrativos. Sua missão é divulgar informações e oferecer suporte a pacientes com onco-hematologias (linfoma, leucemia, mieloma múltiplo e mielodisplasia), mobilizando parceiros para que o melhor tratamento esteja disponível no Brasil. A associação oferece atendimentos psicológico e jurídico, além de programas educacionais gratuitamente. Informações podem ser obtidas no site www.abrale.org.br ou pelo telefone 0800 773 99 73

sábado, 25 de julho de 2009

CERCA DE 30% DOS OBESOS QUE PROCURAM TRATAMENTO PARA OBESIDADE APRESENTAM TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR PERÍODICA


Tão importante quanto a bulimia e a anorexia, pouco se fala do Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica (TCAP), que apresenta uma prevalência maior na população geral (3% a 5%) - quando comparados aos problemas citados acima, que ficam entre 1% e 05%, respectivamente - e atinge cerca de 30% das pessoas obesas que procuram tratamento para obesidade. Apesar de bastante freqüente nesse grupo, o TCAP também acomete indivíduos com peso considerado normal. "Até 1/3 dos pacientes relatam que tornam-se obesos após desenvolver o TCAP", afirma Sergio Carlos Stefano, psicólogo do Programa de Orientação aos Pacientes com Transtornos Alimentares (PROATA) da UNIFESP.

O TCAP acomete, de forma quase equivalente, ambos os sexos, numa proporção de três mulheres para dois homens, e manifesta-se mais tardiamente que a anorexia e a bulimia, entre os 20 e 30 anos. É definido, atualmente, por episódios recorrentes de ingestão, em curto espaço de tempo, de uma quantidade de alimentos definitivamente maior do que a maioria das pessoas consumiria num período e circunstâncias similares e com a sensação de perda de controle sobre o que ou quanto está comendo, seguido por um sentimento de culpa e angústia profundas. "Para se ter noção do tamanho do descontrole e da gravidade da situação, há casos de pessoas que já quebraram os dentes por comer comida até mesmo congelada", explica Stefano. "Em um único episódio de compulsão, que geralmente ocorre escondido, longe dos olhos alheios, a pessoa pode consumir mais de mil calorias".

Entretanto, de acordo com o psicólogo, a compulsão alimentar não está associada a comportamentos compensatórios inadequados como jejuns, exercícios excessivos e purgação, nem ocorre durante o curso de anorexia ou bulimia nervosa. "Pessoas que, eventualmente, passam longos períodos do dia sem se alimentar e depois assaltam a geladeira, não se enquadram na compulsão", diz. "O diagnóstico é feito pelo relato de dois ou mais episódios, por semana, do consumo descontrolado e excessivo de alimentos nos últimos seis meses, seguidos por marcado sofrimento que compromete sua qualidade de vida".



Mais depressão e complicações clínicas e metabólicas

Estudos também apontam que os indivíduos obesos com TCAP têm duas vezes mais chances de sofrerem problemas psiquiátricos, como depressão e ansiedade, e apresentarem uma imagem corporal mais negativa de si mesmo que àqueles que não apresentam compulsão. De acordo com esses estudos, além das implicações da obesidade para a saúde, -- maior risco de mortalidade decorrente da hipertensão arterial, dislipidemia, diabetes, doenças cardiovasculares, entre outros - e dos problemas psiquiátricos decorrentes, também são descritos discriminação no trabalho, menos oportunidades de emprego, dificuldades em chegar à universidade e menor número de amigos e relacionamentos amorosos.



Terapias e antidepressivos

De acordo com Sergio Stefano, as intervenções combinadas com psicoterapias e uso de antidepressivos parecem ser as mais eficazes no tratamento do TCAP. "Estabelecer hábitos saudáveis de alimentação e ajudar o indivíduo a evitar formas de hiperalimentação também são importantes para o sucesso do tratamento", afirma.



Stefano está desenvolvendo uma cartilha - a primeira no país - com informações detalhadas sobre o TCAP com o propósito de ser uma primeira intervenção entre o diagnóstico e a espera das consultas. "Ao invés de ficar esse tempo sem esclarecimento das prováveis dúvidas que possam aparecer, pretendemos que a cartilha ajude a implementar mudanças tanto no comportamento como na alimentação dos indivíduos com compulsão", explica o psicólogo.

Proteção aos animais, vídeo imperdível



Divulgamos aqui mais um vídeo que mostra a triste realidade do holocausto animal. Copiem aos seus contatos e unam-se a nós na proteção aos animais.
http://www.youtube.com/watch?v=jzdMHVlIvqA


Conheçam a REDEBICHOS que nasceu para unir amigos e protetores dos animais. Precisamos fazer a REDEBICHOS multiplicar muito seus participantes, e o mais importante precisamos fazer a REDEBICHOS ser mais atuante e conhecida.
Acesse o link abaixo e faça o seu cadastro na REDEBICHOS:

http://redebichos.ning.com



A REDE está repleta de tópicos sobre a defesa animal. Lá é um excelente local para divulgar blogs, comunidades e todo tipo de ação que possa contribuir na luta contra o holocausto animal.


sexta-feira, 24 de julho de 2009

BRASIL DEVE PRODUZIR VACINA CONTRA GRIPE A

As ações para prevenir e tratar os pacientes vítimas da Gripe A (H1N1) entraram no debate da entrevista concedida nesta quinta-feira (23) pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão, para âncoras de emissoras de rádio de todo País. Durante o programa Bom Dia Ministro, nos estúdios da EBC Serviços, Temporão reforçou que o Brasil receberá mais 800 mil tratamentos, que serão distribuídos aos estados e incorporados ao estoque de nove milhões de tratamentos disponíveis no momento. Leia abaixo os principais trechos.

Gripe A (H1N1)
"A Organização Mundial da Saúde (OMS) chama atenção de que, em epidemias anteriores, onde o vírus levava seis meses para se espalhar pelo mundo, nesse caso levou apenas seis semanas. É natural que isso traga dúvidas, interrogações, até porque a ciência, nesse momento, não pode responder a todas as perguntas. Ainda é muito cedo, tem muita gente competente no mundo inteiro estudando, se debruçando sobre o comportamento desse vírus. Agora, é preciso chamar a atenção de que todos os anos, todos os países e o Brasil, na época do inverno, enfrentam surtos da influenza sazonal, influenza comum. Essa que todos os anos o Ministério da Saúde faz a campanha de vacinação dos idosos. Nesse ano, por exemplo, vacinamos 18 milhões de idosos. No ano passado, em julho de 2008, 4.500 pessoas morreram, em um único mês, de complicações da gripe comum. Os documentos oficiais da OMS alertam que, embora seja uma nova doença, que traz questionamentos e insegurança, o comportamento dessa doença, na prática, tem semelhanças muito grandes com o da gripe comum. Seja do ponto de vista dos sinais, dos sintomas da letalidade, do tratamento e das medidas de prevenção. Infelizmente, estão acontecendo mortes, mas isso já era esperado pelas autoridades da mesma maneira que a gripe comum. Esse é um momento, onde a imprensa, a TV e os jornais têm grande responsabilidade de transmitir informação, esclarecimento, de orientação da população, para que não se crie um clima de insegurança, ou de medo, que não são bons conselheiros."

Grupos de risco
"Em geral, são crianças muito pequenas, idosos, mulheres grávidas, pessoas que têm principalmente doenças como hipertensão, diabetes, doenças pulmonares crônicas, bronquite, enfisema, asma. São também pacientes que têm a imunidade do organismo reduzida, como o câncer, por causa da quimioterapia, ou aqueles que fizeram transplante de órgãos e estão tomando medicamentos para evitar a rejeição. Doenças como artrite, artrose, osteoporose, em princípio, não se enquadrariam nessa categoria. Todo o quadro que implique redução da imunidade do organismo estaria incluído no quadro de risco, mas isso só pode ser feito através da realização de exames, que vão confirmar se há especificamente um quadro de redução de imunidade. A avaliação tem que ser sempre do médico assistente. É a partir daí que começamos a ministrar tratamento específico."

Vacina
"Não existe vacina, ainda.. O processo de produção de uma vacina demora entre quatro e seis meses, pelo menos. E primeiro: ela tem que ser testada em pessoas, porque podem surgir efeitos colaterais inesperados. Ela pode não proteger adequadamente. Então, temos que ter segurança total de que a nova vacina vai proteger e não causar mais complicações. Qual é a expectativa? Entre outubro e novembro, é provável que existam algumas vacinas sendo utilizadas pelos países do Hemisfério Norte, porque lá estará começando o inverno. Aqui, daqui a pouco chega o verão. Estamos em contato com todos os laboratórios, que estão trabalhando para ter uma vacina, fazendo pesquisa de preço e ofertas de doses. O Instituto Butantan, em São Paulo, que é o que produz a vacina da campanha do idoso todo o ano, tem capacidade industrial e tecnologia, será um dos laboratórios a produzir. O Brasil terá também essa vacina para proteger a população no ano que vem."

Ações de prevenção
"Estamos há 90 dias trabalhando, 24 horas por dia, orientando, esclarecendo. Se eu fizer uma contabilidade da quantidade de páginas impressas, minutos na TV e no Rádio, na Internet e orientação, discussão e debate, talvez seja uma das doenças mais discutidas dos últimos 50 anos no Brasil. Então o governo brasileiro, desde o primeiro momento, poucas horas depois de a OMS ter declarado pandemia, já estava reunido em Brasília, no grupo executivo interministerial. Já tínhamos uma estratégia de comunicação, que tinha sido elaborada na época da pandemia de gripe aviária, que não aconteceu. Criou-se um alarde fantástico no mundo inteiro e simplesmente o vírus desapareceu, não circulou mais. Mas a mesma estratégia foi importante porque nos permitiu estruturar uma rede de laboratórios, uma tática de vigilância que está presente em todos os estados. Equipar e preparar os hospitais, treinar centenas de médicos e profissionais de saúde, e ter uma estratégia de comunicação."

Tratamento da doença
"Já distribuímos dez mil tratamentos desde o início da doença. Só a partir do 80º dia é que declaramos que o vírus circulava livremente no Brasil, até então nós tínhamos um número pequeno de casos e um número muito pequeno de óbitos. E no começo, que eu chamo de fase um, foi o período de contenção de impedir que o vírus circulasse no Brasil e que obteve grande sucesso. Afinal de contas, durante 80 dias impedimos essa circulação, todos os doentes foram tratados. Então, na realidade, faltou essa informação ai. Esses 50 mil tratamentos são 50 mil que estamos distribuindo agora, porque já utilizamos dez mil tratamentos durante essa primeira etapa."

Sul e Sudeste
"Nossa grande preocupação nesse momento é evidentemente com a situação dos estados do Sul, onde as baixas temperaturas durante essa época do ano facilitam muito a propagação das doenças respiratórias, entre elas a dessa nova virose. Temos também São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina e Paraná. A situação nos estados da região Centro-Oeste, Nordeste e Norte é bastante distinta, até pelas especifidades climáticas que ajudam um pouco. Isso não quer dizer que a doença não possa se espalhar nessas regiões e contaminar um número grande de pessoas. A orientação do Ministério é sempre, bom senso e que todas as medidas sejam tomadas de acordo com as autoridades sanitárias locais"

Os perigos da automedicação
"O governo federal comprou em 2006 nove toneladas do princípio ativo (Tamiflu), que ficaram estocadas, e será transformado em produto final. Compramos essa matéria-prima do laboratório que detém a patente desse medicamento. Além disso, adquirimos uma série de medicamentos prontos. Em nenhum momento houve uma solicitação formal ou uma determinação do Ministério da Saúde de que o laboratório retirasse o produto das farmácias, isso não aconteceu. Entretanto do ponto de vista prático, imagino que há uma gigantesca demanda mundial por esse medicamento e o laboratório está tentando atender todos os pedidos. O remédio não se encontra hoje nas farmácias. Esse é um aspecto. O outro é que o fato de o medicamento não estar disponível nas farmácias é extremamente positivo. Numa situação como essa, mesmo que exigíssemos a prescrição por um médico, a cultura da automedicação é muito forte no Brasil. Teríamos pessoas tomando remédio sem indicação e talvez ficando gravemente doentes, por efeitos colaterais. E o mais grave é que quanto mais você coloca o vírus em contato com o medicamento, maior a probabilidade de que ele sofra uma mutação e apresente resistência ao remédio.

REMÉDIO NATURAL PARA A GRIPE, CHÁ DE SUCUPIRA TAMBÉM MELHORA ARTRITES E ARTROSES

Dra. Sylvana Braga*

No inverno, quando os dias frios deixam as pessoas mais susceptíveis a gripes e resfriados, os campeões em medicação são os anti-inflamatórios. Só que o que muitas pessoas não sabem é que eles provocam diversos efeitos colaterais. Uma boa alternativa é recorrer ao que a natureza nos oferece, como o chá de sucupira, planta típica das matas brasileiras, que, além de ser excelente para problemas de infecção de garganta, devido a sua ação antibiótica, atua nas articulações, melhorando as artrites e artrose.


O chá de sua semente também é indicado como antiviral, para a rouquidão, asma, infecções de ovário e útero, diabetes, excesso de ácido úrico e gastrites.

Sobre a planta:
Também chamada de bowdicha virgiloides, é uma árvore encontrada em diversos lugares do Brasil Minas Gerais, Mato Grosso, São Paulo, Tocantins , Goiás e Mato Grosso do Sul. Nas regiões de cerrado, mata atlântica, e da floresta semidecídua.
A floração se dá de agosto a setembro e sua flor é azul arroxeada, em sua árvore que mede de 15 a 16 metros e suas sementes são achatadas.

*Dra. Sylvana Braga (www.sylvanabraga.com.br) - Médica ortomolecular, nutrologista, reumatologista e fisiatra e autora do livro "Dieta ortomolecular - o segredo de rejuvenescer em total harmonia"

quinta-feira, 23 de julho de 2009

MÉDICO E MÉDIUM NAILTON JATOBÁ TENÓRIO LIDERA MOVIMENTO PELA MEDICINA INTEGRAL

Fundador do Lar Espírita André Luiz, em Barreiras-BA, Tenório psicografou recentemente o livro "Pelos Caminhos da Vida", cuja temática principal é a cura pela espiritualidade


O médico e médium Nailton Jatobá Tenório, autor do livro recém lançado Pelos Caminhos da Vida, com o Espírito Estevão, coordena na cidade de Barreiras, no cerrado baiano, um grupo de profissionais de várias disciplinas que buscam a cura pela Medicina Integral. Segundo ele, trata-se de uma forma de prática médica que busca associar o benefício do atendimento físico à conquista do trabalho espiritualizado.

Médico cirurgião, professor, fundador e presidente do Lar Espírita André Luiz, Tenório está capacitando médicos, dentistas, psicólogos e pessoal de administração que tenham em comum a crença na cura espiritual. Quer implantar um Ambulatório de Medicina Integral cujo modelo seja replicável em outros grupos. "A Medicina Integral busca reverter a tendência médica de se especializar e especificar demais. A medicina materialista conta com subespecialidades, o que torna o médico cada vez mais técnico. Queremos resgatar no profissional o sentimento de fazer o bem a um ser humano, sem tratá-lo como um órgão ou mesmo uma máquina", salienta.

Nessa nova forma de praticar medicina, Tenório pretende que os profissionais de saúde deixem de tratar 'a ponta do iceberg', ou seja, a doença, para tratar do homem como organismo biológico que sofre algum mal. "Além disso, na Medicina Integral expandimos o raio de ação exclusivamente material para tratar também do perispírito, que faz a interface entre corpo material e espírito. Nossa medicina trata do 'ser integral' e considera que as patologias transitam do físico para o espiritual e vice-versa. Queremos mostrar que o homem, com suas decisões e atitudes, pode acarretar doenças físicas que maculam o perispírito", relata.

O trabalho - Na primeira fase do grupo multidisciplinar que opera no Lar Espírita André Luiz, profissionais prestam serviços voluntários à comunidade. "Nesta etapa, estamos nivelando os conhecimentos de todos. Promovemos o atendimento formal, que começa com anamnese, exames físicos e complementares e respectivo diagnóstico, e trabalhamos os problemas espirituais de cada paciente. A ideia não é apenas tratar da doença", explica.

O médico cita como exemplo um distúrbio cada vez mais comum na modernidade, a depressão: "Ela é fruto do desgaste das relações e da sensação de solidão e ineficiência. Se considerada uma questão de relação do ser com o universo, devemos abrir as portas do espírito para trabalhar com as boas energias que podem emanar dele e do pensamento. Um tratamento com antidepressivos melhora o dia a dia da pessoa, mas não pode ser conduzido por toda a vida. Por isso é importante obter o equilíbrio de energias, que devolverá ao organismo suas defesas naturais, aos poucos dispensando os medicamentos".

Segundo Tenório, o ser humano tem facilidade de entrar no círculo vicioso de dor e sofrimento e é nisso que a Medicina Integral deve ajudar, física e espiritualmente. Ele salienta, porém, que isso só ocorre se a pessoa acreditar em si mesma e na possibilidade de renovação. "Nossos médicos e profissionais da saúde devidamente credenciados vão orientar também para o caminho espiritual do paciente. Depois desse treinamento e trabalho voluntário inicial, estará instalado o Ambulatório de Medicina Integral, que busca oferecer bem-estar físico e espiritual".

Pelos Caminhos da Vida, o novo romance espírita da Vivaluz Editora, é uma obra que tocará aqueles que acreditam que o homem é um ser completo, com o corpo e o espírito em harmonia. Psicografado pelo médico e médium Nailton Jatobá Tenório, o livro é de autoria do Espírito Estevão que, não por coincidência, escolheu o cirurgião para falar de um assunto que domina: a busca pela cura.

O livro conta a história de Francisco, um espírito que reencarna com a missão de levar ao mundo a cura física e espiritual por meio de seu trabalho como médico. Com pouca consciência de sua missão, o jovem estudante de Medicina envereda por caminhos que quase o fazem se perder, mas sua fé o faz voltar ao rumo certo. Ele, assim, enfrenta o descrédito por parte de colegas de profissão e até de pacientes, já que muitos não acreditam que diversas são as ocasiões em que as doenças físicas se manifestam por influência do espírito doente. Aos que se permitem ser curados pela intercessão espiritual, Francisco dá o apoio necessário e serve como elo entre os planos material e espiritual.

Serviço:

Obra: Pelos Caminhos da Vida
Autor: Nailton Jatobá Tenório / Espírito Estevão
Publicação: Vivaluz Editora
Número de páginas: 278
Preço de Capa: R$ 29,00
Formato: 14 x 21 cm



Sobre o Espírito Estevão e Nailton Jatobá Tenório

Nailton Jatobá Tenório é um alagoano de Maceió, nascido em 1964. É mestre em Cirurgia do Aparelho Digestivo pela Faculdade Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo, e leciona na Faculdade de São Francisco de Barreiras, na Bahia, onde reside desde 2002.

Teve seu primeiro contato com a mediunidade aos 14 anos de idade, quando viu um irmão desencarnado dentro de um carro que ocupava. Por conta das visões frequentes que passou a ter desde então, interessou-se pelo Espiritismo, participando de diversos grupos espíritas. Em 2003, juntamente com outros irmãos espíritas, fundou em Barreiras o Lar Espírita André Luiz, do qual é presidente.

Tenório recebe a orientação do grupo de espíritos responsáveis pela direção do Lar, como Anselmo, irmão Fraterno, Antonio César e Estevão, que o convidou a psicografar. Já está em andamento o próximo livro e lançou, também, o CD Canta Paz, álbum Anjo de Luz, com letras e músicas enviadas por intermédio de irmãos espirituais.

Os direitos autorais da obra Pelos Caminhos da Vida foram doados pelo médium e autor espiritual ao Lar Espírita André Luiz, de Barreiras.

Sobre a Vivaluz Editora

A Vivaluz Editora tem como vocação divulgar, por meio de suas obras, a Doutrina Espírita - a fim de que se torne, cada vez mais, conhecida e compreendida por todas as pessoas, especialmente por aquelas que estão em busca de esperança e esclarecimentos diante dos enigmas da existência terrena. Parte da renda obtida com as vendas gera recursos para apoiar obras assistenciais como, por exemplo, o Grupo Cristão Assistencial Casa do Pão, instalado na cidade paulista de Atibaia. O conteúdo dos livros editados pela Vivaluz Editora são analisados e avaliados por um conselho doutrinário.

CUIDADOS NO PREPARO DOS ALIMENTOS SÃO FUNDAMENTAIS PARA EVITAR A CONTAMINAÇÃO POR SALMONELLA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA aprovou recentemente uma norma que torna obrigatório nos rótulos dos ovos comercializados em todo país a menção das seguintes advertências: "O consumo deste alimento cru ou mal cozido pode causar danos à saúde" e "Manter os ovos preferencialmente refrigerados". A medida visa prevenir a contaminação por Salmonella, bactéria presente em alimentos de origem animal, principalmente no ovo e na carne de frango, e responsável por causar intoxicações alimentares.
Segundo estudo do Ministério da Saúde, o ovo é o principal envolvido em surtos de doenças transmitidas por alimentos no país referentes à Salmonella. Entre 1999 e 2007, o consumo de ovos crus ou mal cozidos foi responsável por 22,6% dos 5.699 casos desse tipo de doença notificados ao Ministério da Saúde. O estudo demonstra ainda que as residências são os locais com maior ocorrência desses surtos, com 48,5% do total, seguidas de restaurantes (18,8%) e escolas (11,6%).

Utensílios de cozinha contribuem no processo de contaminação

A Salmonella é comumente encontrada na casca e no interior do ovo cru, por isso a orientação é que ele seja consumido cozido ou frito (com a gema dura), de modo que a bactéria possa ser eliminada com a exposição à alta temperatura. Porém o ovo não é o único hospedeiro dessa bactéria, presente também no leite e nas carnes. Antes de ser consumido, o leite in natura deve ser fervido para que o perigo seja descartado (pelas normas da ANVISA, os industrializados devem passar por esse processo antes chegarem ao consumidor). Já com relação às carnes o cuidado deve ser ainda maior, pois existe o risco da chamada contaminação cruzada.

A contaminação cruzada ocorre basicamente quando a bactéria é transferida de um alimento contaminado para um alimento sadio. Essa contaminação se dá por meio de um utensílio, equipamento ou até mesmo pelas mãos, que podem ser infectados no momento de armazenar ou manipular um alimento contaminado. Por isso é preciso ter cuidado, principalmente ao fatiar os alimentos, procedimento que oferece maior perigo referente à contaminação cruzada. Isso porque as bactérias podem facilmente se alojar no cabo da faca ou prancha/ tábua de corte culinário. Assim, há nutricionistas que recomendam utilizar utensílios diferenciados para cada tipo de alimento, sendo um para carnes que serão cozidas e outro para legumes e hortaliças, visando evitar que bactérias contaminem alimentos que serão ingeridos crus.

Atualmente, o mercado brasileiro dispõe de produtos que oferecem maior higiene e segurança para contato com alimentos. São produtos que possuem proteção antibacteriana incorporada durante a fabricação, que age continuamente inibindo a fixação e proliferação descontrolada de bactérias em sua superfície, tornando-os mais higiênicos. Desenvolvida pela Microban Products Company, empresa líder mundial em soluções antimicrobianas, essa tecnologia é incorporada na fabricação dos produtos e permanece ativa durante toda vida útil dos mesmos, pois não sai com lavagem, esfregação ou produtos de limpeza.. A proteção antibacteriana também torna esses produtos mais fáceis de limpar e ajuda a mantê-los com aspecto de novo por mais tempo, pois evita aquelas manchas e mau odor causados por microorganismos.

"Os utensílios usados na manipulação e no preparo de alimentos escondem ameaças invisíveis aos nossos olhos, pois os microorganismos multiplicam-se a todo instante e são levados para os alimentos pelas mãos, pelo ar ou até outros contatos. Por isso a tecnologia antimicrobiana atua como um importante complemento da higiene porém não substitui os procedimentos normais de limpeza", explica o diretor da Microban do Brasil, Toshiaki Ouchi. Ainda segundo Ouchi, como na prática não é possível lavar os utensílios e instalações adequadamente, cortes por facas, ranhuras, reentrâncias e arranhões nos utensílios acabam sendo depósitos de resíduos de alimentos e potenciais abrigos que favorecem o crescimento dos germes. "A tecnologia não vai acabar com todos os microorganismos, porém se houverem, estarão em menor quantidade, pois a superfície é ativa e combate as bactérias e fungos durante o uso dos utensílios ou instalações", complementa.

A proteção antimicrobiana Microban® tem sua eficácia atestada por laboratórios independentes no mundo todo, que comprovaram sua eficiência na inibição do crescimento de bactérias e fungos na superfície dos produtos. Também é aprovada para contato seguro com alimentos pelo SCF (Comitê Científico para Alimentos da União Européia), pela NSF (National Sanitation Foundation - EUA) e ingredientes aprovados pela FDA (Food and Drug Administration - EUA). No Brasil, pode ser encontrada em utensílios e equipamentos voltados tanto para a indústria alimentícia quanto para uso doméstico, disponível em alguns produtos das marcas Plasútil® (pranchas de corte e potes plásticos para culinária), Tramontina® (cabos de facas, tábuas de corte culinário e talheres infantis) e Soprano® (termopratos). Para a indústria, há diversos equipamentos como botas industriais em PVC (Italbotas®), laminados para revestimentos de caminhões e câmaras frigoríficas (Fibralit®), pisos industriais (Basf®), esteiras transportadoras de alimentos (Bumerangue®), botas industriais de couro e PU (Fujiwara®), entre outras marcas e aplicações ao redor do mundo.

Salmonella
A salmonelose é uma infecção alimentar causada pela bactéria Salmonella sp. Os sintomas comuns da doença incluem dores abdominais, diarréia, calafrios, náusea e vômito. A Salmonella, encontrada principalmente em alimentos de origem animal, como ovos, leite e carnes, é uma bactéria que representa sérios riscos à saúde. Esse microorganismo pode ser de vários tipos e espécies, responsáveis por quadros clínicos bem diferentes. A maioria dos surtos é causada especificamente pelo consumo de ovos ou maionese caseira contaminados, principais meios de veiculação da bactéria.

Dicas para evitar salmonelose
1. Lavar bem os utensílios e as mãos depois de manipular carne de aves e ovos crus;
2. Cozinhar bem os alimentos;
3. Evitar consumo de produtos preparados com ovos crus (exemplos: maionese caseira, gemada);
4. Não utilizar os mesmos utensílios para preparar alimentos crus e cozidos;
5. Guardar na geladeira os alimentos preparados no fogão, mesmo que ainda estejam quentes;
6. Proteger os alimentos do contato com animais como aves, insetos e roedores, que podem transmitir a bactéria.

Fonte: Ascom/Assessoria de Imprensa da Anvisa

EM 2025, CÂNCER PODERÁ SER A PRIMEIRA CAUSA DE MORTES NO BRASIL

Alguns estudos alertam: por volta de 2025 o câncer poderá liderar o ranking das principais causas de morte. "Não há ainda uma resposta exata para que a doença passe do segundo para o primeiro lugar, mas uma das hipóteses mais aceitas diz respeito às mudanças radicais no estilo de vida", afirma Dr. João Nunes, membro do corpo clínico do Cettro e preceptor da residência em oncologia do Hospital Universitário de Brasília (HUB).

Na capital federal, os dados mostram o crescimento da doença. Pesquisa realizada pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) indica que entre 1996 e 2006 houve aumento da ordem de 65% no número de mortes por câncer no Distrito Federal e Entorno. A cada quatro horas uma pessoa morre em decorrência da patologia. Os homens que vivem na região, por sua vez, morrem mais em decorrência dos cânceres de próstata e de pulmão.

"Como o câncer é uma doença degenerativa, quanto mais as pessoas envelhecem, maiores são as chances de desenvolver tumores", esclarece Dr. João. Nesse contexto, a adoção de hábitos saudáveis, que incluem alimentação balanceada, atividade física regular, cessação do tabagismo e consumo moderado de álcool são fatores decisivos para minimizar os riscos.

Os dados estatísticos poderiam ser diferentes se os brasileiros realizassem adequadamente o screening, ou seja, os exames de comprovada eficácia no rastreamento da doença em população assintomática. O oncologista destaca que em todo o País o diagnóstico do câncer é muito tardio. "Muitas pessoas ainda têm receio de ir ao médico justamente por medo do diagnóstico", conclui o oncologista. A detecção precoce pode ajudar a curar mais de 90% dos casos.

SÍNDROME DO PÂNICO PODE SER CURADA COM HIPNOTERAPIA

70% dos casos recebem alta entre a oitava e a vigésima sessão de tratamento

Aceita somente em 2001 pelo Conselho Federal de Psicologia para aplicação nos casos de distúrbios psicológicos, a Hipnoterapia tem se mostrado um método muito eficaz no tratamento de um dos males mais frequentes da atualidade: a Síndrome do Pânico. "Com o uso da Hipnoterapia, a ideia não é somente atenuar os acessos do Pânico, mas sim curá-los, sendo que cerca de 70% dos casos atendidos recebem alta entre a oitava e vigésima sessão", afirma o Dr. Bayard Galvão, psicólogo clínico e presidente dos institutos Milton H. Erickson de São Paulo e de Hipnoterapia Educativa.

Segundo explica o especialista, o processo de pânico é dividido em duas fases: (a) o acúmulo de ansiedades gerando intensos sintomas, como falta de ar e dores no peito, confundidas comumente com problemas cardíacos, muitas vezes levando a pessoa ao hospital; e (b) o medo de reviver as mesmas sensações. "É como geralmente se define a Síndrome de Pânico, o 'medo de ter medo', podendo ser agravado pelo medo da morte ou da perda de controle, gerada pela ansiedade excessiva", explica.

Entre as comuns causas de sofrimentos que levam pacientes aos consultórios com sintomas de Síndrome do Pânico, no caso do Dr. Bayard Galvão, são dificuldades financeiras, aumento da insegurança em relacionamentos afetivos e pressões diretas ou indiretas no trabalho, além de outras exigências da sociedade contemporânea. "Existe uma expectativa-exigência de se possuir um corpo magro e jovial, ser um pai/mãe que conversa, orienta, entende, dialoga e é paciencioso, além de não bastar ter apenas uma faculdade: a sociedade cobra pós-graduações e fluência em outra língua", explica Bayard, que ressalta ainda a diminuição da segurança emocional, afetiva e moral - antes ditadas pela religião, cada vez mais enfraquecida - entre outras causas. "Há também o aumento da competição, da solidão, da insegurança frente o significado da vida e o excesso de expectativa sobre si e os outros", afirma.

Tratamento e cura
Para Bayard, embora os problemas iniciais que conduziram às crises iniciais de ansiedade sejam resolvidos, a Síndrome do Pânico pode continuar, retroalimentados por outras situações como o "medo de ter medo" ou perda de controle. E é no tratamento das causas que é introduzida a Hipnoterapia. "A hipnose pode ser aplicada em todas as causas do sofrimento. Como exemplo, trabalhar o medo da morte pode ser o suficiente para curar a Síndrome", diz Bayard. "As reflexões sobre as diferentes dores iniciais (problemas profissionais ou de relacionamento) e secundárias (medo de ter medo ou de morrer) durante o processo de psicoterapia seriam espalhadas pelo passado, através da hipermnésia (fenômeno da hipnose), e futuro, por meio da pseudo-orientação no futuro (idem), trazendo a cura para esse sofrimento", conclui.

Mais informações sobre Hipnoterapia: www.hipnoterapia.com.br

TENHA IDADE MAS NÃO SEJA VELHO

A idade média da população vem aumentando ano a ano, o que é uma maravilha. Por outro lado, a maioria das pessoas não está preparada para envelhecer. Muitos acham que serão eternamente jovens, que velhos serão sempre os outros e que a própria velhice nunca chegará. Acreditam ainda que no mercado sempre terá lugar para um profissional com idade.

A grande maioria trabalhou, e trabalhou muito, sem tempo nem condições para desenvolver qualquer tipo de "hobby", tampouco interesse em ter outras atividades, além das obrigações profissionais. Os que ainda não são viúvos acabam vendo as esposas somente como companhia, se esquecendo do prazer do amor, do sexo, de fazer as coisas juntas e por ai afora. Os que já são viúvos tentam jogar a responsabilidade da solidão nos ombros dos filhos que, por sua vez, se sentem culpados diante da falta de tempo e da presença mais constante em razão da complexidade que a vida moderna exige.

Dezoito dicas para melhorar a qualidade da sua velhice:

1ª - Poupe um pouco para sempre ser independente financeiramente. Não precisa ser muito, não comprometa o prazer que o dinheiro pode lhe dar em razão de um tempo maior de velhice, que pode até não acontecer se você morrer breve. Além disso, um idoso não consome muito, além do plano de saúde e dos remédios. Provavelmente, você já tem tudo e mais coisas só lhe darão trabalho. Pare também de se preocupar com a situação financeira de filhos e netos, não se sinta culpado em gastar consigo mesmo o que é seu de direito. Provavelmente você já lhes ofereceu o que foi possível na infância e juventude, assim como uma boa educação. Portanto, a responsabilidade agora é deles. Não seja arrimo de família, seja um pouco egoísta, mas não usurário.

2ª - Tenha uma vida saudável, sem grandes esforços físicos. Faça ginástica moderada, alimente-se bem, mas sem exagero. Tenha a sua própria condução até quando não houver perigo, principalmente para os outros. Seja responsável.

3ª - Nada de estresse por pouca coisa. Na vida tudo passa, sejam os bons momentos que devem ser curtidos, sejam os ruins que devem ser rapidamente esquecidos.

4ª - Não fume nunca, beba bem e moderadamente, não use drogas jamais.

5ª - Procure sempre ter amigos mais jovens, pois eles serão a garantia de companhia, atualização e presença no seu velório.

6ª - Faça sexo sempre, independente da idade, os novos remédios estão aí para resolver as inseguranças - e resolvem. Mas se você estiver sem uma relação estável nunca se esqueça de se precaver das doenças e de uma provável paternidade. Chaplin foi pai com quase 90 anos. As "maria-chuteiras" estão por ai e, um idoso, mesmo da classe média, é sempre uma garantia de futuro para as espertalhonas. Jamais se esqueça da camisinha, basta só uma, pois a segunda dificilmente será usada na mesma ocasião.

7ª - Esteja sempre limpo, um banho diário pelo menos, troque de roupa todos os dias, seja vaidoso, frequente barbeiro, pedicuro, manicure, dermatologista, dentista, use perfumes e cremes com moderação e por que não uma plástica? Só tenha cuidado para não virar um Michael Jackson. Peruca nem pensar, nunca, jamais, em momento algum. Já que você não é mais bonito, seja pelo menos bem cuidado. Nada de roupa senhoril, mas lembre-se que você também não é mais um "boyzinho". Nada de ser muito moderno, tente ser eterno.

8ª - Esqueça as tristezas do passado, lembre-se apenas dos bons momentos, cultive a alegria e o bom humor. Não leia, não veja e não se interesse por aquilo que possa lhe deprimir.

9ª - Leia livros e jornais, ouça rádio, veja bons programas na TV, acesse a internet, mande e responda e-mails, ligue para os amigos. Mantenha-se sempre atualizado sobre tudo.

10ª - Respeite a opinião dos jovens, eles podem até estar errados, mas devem ser respeitados. Não use jamais a expressão "no meu tempo", pois o seu tempo é hoje. Adote a expressão latina "carpe diem", ou seja, "aproveite o momento".

11ª - Seja o dono da sua casa por mais simples que ela possa ser, pelo menos lá você é quem manda. Não caia na besteira de morar com filhos, netos, ou seja lá o que for. Não seja hóspede, só tome esta decisão quando não der mais e o fim estiver bem próximo. Uma boa idéia é convidar um ou mais amigos bem-humorados para morarem juntos, como uma comunidade dos tempos "hippies". Só que agora o conforto é imprescindível, cada um com o seu quarto e seu banheiro. Você está no período do ronco e da flatulência. Essa solução pode até ser bem econômica, pois vocês poderão dividir a empregada e outras despesas, fora a companhia. Um bom asilo também não deve ser descartado e pode até ser bem divertido, e você irá conviver com a turma da sua geração e não dará trabalho a ninguém.

12ª - Cultive um "hobby", seja caminhar, cozinhar, dançar, criar gato, cachorro, cuidar de plantas, joqar baralho, golfe, velejar ou colecionar algo. Faça o que gosta e os seus recursos permitam.

13ª - Vá ao teatro, restaurantes, bailes, cinema, exposições, seja lá quais forem, afinal você pagará meia-entrada e a condução pode até sair de graça. Viaje sempre que possível, de preferência vá de excursão, pois além de mais acessível, pode ser financiada e é uma ótima oportunidade para se conhecer novas pessoas. Aceite todos os convites de batizado, formatura, casamento, missa de sétimo dia, o importante é sair de casa.

14ª - Fale pouco e ouça mais, a sua vida e o seu passado só interessam a você mesmo. Se alguém lhe perguntar sobre esses assuntos, seja sucinto e procure falar coisas boas e engraçadas. Jamais se lamente de algo.

15ª - Fale baixo, seja gentil e educado, não critique nada, aceite a situação como ela é. As dores e as doenças estarão sempre presentes; não as torne mais problemáticas do que são falando sobre elas. Tente sublimá-las, afinal, elas afetam somente você e são problemas seu e dos seus médicos.

16ª - Seja membro de um clube, uma associação, uma ONG. Defenda alguma idéia, colabore com entidades dos seus iguais, seja o seu sindicato ou um asilo, abrace uma causa e tenha participação ativa.

17ª - Não fique carola, se apegando em demasia à religião, rezando e implorando o tempo todo como um fanático. Tenho certeza que seus pecados são poucos e Deus é amor e, não, castigo. O bom é que, em breve, seus pedidos poderão ser feitos pessoalmente a ele.

18ª - Ria, ria muito, ria de tudo, você é um felizardo, você teve uma vida, uma vida longa, e a morte será somente uma nova etapa incerta, assim como foi incerta toda a sua vida.

* Nicolau Amaral é empresário da área de Comunicação.

PREVISÃO DE FRIO INTENSO AUMENTA PREOCUPAÇÃO COM GRIPE SUÍNA

Massa de ar polar é a mais intensa dos dois últimos anos no Sul do País


A previsão para os próximos dias é de temperaturas muitos baixas, especialmente no Sul do País, onde as mínimas ficam abaixo de zero. Por conta do frio intenso, aumenta a preocupação das autoridades de saúde com relação a gripe suína - como é chamada a gripe A (H1N1), já que as pessoas acabam procurando locais fechados, o que aumenta o risco de contaminação.

Segundo os meteorologistas da Somar, essa massa de ar polar é a mais intensa dos dois últimos anos na Região Sul e, nos próximos dias, deverá provocar temperaturas de até 6 graus negativos na Serra Geral (especialmente Santa Catarina), além de parte do Planalto catarinense. A cidade gaúcha de Uruguaiana, na fronteira oeste com a Argentina, que nesta semana decretou estado de emergência por conta das contaminações da gripe A, também irá registrar temperaturas negativas e formação de geadas.

A gripe suína é uma doença respiratória aguda, causada pelo vírus A (H1N1). Este novo subtipo do vírus da influenza é transmitido de pessoa a pessoa principalmente por meio da tosse ou espirro e de contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas. "Por isso, as pessoas devem evitar locais fechados e com aglomeração", recomenda David Uip, infectologista e diretor do Hospital Emílio Ribas, em São Paulo.

Para evitar a doença, alguns cuidados básicos de higiene podem ser tomados, como: lavar bem as mãos com água e sabão. "Também é importante cobrir a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar, e ter atenção redobrada em ambientes públicos, como metrô, por exemplo", afirma Uip. Além disso, as pessoas não devem compartilhar copos, pratos e talheres.

OS BENEFÍCIOS DO CHÁ VERMELHO

O chá é uma das bebidas mais populares do mundo. Esta cultura existe por diversas razões, entre elas, os benefícios que traz à saúde e suas importantes propriedades fisiológicas, dada pela presença de substâncias como flavonóides. Assim como os chás preto, verde e branco, o tipo vermelho também é proveniente da planta Caméllia Sinensis. A diferença está na forma de colheita e preparo:

para o chá branco, utilizam-se os brotos e flores da planta (os primeiros a serem colhidos);
para o verde, são aproveitadas as folhas mais maduras;
para o preto, as folhas inteiras, porém, de baixa qualidade, que acabam nos saquinhos de chá e são processados por máquinas;
no chá vermelho, a erva é armazenada em barris para o processo de fermentação e secagem. São necessários três anos para realizar todo o processo e comercializar o produto. Este tipo de chá recebe seu nome devido à cor avermelhada do líquido, depois que a bebida está pronta para o consumo.

A bebida é rica em taninos - substância com atividade antioxidante, que atua contra radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce e protegendo o organismo contra o câncer - cafeína (capaz de acelerar o metabolismo), vitaminas (vitamina C age contra o envelhecimento celular, B1 aumenta a disposição mental, B2 auxilia na cicatrização e K é importante para a coagulação normal do sangue), e sais minerais, essenciais para o bom funcionamento do metabolismo.

Outro benefício do chá vermelho é que reduz o colesterol ruim (LDL), devido à presença de catequinas, que diminuem o risco de doenças cardiovasculares.

Essa erva pode ser ingerida como chá, em cápsula ou na forma solúvel, que, em alguns casos, vem preparada com aroma de morango. Consumir a bebida em excesso pode aumentar o grau de ansiedade, causar insônia ou provocar o aumento dos sintomas da TPM. Portanto, a recomendação é de quatro xícaras ao dia.

O alto teor de oxalato que o chá vermelho possui pode gerar a formação de cálculos renais. Grávidas e pessoas com hipertensão arterial também devem evitar a bebida. Para estes grupos é recomendado consumir no máximo, uma xícara por dia.

Dica para o preparo: para aproveitar todas as propriedades do chá vermelho, é aconselhável ferver a água de três a cinco minutos e, em seguida, deixar a erva em infusão por mais três minutos. No caso do chá vermelho em cápsula, deve-se procurar um nutricionista para saber a quantidade ideal.

Fonte: Mariana Exel, nutricionista do Hospital Samaritano-SP

ADOTAR É TUDO DE BOM TERÁ AÇÃO ESPECIAL EM 8 PARQUES DE SÃO PAULO

Em parceria com a prefeitura de São Paulo, programa instala 17 pontos de "Refresque-se" e leva a conscientização para a causa dos cachorros abandonados aos principais parques da capital paulista

Quem passar pelos principais parques da cidade de São Paulo a partir desta semana vai se deparar com uma paisagem diferente e que ajudará a mudar o destino dos cães abandonados do Brasil. Até setembro deste ano, os parques do Ibirapuera, do Carmo, da Aclimação, Independência, Buenos Aires, das Bicicletas, Rodrigo de Gasperi e Toronto, receberão uma ação especial do programa Adotar é tudo de bom, em parceria com a prefeitura da capital.

Espalhadas por diferentes áreas de cada um dos parques, a campanha da PEDIGREE que tem o objetivo de atingir mais pessoas com os preceitos do Adotar é tudo de bom, terá 17 peças de mobiliario urbano, em pontos de parada conhecidos como "Refresque-se". Além de refrescarem seus corpos durante suas atividades nos parques, os visitantes poderão se aproximar ainda mais dos 3 princípios da campanha, baseados na sensibilização e conscientização para a causa dos cachorros abandonados, posse responsável de animais e apoio aos abrigos que resgatam cães e promovem a adoção consciente.

"Nosso objetivo vai muito além de contribuir para que os atletas e visitantes refresquem-se durante suas atividades no parque. Queremos aproximar o público da causa da campanha, conscientizando um número cada vez maior de pessoas", explica Cynthia Schoenardie, gerente responsável pelo programa PEDIGREE Adotar é tudo de bom. Para chamar a atenção do público para estas ações, PEDIGREE criou peças diferenciadas, propondo uma interação total com a campanha com um forte apelo comunicativo e de imagens que remetem à realidade de abandono dos animais e para os preceitos da campanha.


Desde o final de 2008, as iniciativas para a causa dos mais de 20 milhões de cães abandonados no Brasil só têm se multiplicado. O programa, que tem como meta doar até R$ 1 milhão para abrigos participantes da campanha nos primeiros 12 meses, acumulou novas estratégias, parceiros e uma série de atividades que ajudaram a promover até aqui a adoção direta de mais de 3738 cachorros abandonados.


MARS


A Mars Brasil é uma divisão da Mars, Incorporated, uma das maiores fabricantes de alimentos do mundo. Com aproximadamente R$ 600 milhões em vendas anuais, as divisões de alimentos, chocolates e confeitos e produtos para animais de estimação são símbolos de excelência para produtos de alta qualidade. Sediada em Guararema, SP, a Mars Brasil conta com mais de 1.300 associados em cinco unidades, incluindo três fábricas. A empresa é proprietária de algumas das marcas mais populares do mundo, incluindo M&M'S®, SNICKERS®, TWIX®, UNCLE BEN'S® e os produtos para animais de estimação PEDIGREE® e WHISKAS®.

Adotar é tudo de bom na internet:

Portal: www.adotaretudodebom.com.br

Twitter: http://twitter.com/adotaretudodbom (com d mudo)

Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=51107961

Flickr: http://www.flickr.com/groups/adotaretudodebom

Yahoo! Grupos: http://www.adotaretudodebom-yahooespeciais-grupos.com/

PARTO NORMAL OU CESÁREA?

Essa dúvida é bastante comum para a maioria das mulheres grávidas: qual é o melhor parto? Atualmente, quase 85% dos partos na rede privada e 31% da rede pública são cesarianas. Mas quais são os benefícios e quando são indicados esses tipos de parto?

Ainda hoje, algumas mulheres optam pelo parto natural - que é basicamente quando o médico simplesmente acompanha o parto, sem intervenções - como anestesias, induções ou rompimento artificial da bolsa. Neste caso, o ritmo e o tempo da mulher e do bebê são respeitados e, para alívio das dores, são utilizadas técnicas de respiração e relaxamento. A principal desvantagem desse processo é que pode levar várias horas.

Por outro lado, o parto normal pode ter intervenções do obstetra, acelerando o trabalho de parto e aliviando as dores com anestesia, mas sem prejudicar a mãe, o bebê ou a evolução do trabalho de parto. "A vantagem em relação à cesárea é a recuperação pós-parto é mais rápida", explica o dr. Edílson Ogeda, ginecologista e obstetra do Hospital Samaritano. Além disso, há menor chance de infecções e hemorragias.

Tanto o parto normal sem anestesia quanto o natural pode ser realizado na posição em que a mulher julgar mais confortável: em pé, de cócoras ou até mesmo dentro d'água.

Quando optar pela cesárea?

A cesárea deve ser uma opção sempre que o risco do parto vaginal for maior do que pela cesariana. "Isso pode ocorrer em situações clínicas ou obstétricas que aumentem o risco para a mãe ou bebê, como por exemplo, em caso de desproporção do tamanho do bebê em relação à pelve, infecções, gestantes diabéticas, hipertensas ou posição desfavorável do bebê", diz o dr. Ogeda. Os médicos também podem optar pelo procedimento cirúrgico quando um trabalho de parto não progredir naturalmente. Nestes casos, as complicações são mais possíveis, por se tratar de uma cirurgia de emergência.

A mulher normalmente recebe anestesia intradural - algumas vezes até geral. Em seguida, o médico fará um corte de aproximadamente 10 centímetros acima dos pêlos pubianos, por onde retirará o bebê e removerá a placenta. "Neste caso, a recuperação da mulher é mais lenta e a dor deve ser controlada com analgésicos. Além disso, há maior risco de infecção e de o bebê apresentar problemas transitórios", conta o dr. Ogeda.

Importância do pré-natal

Um bom acompanhamento pré-natal permite que o médico saiba de antemão possíveis problemas que podem obrigar à realização de uma cesariana. Alguns exemplos são quando a mãe sofre de pressão alta ou se é diabética. "Vale frisar que o melhor parto é aquele que traz o maior benefício para a mãe e para o bebê", diz o dr. Edílson Ogeda.

terça-feira, 21 de julho de 2009

OTITE AFETA 90% DAS CRIANÇAS MENORES DE SETE ANOS

OTITE AFETA 90% DAS CRIANÇAS MENORES DE SETE ANOS
No período de inverno os cuidados devem ser redobrados para não haver sequelas, como a perda de audição

A otite, inflamação no ouvido ocasionada pelo acúmulo de líquido no sistema auditivo, pode se tornar um grande problema, principalmente entre as crianças, se não for logo diagnosticada e tratada. Simples infecção, a doença pode ocasionar desde uma perda momentânea até uma perda permanente de audição.


Estudos apontam que a otite média atinge aproximadamente 90% das crianças com até sete anos. No inverno, em função de gripes e resfriados, a doença é mais frequente. De acordo com as estatísticas, 75% das crianças poderão apresentar o mesmo problema até três vezes durante um ano. Por isso, os pais devem ficar atentos porque um simples resfriado pode esconder um quadro mais grave. A perda de audição provocada por otite é geralmente momentânea e reversível, mas se a otite for frequente e não for tratada adequadamente pode tornar a perda de audição irreversível.


"Por isso, toda criança deve fazer um teste de audição antes de entrar em período escolar. As perdas auditivas causadas pelos quadros de otites podem provocar atrasos no desenvolvimento da linguagem, distúrbios de fala e menor habilidade no aprendizado. Os pais devem ficar atentos se a criança parece muito distraída, não responde logo quando chamada e assiste à TV em volume alto, por exemplo", alerta a fonoaudióloga Isabela Gomes, do Centro Auditivo Telex.


Quando uma criança tem otite, a fisiologia do ouvido para de funcionar. Normalmente, depois de um tempo, se for tratada adequadamente, a criança melhora, mas nem sempre é assim. Se a criança não respira bem pelo nariz, essa comunicação fica prejudicada, devido à tuba auditiva, que é um canalzinho que liga o nariz ao ouvido. Quando ocorrem muitas otites, esse canalzinho permanece entupido, não drena a secreção que se forma e que então se acumula dentro do ouvido, diminuindo a audição.


"Quando a perda auditiva é irreversível, o uso de aparelhos auditivos é a única solução para a criança ouvir e não ter comprometido o seu desenvolvimento e desempenho escolar", explica a fonoaudióloga.


Muitas vezes, é difícil suspeitar de um quadro de otite. No entanto, existem alguns sinais, como febre, irritação, dor de ouvido, presença de líquido saindo da orelha, falta de atenção e sensação de ouvido tapado. Além disso, algumas medidas são úteis para se evitar a otite, como não usar cotonetes, grampos e outros objetos para limpar o ouvido. Eles podem empurrar a cera em direção ao tímpano, ferindo-o.


"Os pais também devem estar atentos ao problema se os filhos praticam natação. Nesse caso, é indicado o uso de protetores para evitar a entrada de água nos ouvidos, o que pode causar otites. O uso do protetor auricular promove o vedamento do conduto auditivo", conclui Isabela Gomes. O Centro Auditivo Telex oferece protetores em silicone, com registro no Inmetro, feitos sob medida para cada usuário e em várias cores.


No Brasil, três em cada mil crianças possuem algum tipo de deficiência auditiva. De acordo com a ONU, aproximadamente 1,5% da população nos países subdesenvolvidos têm problemas de audição.

AMINOÁCIDOS DAS PROTEÍNAS VEGETAIS AJUDAM A PREVENIR A HIPERTENSÃO ARTERIAL, CONCLUI ESTUDO


Por Dr. Ricardo Teixeira

No ano de 2006, um importante estudo científico (INTERMAP) demonstrou que o consumo de proteínas de origem vegetal está associado à redução da pressão arterial, ao mesmo tempo em que confirmou estudos anteriores de que o consumo total de proteínas não aumenta os níveis pressóricos. Entretanto, esta pesquisa não foi capaz de definir qual o micronutriente das proteínas vegetais que mais colabora para esse efeito preventivo da hipertensão arterial. O periódico Circulation, jornal oficial da Associação Americana do Coração, acaba de publicar a extensão do estudo INTERMAP evidenciando que o ácido glutâmico, principal aminoácido encontrado nas proteínas vegetais, é um dos micronutrientes que ajudam a controlar a pressão arterial. Essa é uma das formas de se explicar a razão pela qual os vegetarianos têm menor tendência a desenvolver hipertensão arterial.

A hipertensão arterial é o principal fator de risco para duas das principais causas de morte em todo o mundo: o infarto do coração e o derrame cerebral. Mesmo com todo o progresso da medicina moderna, infelizmente, grande parte da população adulta é hipertensa. É bem reconhecido que o indivíduo hipertenso carrega consigo um fator determinante genético, mas a boa notícia é que fatores dietéticos e de estilo de vida são fortes aliados para prevenir a doença.

Dez ingredientes para prevenir a hipertensão arterial. Quanto mais desses ingredientes forem usados, maior o sucesso da receita:

1- manter o peso em dia (índice de massa corporal <>

2- atividade física moderada / intensa diária por pelo menos 30 minutos ao dia;

3- dieta rica em frutas, legumes, verduras e castanhas;

4- quanto à proteína animal, não há evidências de que seu consumo esteja associado ao aumento da pressão arterial. Entretanto, limitar o consumo de carne é sempre um bom negócio, pois sabemos que seu excesso está associado ao aumento do risco de diversas doenças, como o câncer e as doenças cardiovasculares;

5- deve-se priorizar derivados do leite com baixo teor de gordura;

6- baixo teor de sal na dieta e limitar o consumo de álcool;

7- reduzir a carga de estresse no dia-a-dia

8- evitar o uso de medicações anti-inflamatórias mais do que uma vez por semana;

9- pelo menos entre as mulheres, a suplementação de ácido fólico ≥ 400 µg também é um forte ingrediente para a prevenção da hipertensão arterial. Vale lembrar que toda mulher que tem chance de engravidar deve fazer uso de ácido fólico em forma de suplemento para reduzir o risco de malformações do sistema nervoso central do feto. Nesse caso, a mulher fértil acerta dois coelhos numa cajadada só;

10- não precisa nem dizer que o cigarro deve ficar bem longe desta receita.


Dr. Ricardo Teixeira é Doutor em Neurologia pela Unicamp. Atualmente, dirige o Instituto do Cérebro de Brasília (ICB) e dedica-se ao jornalismo científico em saúde. É também titular do Blog "ConsCiência no Dia-a-Dia" - www.consciencianodiaadia.com.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

PREFEITURA DE SP SENSIBILIZA POPULAÇÃO SOBRE ABANDONO DE ANIMAIS



PREFEITURA DE SP SENSIBILIZA POPULAÇÃO SOBRE ABANDONO DE ANIMAIS
Campanha alerta para sobre um dos maiores problemas de saúde pública da cidade e estimula a adoção dos animais



O abandono de cães e gatos nas ruas de São Paulo é hoje um dos principais problemas de saúde pública da cidade e vem aumentando nos últimos anos. Além de causarem doenças, os animais abandonados podem morder as pessoas e esses incidentes respondem por boa parte dos atendimentos em postos de saúde da cidade. Isso sem contar que os animais largados ficam sem comida, são atropelados e sofrem maus tratos nas ruas, o que aumenta sua agressividade. Para combater esse problema, a Prefeitura de São Paulo está lançando o Probem - Programa de Proteção e Bem-Estar de Cães e Gatos, que terá apoio de uma ampla campanha criada pela NovaS/B para sensibilizar a população para a posse responsável e contra o abandono de animais.



As peças da campanha, que serão veiculadas em TV, rádio, internet, cartazes e folhetos, trazem uma mensagem bem direta, apelando para o lado emocional do público ao lembrar que um animal de estimação é um amigo para vida toda, e não um objeto que pode ser descartado quando fica velho ou quando o dono não quer ou não pode mais mantê-lo [imagem da campanha no anexo]. Para dar sustentação ao Probem, a NovaS/B e a Sinc criaram um site de apoio aos proprietários de animais e também para aqueles que pensam em adotar um, com dicas e cuidados que os bichos de estimação exigem. Estima-se que a população de cães com proprietários seja de cerca 1,5 milhão em São Paulo. Já a de gatos é estimada em 230 mil. Sobre a população de animais abandonados, não há estatísticas consolidadas.



A campanha conta com um filme de 30 segundos para TV, que mostra pessoas se desfazendo de coisas velhas ou quebradas, como relógios, poltronas e rádios, associando esses objetos aos mascotes. O texto em off diz que animal de estimação não é coisa para se jogar fora e convoca os proprietários a tomarem conta dos seus animais. "O desafio para a NovaS/B era passar essa mensagem de maneira clara e objetiva, sensibilizando a população e incentivando sua participação e envolvimento na campanha", diz Ricardo Furriel, diretor de criação da NovaS/B.



Também foram criadas vinhetas em parceria com a MTV, para exibição exclusiva no canal, banners para os grandes portais na internet e ações em redes sociais (Twitter, blogueiros e comunidades virtuais). Na rádio, a campanha terá sete programetes dentro do programa "Minuto Cidadão", além de texto para comunicadores. As peças consistem em questões enviadas pela população ao programa com dúvidas em relação à adoção e ao abandono dos bichos. A campanha tem ainda anúncios impressos em jornais e revistas, mídia em aeroporto e estações da CPTM, além de cartazes e folhetos para repartições públicas. Os táxis da cidade também receberão folhetos para distribuição e veicularão um filme com legendas. As peças circularão nas mídias por 15 dias, com exceção do site, que será permanente.




COMO OS CARBOIDRATOS AFETAM O CORAÇÃO



Que o consumo de alimentos com alto teor de carboidratos faz mal à saúde todo mundo está cansado de saber. Mas agora uma equipe de pesquisadores da Escola de Medicina Sackler, da Universidade de Tel Aviv, desenvolveu uma experiência que permite visualizar como isso acontece antes, durante e depois a ingestão. O trabalho foi publicado no Journal of the American College of Cardiology.

A equipe do Dr. Michael Shechter selecionou 56 voluntários entre os estudantes de medicina e os dividiu em quatro grupos. O primeiro comeu flocos de milho com leite; o segundo uma mistura de açúcar puro, o terceiro farelo e o quarto, placebo (água).

Durante quatro semanas, o Dr. Shechter visualizou a função arterial de cada voluntário em tempo real, através de um aparelho semelhante a um medidor de pressão arterial. Foi detectado uma grande dilatação nas artérias dos estudantes que ingeriram comida com alto índice de glicose, principalmente daqueles que comeram flocos de milho e açúcar.

"Alimentos como flocos de milho, pão branco, batatas fritas e soda açucarada pressionam exageradamente as artérias", diz o médico. Através desse método, mostrou-se, pela primeira vez, exatamente como os alimentos com alto teor glicêmico fazem progredir as doenças cardíacas.

ALIMENTAÇÃO INTEGRAL E A INDÚSTRIA DE ALIMENTOS



A falta de uma legislação no Brasil que determine os parâmetros que definem quando um alimento pode ser considerado integral é uma falha que precisa ser corrigida, principalmente nesse estágio no qual as pessoas desejam uma alimentação mais saudável e natural. "Algumas indústrias de alimentos colocam um percentual ínfimo de fibras em seus produtos e os rotulam como integrais. Como não é um alimento de hábito cotidiano, as pessoas acabam comprando, pensando que estão se alimentando de uma maneira saudável e com a quantidade de nutrientes adequada", ressalta Edilene Costa, gestora da ABRAPAN - Associação Brasileira de Produtos Naturais, Artesanais e Bem-estar.

"O alimento integral deve ser aquele que mantém todas as suas propriedades e benefícios nutricionais em comparação com o produto refinado, que se tornou pobre em vitaminas, proteínas e fibras", considera Edilene.

Esse debate, que toma força diante das tendências de consumo consciente, tem nos nutricionistas uma importante fonte de informações, pois eles sempre ressaltam que uma pessoa que consome frequentemente alimentos integrais está em vantagem em relação ao consumo de vitaminas e minerais, já que esses nutrientes se concentram justamente na porção do alimento, que geralmente é removida pelo processo de refinação.



Atualmente, a ABRAPAN participa de vários projetos governamentais que visam criar e implementar programas que estimulem a alimentação saudável, como o CEPAS - Comitê para a Promoção da Alimentação Saudável, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo; o COMUSAN - Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de são Paulo; e da Câmara Setorial da Agricultura Ecológica, da Secretaria Estadual da Agricultura. "Além das dúvidas sobre o que comprar, as pessoas ainda não sabem qual é a melhor maneira de consumir e o modo de preparo dos alimentos integrais para manter suas propriedades", explica Edilene.



Para a adoção de uma alimentação mais saudável é imprescindível que os alimentos realmente contenham "vida" no prato. Com a mudança de hábito, a pessoa rapidamente percebe mudanças positivas no seu organismo, através do funcionamento do intestino, do fortalecimento do sistema imunológico, do aumento da disposição, além da leveza e bem-estar. "Quem deseja adotar uma dieta saudável e consciente, deve visitar sites como o www.guiavegano.com.br e o www.nutriveg.com.br, além do www.abrapan.org.br, para pesquisar algumas informações relevantes sobre alimentação integral e orgânica", finaliza Edilene.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...