terça-feira, 28 de julho de 2009

EXAGERO EM ATIVIDADES FÍSICAS PODE CAUSAR QUEDA CAPILAR

O peso em excesso pode acelerar quedas de cabelos em pessoas predispostas à calvície genética, principalmente mulheres. Isto porque a gordura periférica corporal acaba sendo uma fonte de hormônios que causam queda capilar. Sendo assim, nos indivíduos obesos, sensíveis a estes hormônios, a queda pode aparecer.

O contrário pode ser verdadeiro, já que pessoas que praticam atividades físicas de forma intensa, por período de tempo prolongado e diariamente, podem sofrer alterações hormonais que também causam queda capilar genética na mesma proporção que os obesos. Isto por conta de alguns sistemas de proteção corporal que, para manter alguns equilíbrios metabólicos quando a porcentagem de gordura corporal fica muito abaixo do que é considerado normal, usam de outras formas para produzir os mesmos hormônios que levam à queda nos obesos, porém em maior quantidade.

Por isso, concluímos que tanto obesos quanto pessoas com baixíssimo percentual de massa gorda podem sofrer quedas capilares hormonais com maior frequência do que os indivíduos cujo índice de massa corporal está dentro dos padrões ideais.

Casos especiais de quedas capilares em atletas podem ocorrer, devido ao estresse corporal, pelo exagero de desgaste físico. Nestes casos, a queda hormonal de origem genética não é levada em consideração, apesar de ser também afetada pelo esforço excessivo, como já citado. Porém, como caso especial, o que devo salientar é que pessoas que não repõem seus nutrientes de forma correta após uma atividade física desgastante podem desencadear quedas por estresse físico. Isto é valido também para aqueles que, após exercícios extenuantes, não respeitam o tempo de recuperação de seus organismos.

Para evitar este tipo de problema, é fundamental a orientação de educadores físicos e nutricionistas comprometidos com o bem-estar de seus orientados. Não só por conta de tratar pessoas com excesso de peso, mas também para corrigir excessos físicos que poderão se mostrar primeiramente nos cabelos, porém que, no futuro, poderão se mostrar também em outras regiões do corpo e comprometer a saúde.

Dr. Ademir Jr. (CRM 92.693) é médico dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, da Sociedade Brasileira de Termalismo, e da Sociedade Brasileira de Medicina Estética. Presidente do Grupo de Assistência a Problemas Capilares - GAPCA e Presidente do Grupo de Apoio a Portadoras de Síndrome dos Ovários Policísticos - GAPSOP. Professor de Anatomia e Fisiologia da pele no curso de Pós-Graduação em Cosmetologia das Faculdades Oswaldo Cruz - SP/SP. Autor dos Livros: "Socorro, Estou ficando careca", publicado pela Editora MG em 2005, "Tem alguma coisa errada comigo - Como entender, diagnosticar e tratar a Síndrome dos ovários Policísticos", publicado pela Editora MG em 2004 e "É outono para meus cabelos - Histórias de mulheres que enfrentam a queda capilar" - Editado pela Editora Summus.
Postar um comentário