domingo, 10 de janeiro de 2010

Macrobiótica Zen - Capítulo VIII

Faça o DOWNLOAD GRATUITO do EBOOK 
Gestão, Ética e Liderança em Foco
  Clique aqui - Download Gratuito CAPÍTULO V111

ALIMENTOS SECUNDÃRIOS

REFOGADINHOS (NITUKE)

(Hortaliças, verduras ou legumes, cozidos com um pouco de molho japonês (Shoyu), sem água, nem óleo; em japonês, de¬nomina se “nituke”. Devem servir se secos).
61 - De cenouras Para preparar cenouras e “Nituke” de cenouras com gergelim, corta se duas cenouras o menor possível e refoga¬-se bem numa colher de sopa de óleo. Adiciona se grãos de gergelim torrados e salga se. (Todo “refogadinho” é um pouco salgado).
62 - De chicória ou escarola Cortam se 5 folhas pela metade, no sentido do comprimento. Refogam se em duas colheres de sopa de óleo; adiciona se uma colher de chá de sal; cobre se e ferve-¬se em fogo brando até amolecer. Adiciona se um pouco de molho de soja (Shoyu).
63 - De bardana e cenoura (Kinpira) Cortam se em pedacinhos bem fininhos, no sentido longitudinal, raízes de bardana e de cenoura, na proporção de 3 da primeira, por uma da última. Refogam se em óleo as raízes de bardana, até que elas estejam bem cozidas; adicionam se cenouras e cozinham se em um pou¬co de água até amaciar. Salga se e adiciona se uma pitada de molho de soja.
64 - De cebola Cortar duas cebolas grandes, no sentido de com¬primento. Refogar bem em uma colher de sopa de óleo; tempe¬rar com sal e adicionar um pouco de molho de soja (shoyu) no final.
65 - De agrião Corta se o agrião em pedaços de três centímetros. Refoga se com óleo em fogo brando. Adiciona se sal. Pode se acentuar o sabor com um pouco de tahin (manteiga de gerge¬lim).
66 - De couve com cebola 0 mesmo que o precedente.
67 - De cenoura com cebolas 0 mesmo que o precedente.
68 - De aipo com cebolinha verde Refogar em óleo; temperar com sal. Os diversos tipos de “Nituke”, retromencionados, devem ser secos. Alimentos com molhos, caldos, não podem ser cha¬mados de Nituke.
69 - De cozido “variado” (Hisime) Cortam se em pedaços grandes, cenouras, raízes de bardana, raízes de lótus, nabo branco, feijão ¬vagens, queijo de soja seco, peixe seco, alga marinha (kombu) cm pedaços grandes, etc., adiciona se água e ferve se até amo¬lecer bem. Salga se e adiciona se um pouco de soja (shoyu) Não deve ter caldo ao ficar pronto.

SOPAS

70 - Sopa Russa Uma cenoura, 3 cebolas, um pouco de couve, 150 gramas de arroz, quatro colheres de sopa de óleo e sal. Cortar bem fino e refogar de novo até tostar. Ferver em fogo médio durante longo tempo. Quando a sopa engrossar, salgar ao sabor.
71 - À jardineira Cortar em pequenos pedaços cenouras, cebolinha verde (a parte branca) couve flor, etc., e refogar em óleo. Adicionar água e ferver até amolecer. Salgar a gosto. 0 verde da cebolinha verde pode ser utilizado para fazer “refogadinho” (Nituke).
72 - De polenta (farinha grossa de milho ou painço) Cortar em grandes fatias nabo branco, cenouras, cebolas, etc. Refogá los em óleo. Adicionar água que cubra completamente os legumes. Ferver até amolecer. Tostar 3 colheres de sopa cheias de po¬lenta, em 3 colheres de sopa de óleo; misturar com água até obter se uma massa fina. Despejar esta pasta sobre a mistura de legumes e ferver tudo lentamente, com chama baixa. Tem¬perar com sal.
73 - De painço Preparar polenta e milho moído grosso, de modo semelhante à polenta, utilizando farinha fina de painço.
74 - De legumes Refogar em óleo, nabos, cebolas, cenouras, couve-flor, etc., em seguida ferver. Após cozidos e bem amolecidos, espalha se sobre os legumes a farinha tostada no óleo e adicio¬na se água e sal. Cozinhar até engrossar.
75 - De legumes gratinados (Cozido puchero) Fervem se os vege¬tais, como para sopa, numa caçarola, cobrindo os de polenta ou de farinha fina de painço, ou de trigo mourisco, etc. preparadas como para o molho bechamel (Assar no forno) (ver 219).
76 - De abóbora Tomam se 400 gramas de abóbora, ou massa de abóbora, uma cebola, óleo, sal, 4 colheres de farinha. Corta se a cenoura em pequenos pedaços e refoga se em óleo; adiciona se a abóbora em pequenos pedaços e refoga se de novo. Ferver em panela com a metade de água até amolecer, salga se a gosto. Passar numa peneira e temperar; torrar com farinha no óleo; misturar com água, e com a mistura da abóbora pôr a ferver. Serve se com quadrinhos de pão tostado no óleo, com salsa, etc. Esta sopa é deliciosa com abóbora de Hokkaido. Se tentar, ficará surpreendido.
77 - Ensopado de cenouras Prepara se do mesmo modo que o de abóbora.

PRATOS DIVERSOS

78 - (Tempura) Corte cenouras, cebolinha verde, etc. em fatias fininhas. Mergulhe em uma mistura de farinha com água (7 1/2 vez mais água do que farinha), uma pitada de sal. Fri¬tar em bastante óleo, por colheradas.
79 - Agrião (tempura) Couve flor, aipo, raiz de bardana, raiz de lótus, escarolas, abóbora, etc. são usados para tempura do mesmo modo do anterior.
80 - Bolos de raiz de lótus Rala se raiz de lótus, adicionando se igual quantidade de cebola picada e tempera se com sal. Adi¬cione se farinha para ligar e frite se em bastante óleo (Espe¬cialmente recomendado para curar asma, diabetes, pálio, artri¬te, etc.).
81 - Bolos de raiz de lótus com molho bechamel (219) Coloque cuidadosamente os bolos em molho bechamel, espargindo por cima aipo picado. Quando a (“fritura à milaneza” (Tempura) é servida desta maneira, o sabor fica grandemente melhorado. Farinha de painço, de trigo mourisco, etc. podem ser usadas para o molho bechamel (molho de shoyu).
82 - Abóbora assada Corta se a abóbora em pedaços grandes, pulveriza se com um pouco de sal e assa se no forno. Serve se com molho de pasta de soja (missô) ou shoyu.
83 - Abóbora cozida com pasta de soja Corta se a abóbora em pedaços grandes. Frita se cebola picada, em óleo. Adiciona se água e sal à abóbora, fervendo se até ficar macia; adiciona se massa de soja (missô), diluída com a água dos vegetais. A cebola picada também deverá ter sido juntada à abóbora, para cozinhar.
84 - Abóbora cozida Corta se a abóbora “Hokkaido” em pedaços grandes; misturam se cebolas preparadas como no nº 83; tem¬pera se somente com um pouco de sal, cozinhando se até ficar macia.
85 - Raiz de Iótus cremosa (ANKAKE) Corta se uma raiz de Iótus, cenoura, radiche, rabanete branco, etc., em pedaços re¬tangulares e refoga se em óleo; adiciona se um pouco de água e ferve se até ficar macio; mistura se farinha sarracena diluída com água e com ela engrossa se a mistura de vegetais.
86 - Nabos cremosos (ANKAKE) Refogam se em óleos os nabos redondos inteiros; após cozinham se em água suficiente até ficarem macios; tempera se com sal, mistura se lhes farinha de araruta e água; adiciona se lhe um pouco de molho de soja, no final.
87 - Mingau de araruta (Kuzu) Mistura se farinha de araruta, na proporção de uma colher de sopa cheia para 150 centímetros cúbicos de água. Põe se ao fogo e mexe se constantemente, até engrossar e ficar claro. Tempera se com um pouco de sal e molho de soja (shoyu). Quando faltar o apetite por causa de resfriados, etc., o mingau de araruta melhorará surpreenden¬temente o estado geral.
88 - Variedade (Yuba) Feijões, como a soja e outros, também podem ser preparados como “creme” (ANKAKE).

TORTAS

89 - Torta de abóbora (omitir as maçãs para os doentes) 1/2 quilo de abóbora e cebola. Cortar a cebola em cubos e refogar numa colher de sopa de óleo; adicionar abóbora cortada em fatias e ferver em um pouco d'água; juntar sal e peneirar numa consistência cremosa. A fim de preparar a massa da torta (pastelão), misturar 1 xícara de farinha. Se usar farinha inte¬gral, peneirar, a fim de remover as cascas e farelos, usando estes resíduos para fritada (tempura), pão, croquetes, etc. (não jogue fora). 3 colheres de sopa de óleo (de milho e de gergelim, em partes iguais, ou de oliveira e gergelim, em partes iguais, ou de semente de girassol e gergelim em partes iguais), 1/2 colher de chá de sal, 1 colher de chá de canela, 1 colher de chá de casca de laranja picada. Misturar com pequena quanti¬dade de água, formando uma massa mole. Colocar num prato próprio para torta, numa camada de 1/2 centímetro de espessu¬ra. Encher a crosta com uma mistura acima, de abóbora, na espessura de cerca de 2 centímetros, e por cima colocar uma maçã cortada em cubos. Cobrir a crosta, pressionando as ex¬tremidades com um garfo e fazendo um desenho atrativo na parte superior com uma gema de ovo. Cortar em cruz pelo

Nota A genuína farinha de araruta somente se adquire nos posto de venda especializados em produtos macrobióticos.

centro com uma faca. Assar no forno até ficar ligeiramente bronzeada e torrada.
90 - Torta de maçã com castanhas Ferver as castanhas até fica¬rem macias; misturar canela, casca de laranja e sal; misturar com pedaços de maçãs cortadas em cubo. Cobrir a torta com a mesma massa de pastelão e da mesma maneira da torta de abóbora. Preparar o arranjo da torta também do mesmo modo (89) (OGURA).
91 - Torta simples (permitida aos doentes) Para o recheio cre¬moso, ferver feijão japonês (azuki) com ou sem castanhas, temperando ligeiramente com sal. Encher a crosta de massa e levar ao forno.
92 - Torta de arroz (Permitida aos doentes) Poderá ser usada como alimento complementar. Misturar arroz cozido com "re¬fogadinho” de vegetal (cenouras, raízes de Iótus, cebolas, agrião, etc.) (Nituke). Adicionar um pouco de farinha. Pre¬parar a torta conforme dito acima, e levar ao forno.
93 - Torta de batata doce e castanha (Não recomendável aos doen¬tes) Cozinhar as batatas e passá las na peneira, adicio¬nando um pouco de sal. Cozinhar as castanhas e juntar à bata¬ta doce; preparar a massa da torta e levar ao forno. Este prato pode também ser preparado só com batata doce ou só com castanhas.
94 - Torta de hortaliças (verduras) Refogar em óleo cenouras, cebolas, couve, couve flor, etc. e após cozinhar em água até amolecer. Colocar a massa do pastelão no prato, recheando a com as verduras. Ao molho do Nituke, misturar farinha tostada num pouco de óleo para engrossar. Despejar este molho por cima do recheio, em vez de cobri-lo com a massa e levar ao forno.
95 - Torta de cenoura e cebola Preparar a massa de pastelão e deitar num prato de torta. Usar 3 cenouras para cada cebola, refogar ambas em óleo e temperar com sal. Adicionar um ovo batido. Encher a forma do pastelão e levar ao forno.
96 - Torta de maçã Forrar a forma com a massa do pastelão. Cortar 3 maçãs em forma de lua crescente e colocá las na forma atraentemente, como uma flor redonda. Salpicar com sal e levar ao forno, até que a parte de cima fique bronzeada. Misturar a farinha de araruta (Kazu) na água e levar ao fogo até engrossar e derramar atrativamente a mistura sobre as ma¬çãs, deixando esfriar. “Agar agar” ou gelatina podem ser usa¬dos, em vez de araruta, mas esta é preferível.
97 - Torta de ameixas Retirar os caroços das ameixas secas e cozinhá las, num pouco de água até ficarem macias; adicionar uma pitada de sal e canela e preparar o pastelão como o de abóbora, levando ao forno.
98 - De maçã e castanha Kinton (Não deve ser usado pelos doentes) Use castanhas e maçãs à razão de 3 por 1. Cozinhe as castanhas, deixando 1/3 de lado. Adicione as maçãs já pica¬das e cozinhe-as até ficarem no ponto. Passar na peneira e, após, adicionar a totalidade das castanhas restantes.

PASTÉiS (GYOZZA)

99 - “Pirosiki” (Permitido aos doentes) Prepare a massa de pas¬telão, cortando a em pedaços redondos, de 3 a 4 polegadas de diâmetro. Lasque cenouras, cebolas, agrião, etc., em pedaços finos, e refogue em óleo. Adicione arroz cozido, tempere com sal, e refogue bem. Forme pequenas bolas com as mãos, colo¬cando as em pedaços de massa. Dobre a massa e pressione as pontas com um garfo. Frite no óleo. Prepare diferentes “Pirosiki”, usando vários ingredientes como acima, assando no forno, em vez de fritar. Dê o acabamento com gema de ovo para ficar atraente. Pequenos pratos individuais para o pas¬telão poderão ser usados para melhor efeito. As crianças gos¬tam muito destes pastéis individuais.
100 - De verduras (Gyoza) Adicione um pouco de sal à farinha e amasse com água para formar uma massa macia. Passe no rolo até ficar bem fina e corte em pedaços redondos, de 2 a 3 polegadas de diâmetro. Corte as verduras em cubos, refogue e tempere com sal. Adicione um pouco de farinha e mexa. Enrole a mistura de verduras em pedaços da massa de formato longo e estreito. Coloque em água fervendo, cozinhe até chegar no ponto. Servir com molho de soja (shoyu), creme de (missô), etc.
101 - Fritos Frite os pastéis já cozidos em um pouco de óleo, até ficarem quebradiços.
102 - Fritos em muito óleo Frite os pastéis (gyoza) já cozidos, em bastante óleo.
103 - Gyoza “Au Gratim” Coloque os pastéis fritos numa forma de forno. Prepare creme de arroz, de painço, etc., bem fino, e derrame sobre os pastéis, levando os ao forno. Quando houver visitas, é permitido adicionar um pequeno camarão, peixe de carne branca, ou carne branca de aves. Para doentes, a massa do pastel é feita de farinha de trigo mourisco.
104 - Pãezinhos ou biscoitos Chapati (Recomendáveis para doen¬tes, como alimento suplementar, assim como para pessoas Yin) Adicione pequena quantidade de sal à farinha amassan¬do com água até que forme massa macia. Com a quantidade de uma colher de sopa cheia de cada vez, fazer as bolas ou fazer um rolo e cortar em círculos Levar ao forno; em vez de levados ao forno, poderão ser tostados sobre a chama ou no calor. Servir com “refogadinho” (nituke) (Trigo mourisco, farinha de painço, etc.); são muito Yang e, portanto ótimos para doentes.
105 - Puri o “Chapati” deverá ser preparado em pequenas bolinhas redondas. Fritando em bastante óleo, crescerão bastante e fi¬carão cheios como balões. Servi los com refogadinho (nituke). Na Índia, os “chapati”, feitos com farinha de trigo integral, são comidos diariamente.

PRATOS À BASE DE CARÃ COM INHAME (JINENJO)

106 - Cará (Jinenjo batata silvestre) - Cortar o cará em pe¬daços de 1 polegada. Espargir com sal. Fritar em bastante óleo. Depois cozinhar com molho de soja numa panela (shoyu).
107 - Cará Hamburgo (Jinenjo Hamburgo) Raspar o cará. Picar em talhadas uma cebola ou uma cebolinha verde e misturar. Temperar com sal. Usando uma boa quantidade de óleo numa frigideira, tapar e fritar até ficar macio e fofo. (Jinenjo).
108 - Bolos ou bolas de cará Prepara se como acima, fritando se em bastante óleo.
109 - Cará “au grati” - (Jinenjo) - Colocar os ingredientes, como acima, numa caçarola. Levar ao forno.
110 - Cará ralado (Tororo) Rale o cará e coloque o num prato pequeno; esparrame algas “nori” tostadas e sirva com molho de soja (shoyu tamari).
111 - Sopa de cará ralado (Tororo) Raspe o cará. Misture com a sopa ou com soja “missô” e deixe ferver alguns minutos (em fo¬go baixo).
Nota Raspando o cará, ele se converte em massa líquida ou fluida.

PRATOS À BASE DE GRÃO DE BICO (FEIJÃO EGIPCIO)

112 - Lave o grão de bico e deixe o de molho em água quente, durante a noite. Cozinhe o até amolecer. Tempere com sal. Sirva o com molho ou após fervido, de forma que não sobre nenhum líquido.
113 - Adicione farinha ao grão de-bico cozido, afim de engrossar (quando secar, adicione mais água). Tempere com sal e frite em óleo, uma colher de sopa por vez.
114 - Bolos de chana (Cereal hindu que se encontra em alguns arma¬zéns) - Mistura se a farinha de chana com água e amassa se. Tempere com sal. Corta se uma cebola miudinha e adiciona se à massa. Frita se em bastante óleo deitando com uma colher.
115 - “Pakodi” Prepare a massa da farinha de chana com água; tempere com sal e cebola grelhada ou cortada como acima.
116 - Croquetes Misture farinha com grão de bico cozido, forme boIas e achate as. Cubra com migalhas de pão torrado e frite em bastante óleo.

PRATOS À BASE DE FEIJOES

117 - Feijão soja com “missô” Toste feijões soja numa frigideira, até rebentarem. Adicione “missô” diluído em água. Adicione mais uma pequena quantidade de água, cubra a frigideira e deixe cozinhar até ficar macio. Retire a tampa e deixe ferver até que o liquido se evapore.
118 - Feijão cozido Ferva o feijão até ficar macio; tempere com molho de soja e sal. Ferva até que o líquido se evapore comple¬tamente. Prepare feijão preto ou outros feijões da mesma ma¬neira.
119 - Feijão gomoku Ferva o feijão soja até ficar macio; corte na¬bo branco comprido japonês (daikon), cenouras, raízes de bar¬dana e de Iótus, etc. em pequenos cubos. Refogue em óleo. Junte ao feijão e ferva até amolecer. Tempere com sal e molho de soja (shoyu).
120 - Ensopado de soja cru (Sopa Goziro) Deixe o feijão soja de molho durante a noite, esmague o até ficar cremoso. Prepare a sopa com cebolas, cenouras, nabo comprido, etc. Coloque a mas¬sa assim obtida na sopa e ferva bem. Tempere com sal e molho de soja (shoyu).
121 - Feijão vermelho japonês (Azuki) Ferva em água que cubra o feijão até ficar macio. Tempere com sal e ferva até engrossar. Se tiver à mão bolo de arroz (moti), aqueça e adicione.
122 - Feijão vermelho japonês (Azuki) - Ferva até ficar macio. Tem¬pere com sal. Retire a água e amasse.
122.1 Feijão vermelho (azuki) com talharim - Ferva o feijão verme¬lho japonês até que fique tenro e cremoso. Tempere com sal. Misture com talharim cozido e aqueça bem numa panela. Dispo¬nha tudo numa forma retangular e deixe esfriar até endurecer. Tire da forma e corte em pedaços retangulares (para climas quentes). Pode ser servido quente em climas frios.
122.2 - Raiz de Iótus com feijão japonês (Azuki) Prepare as raízes de Iótus como para “refogadinho”. Junte azuki japonês.
123 - Diversos feijões Ferva os feijões ou ervilhas em água. Tem¬pere com sal e adicione um pouco de óleo. Refogue um pouqui¬nho após bem cozido.
124 - Vagens Refogue a vagem inteira em óleo. Adicione água e ferva lentamente em fogo brando. Tempere com sal e molho de soja. Cozinhe até que o líquido desapareça e as vagens fiquem enrugadas.

PRATOS À BASE DE MILHO

125 - Sopa Cortar uma cebola e refogar numa colher de sopa de óleo. Debulhar e ralar com uma faca ou ralador áspero os grãos de 3 espigas de milho, juntar à cebola com três partes de água. Salgar e deixar em fogo brando até amolecer. Agitar de vez em quando a fim de evitar que pegue no fundo da panela. Adicio¬nar uma colher de sopa cheia de farinha de araruta misturada num pouco de água. Cozinhar. Por último, adicionar um pouco de molho de soja (shoyu). Servir com quadrinhos de pão frito em óleo.
126 - Milho assado Asse nas brasas algumas espigas de milho no¬vo. Tempere as com molho de soja. Asse as mais um pouco. Sirva as.
127 - Milho cozido Cozinhe o milho numa solução de água com 4% de sal e sirva com molho japonês (shoyu).
128 - Milho frito Corte fora os grãos de milho novo, amasse um pouco e junte à massa “à milanesa” e frite em bastante óleo. Sirva com molho de soja (shoyu).
129 - Bolinhos Amasse farinha de milho com água, fazendo peque¬nos bolos redondos. Ferva um pouco os bolinhos antes de tostar, ponha os num espeto. Sirva com massa de soja (missô), creme de feijão azuki japonês.
130 - Creme de milho (amassado) Adicione um pouco de sal à farinha de milho amassada com água quente. Derrame na sopa de “missô”. Mexa levemente até ficar no ponto.
131 - Croquetes Misture um pouco de sal e canela na farinha de mi¬lho amassada. Forme croquetes e frite os em pouco óleo.
132 - Crepes Toste farinha de milho numa pequena quantidade de óleo. Adicione água e prepare uma massa fina. Ponha um pouco de óleo numa frigideira e derrame nela uma pequena camada da mistura. Frite bem, de ambos os lados, e sirva com “refo¬gadinho”. (Nituke).

GERGELIM COALHADO

135 - Goma Tohu Torrar sementes de gergelim, moendo as em se¬guida. Misture 3 colheres de sopa cheias de farinha de araruta com água e ferva bastante tempo, até escorrer em fio. Adicione o gergelim e tempere com sal. Derrame numa forma retangular até endurecer. Isto poderá ser feito mais facilmente com man¬teiga de gergelim (Tahin). Servir com molho de soja (shoyu, missô, etc.)

SALADAS (AEMONO)

136 - De gergelim (Aemono). Torrar bem as sementes de gergelim, Moer até ficarem em creme. Misture molho de soja em um pou¬co de água para engrossar o creme. Ferva em água salgada, cebolinha verde, cebolas, nabo branco comprido, cenouras, cou¬ve, agrião, espinafre, couve flor ou abóbora, etc. Misturar com o creme de gergelim. A massa de soja (missô) poderá substituir as sementes de gergelim. Não deite fora o caldo das hortaliças, mas utilize o para sopas.
137 - Salada de frutas e vegetais Picar couve e cenoura. Cortar a couve flor e uma maçã em pequenos pedaços. Ponha de lado. Misturar bem 4 colheres de sopa de óleo, uma colher de sopa de sal e um ovo. Derramar água fervente sobre a couve e as cenouras. Ferver a couve flor em água com sal. Mergulhar a maçã em água salgada. Misturar estes vegetais com uma mis¬tura de óleo e dispor atrativamente numa travessa grande cir¬cundada com alface. Esta salada é servida após os pratos de carne.

VARIEDADES

138 - Chou Falcie Este é um prato regional da zona francesa pro¬dutora de trigo mourisco. Separe, uma por uma, as folhas de couve, cuidadosamente, e lave as. Misture trigo mourisco em duas quantidades de água e tempere com sal. Bata 2 ovos. Nu¬ma panela de ferro com tampa, usando bastante óleo, deite uma folha de couve no fundo. Despeje em cima de uma camada de mistura de trigo mourisco, outra camada com ovo e, após, outra de couve. Alternar desta maneira, terminando com uma folha de couve por cima. Cubra e cozinhe em forno moderado por 1 1/2 hora. Remova da panela invertendo sobre uma travessa. Corte na mesa enquanto quente. Servir com molho missô ou molho de soja, etc.
139 - Crepe de trigo mourisco Misture a farinha de trigo mourisco em 3 partes de água. Adicione 1 ovo e mexa bem. Ponha óleo numa frigideira. Derrame uma fina camada da mistura, frite em ambos os lados e dobre em quatro. Disponha atrativamente numa travessa. Antes de dobrar encha os crepes com vegetais ,"nituke” e missô. Podem ser servidos sem recheio de “nituke” como alimento complementar. Como merenda, podem ser re¬cheados com castanhas, algumas passas ou caldo de maçã.

VEGETAIS SILVESTRES

Temos alguns milhares de comestíveis, plantas silvestres, folhas, raízes, bulbos, flores, grãos, sementes, etc. Todos foram criados por Deus sem qualquer intenção comercial. São assim, puros, livres de fertilizantes químicos e sem inseticidas. Na Natureza não há venenos de nenhuma espécie. Se tiverem, se¬rão demasiado Yang (ou Yin) que podem ser neutralizados pe¬la nossa cozinha macrobiótica. Podereis usá los para curar do¬enças Yin (ou Yang). Eis alguns: aoza (espinafre silvestre), akaza, dente de leão, nazuna, nobiru, huki, gobo (bardana), etc. Todos são bastante deliciosos e muito úteis medicinalmente.

PLANTAS SILVESTRES E MARINHAS

150 - Alga Kobu (Sio kobu) Alga kobu cozida com água e sal lavar uma folha grossa de "kobu” em água. Essa água, que con¬tém numerosos sais minerais, deve se guardar e usar para co¬zinhar mais tarde. Cortar a alga em pedaços de 3 centímetros. Adicionar 3 partes de água e cozinhar bem até amolecer. Salgar e continuar cozinhando até que a água evapore. Adicione 10 a 20% de molho “shoyu” e cozinhe até secar. Este prato é ex¬celente contra a artrite, a alta e baixa pressão sangüínea, ma¬les cardíacos, gota, tumores, etc.
151 - Verduras enroladas com alga grossa (kobu) ~ Tomar uma fo¬lha fina de “kobu” e cortá la em pedaços de 12 em de compri¬mento. Cortar cenouras, raízes de bardana e de lótus no mesmo comprimento e enrolar na alga duas vezes; amarrar tudo com kampy (uma corda feita com certo tipo de abóbora). Cozinhar bastante com água em que lavou o kobu. Leva algum tempo. Salgar e adicionar Shoyu.
152 - Alga kobu frita Corte uma alga grossa em quadrados de 9 cm. Frite no óleo e salgue. É um excelente prato, que pode ser ser¬vido como sobremesa.
153 - Alga grossa (“kobu)”) Corte uma alga em tirinhas do tama¬nho do dedo mínimo, faça um nó em cada uma delas e frite as.
154 - Sopa de alga kobu Tome uma alga de 12 centímetros por 30 cm, mergulhe a num litro de água (para 5 pessoas) e salgue. Adicione qualquer legume e molho de soja.
155 - Alga kobu frita Corte uma alga kobu em pedaços de 1x2 em, parta os ao meio e frite.
156 - Cabeça de salmão enrolada com alga kobu Corte a cabeça de um salmão seco salgado e enrole a numa alga, como na receita 151; cozinhe bem (sem salgar). Adicione um pouco de molho de soja. 2 indicada contra o pólio, a paralisia e todas as doenças descalcificantes.
157 - Alga “hiffiki” seca Mergulhe 30 g desta alga (“eystophyllum fusiforme”) na água, durante 5 minutos. Corte a alga em pe¬quenos pedaços, juntamente com 60 g de raiz de lótus e frite em duas colheres de sopa de óleo. Adicione a alga “hijiki” e a sua água (água da lavagem) e, após, uma colher de chá de sal. Cozinhe bastante até à evaporação total. Adicione molho de soja e cozinhe ainda um pouco mais.
158 - Alga “hijiki” ensopada (Nituke) Mergulhe esta alga em água. Corte em pequenos pedaços. Frite bem em duas colheres de sopa de óleo e adicione um pouco de água, e após molho de soja. Deixe ferver lentamente até evaporar a água.
159 - Alga “hijiki” e queijo de soja frito (age) Prepare a alga co¬mo anteriormente, adicione queijo de soja frito cortado (age) em pequenos pedaços e cozinhe em um pouco de água e com molho de soja.
160 - “Hijiki” e feijão de soja Prepare de acordo com a receita n9 157, após, adicione feijão de soja bem cozido e um pouco de molho de soja.
161 - “Hijiki” com verduras (Gomiku) Corte cenouras em pe¬quenos pedaços, raízes de lótus e bardana (como na receita nº 157) e frite em pouco óleo.
162 - Arroz com “hijik” Adicione ao arroz cozido “hijiki” prepa¬rada conforme receita acima.

PLANTAS SILVESTRES

163 - Folhas de dente de leão Lave as bem, corte as folhas em pe¬quenos pedaços e prepare como “refogadinho”. Salgue e adi¬cione molho de soja (shoyu).
164 - Raízes de dente de leão Lave bem, sem tirar lhes a casca, e corte as em pedaços pequenos, fininhos e redondos. Cozinhe bem uma xícara disto em uma colher de sopa de óleo. Salgue e adicione molho de soja. lã um alimento excelente para artrite, reumatismo, cardíacos e doentes de pólio.
165 - Caruru (espinafre selvagem) (Aoza) Preparar um “refoga¬dinho” com shoyu.
166 - “Fuki” Vegetal silvestre Tome um talo de “fuki” e cozinhe o durante longo tempo em um pouco de água e molho de soja. Pode se igualmente cozinhar as folhas, cortá las em pequenos pedaços e fazer “refogadinho”. Este prato conserva se por muito tempo, como todos os “refogadinhos”.

PRATOS COM PASTA MISSÔ E MOLHO DE
SOJA (SHOYU, TAMARI)

Nota importante:

Tanto a massa de soja (“missô”), quanto o molho de soja (shoyu) devem ser prepara¬dos à maneira tradicional japonesa. Não de¬vem nunca ser usados os tipos industriali¬zados e comercializados, à venda em muitos países, especialmente em São Paulo Brasil, por conterem açúcar e ingredientes quími¬cos, e não terem suficiente tempo de “ama¬durecimento” (pelo menos 3 anos).


201 - Molho de “missô” Misture 45 g (uma colherada de sopa bem cheia de pasta de soja (missô), três de manteiga de gergelim (tahin), adicione uma taça de água e mexa bem deixando co¬zinhar. Após cozinhar, misture 1 colher de casca de laranja ralada. Sirva este molho com arroz, trigo sarraceno em grão, massas ou kasha, legumes, verduras, etc.
202 - Creme de “missô” 0 mesmo que o precedente, porém com pou¬co menos água. Este creme pode ser usado como acima ou para substituir a manteiga e o queijo.
203 - “Missô” Misture uma colher de sopa de pasta de soja com qua¬tro colheres de sopa de tehin ou manteiga de gergelim. Adi¬cione um pouco de casca de laranja ralada e sirva com arroz, pão, etc.
204 - Sopa de “missô”, Para 5 pessoas: Uma xícara de cebola picada, 1/3 de xícara de cenoura, uma folha de couve picada e uma colher de sopa de óleo de gergelim. ou de oliveira. Aqueça o óleo primeiro, junte a cebola e as cenouras, depois a couve. Quando estas estiverem bem cozidas, adicione as cenouras e deixe cozi¬nhar bem. Derrame sobre esta mistura quatro xícaras de água e, por último, um pouco de missô diluído. Adicione uma pequena cebola crua picada e alga “nori” tostada.
205 - Cenouras e cebolas com "missô” para 10 pessoas Tome 400 g de cebola, uma cenoura, 2 colheres de sopa de pasta de soja, 1/2 colher de chá de sal, 1 colher de sopa de óleo. Pique miudinho 2 ou 3 cebolas, cozinhe as em óleo e adicione o resto da cebola sem cortar. Acrescente a cenoura cortada em pequenos pedaços, cozinhe bem em água e adicione pasta de soja (missô).
206 - Legumes com “missô”, Tome uma cenoura, duas cebolas, qua¬tro folhas de couve, duas colheres de sopa de óleo e uma de pas¬ta de soja. Corte as cebolas em quatro; cozinhe as em óleo e adicione a couve, cozinhe bem e junte as cenouras cortadas em pequenas fatias; adicione duas xícaras de água, pasta de soja diluída e um pouco de sal.
207 - Gelatina ao “missô” Cebolas, nabo branco, inhame (Satoimo) tudo inteiro e pedaços grandes de cenoura. Coloque tudo sobre uma alga grossa “kobu” e ponha na panela. Adicione água e cozinhe bem com um pouco de sal; acrescente cebolinha verde em espetos, palitos de bambu (5 por espeto) e missô ou shoyu. Quanto mais tempo e lentamente cozinhar, tanto mais delicioso.
208 - Bolinhos de sarraceno com "missô" Fazer bolas de trigo sar¬raceno e cozinhá las em água. Colocar em espetos de bambu (5 pôr espeto). Cobrir essas bolas com um pouco de pasta de-¬soja e aquecer. Usar creme de pasta de soja. (Podem ser usados outros cremes).
209 - Hortaliças (verduras) com “missô” Cozinhar em água, cenouras, cebolas, agrião, couve-flor, nabo branco, escarola, salsa, etc., servir com creme de missô.
210 - Especial nº 1 (“tekka” nº 2 ) Ingredientes: 30 g de raiz de lótus, 45 g de bardana (raiz), 30 g de cenouras, 5 g de gengibre, 90 g de óleo de gergelim, 150 g de pasta de soja. Picar todos os legumes. Primeiramente fritar as raízes da bardana em 60 gra¬mas de óleo e adicionar a cenoura e o lótus e cozinhar bem.
Acrescentar, a seguir, o gengibre e o missô. Adicionar 30 g. de óleo e cozinhar até secar bem. Este prato é excelente para to¬das as doenças Yin.
211 - Especial nº 2 (,”tekka” nº 2) 60 gramas de raízes de lótus, 15 de bardana, 15 de cenouras e 5 de raízes de dente de leão. Pique todos os vegetais e faça como no número anterior. Muito bom para tosse, asma, tuberculose, etc.

- MOLHOS (SHOYU)

212 - Arroz - Satura Cozinhar arroz com 57o de shoyu. É um prato saborosíssimo.
213 - Molho de soja (shoyu) especial Picar bem uma cebola; fritar em uma colher de óleo; adicionar uma xícara de água e 3 co¬lheres de sopa de manteiga de gergelim (thain). Misturar bem, salgar com 1/2 colher de chá de sal e cozinhar bem.
214 - Molho de gergelim Tostar 40 gramas de grãos de gergelim e amassar até ficar oleoso. Acrescentar 30 ou 60 gramas de mo¬lho de soja. É ótimo molho para legumes, arroz, pão, sanduíches, etc.
215 - Caldo ao molho de soja Picar meia cebola e fritar numa colher de chá de óleo. Adicionar duas xícaras de água. Após o cozi¬mento, temperar com molho de soja.
216 - Verduras cozidas com água (Ositashi) Cozinhar em água, agrião, espinafres, alface, couve, ou qualquer outro legume e servir com molho de soja.
217 - Creme de aveia Tostar 4 colheres de sopa de farinha de aveia em uma colher de sopa de óleo e adicionar molho de soja, sal e água à vontade.
218 - Mingau de farinha de aveia Adicionar volume de água pró¬prio para mingau; salpicar salsa picada, agrião ou outro tem¬pero verde. Pode se fazer o mesmo mingau (caldo ou creme) com arroz, trigo, leite em pó macrobiótico “Kokkoh” e farinha de trigo sarraceno (sarasina).
219 - Molho bechamel ao molho de soja (shoyu) Tostar uma colher de sopa cheia de farinha numa de óleo. Adicionar água e cozi¬nhar. Após, adicionar o molho de soja (shoyu).
220 - Maionese com molho de soja (shoyu) Verta, pouco a pouco, óleo sobre um ovo batido com um pouco de sal. Adicione água quente. Acrescente salsa picada. Sirva com qualquer legume, cozido ou peixe.
221 - Molho à Ia Lyonnaise Frite uma cebola picada em pouco óleo, adicione vinho branco e, após, duas a três colheres de sopa de molho bechamel (219). Este molho é muito bom para peixe grelhado.

Nota Use somente o molho de soja (shoyu) tradicional em to¬dos os pratos (vegetais e peixe). Shoyu diluído em um pouco de água é muito bom para “Sasimi” e ostra frita, “tempura” título do capitulo peixe à moda Sukiyaki, tofu (queijo vegetal de feijão soja) etc.

BEBIDAS

301 - Chá de arroz Torre arroz integral até ficar bronzeado. Para cada colher de sopa de arroz adicionar dez vezes o seu volume de água. Ferva. Salgue ligeiramente e sirva. Este arroz torrado pode ser utilizado como alimento complementar. Arroz torrado e chá torrado de três anos (“banchá”) podem ser misturados e utilizados como bebida.
302 - Chá de trigo Torre trigo com pouco fogo, até tostar, e ferva uma colher de sopa cheia em 150 gramas de água. Sirva frio, no verão.
303 - Café de dente de leão Lave e seque raízes de dente de leão. Corte em pequenos pedaços. Doure com óleo numa frigideira. Passe, em seguida, num moinho de café. Ferva, durante 10 mi¬nutos, este pó na quantidade de uma colher de chá por uma xícara de água. Coe e sirva. As pessoas que preferirem sabor amargo podem adicionar chicória.
304 - Café “Oshawa” (“Yannoh”) Três colheres de sopa de arroz, duas de trigo, duas de feijão japonês (“azuki”) uma de grão-¬de bico e uma de chicória. Torre separadamente até bronzear bem. Misture tudo em seguida e torre num pouco de óleo. Após esfriar, moa finamente. Prepare esta farinha chamada “Yan¬noh”, com água fria, na proporção desejada. Use uma colher de sopa para meio litro de água. Sirva após 10 minutos de ebulição.
305 - Leite de cereais macrobiótico ("Kokkoh”) Este produto é uma mistura de farinha de arroz torrado, de arroz glutinoso, de farinha de aveia, farinha de feijão de soja e de sementes de gergelim. 2 mais fácil comprá lo pronto. Ferva e mexa durante 10 minutos uma colher de sopa cheia por 1/4 de litro de água.
306 - Chá de artemísia Erva de São João (Jomogui). Ferva 30 gramas de folhas de artemísia, em 150 cm cúbicos de água. Salgue e beba ao levantar da cama, em jejum. 10 um excelente vermífugo. As folhas secas conservam se durante anos.
307 - Chá de Hortelã Tratar as folhas de menta da mesma maneira que a artemísia (Jomogui).
308 - Tilia Ferver as folhas e usar como bebida.
309 - Chá de 20 raízes (Mu) É um chá composto de mais de 20 raízes (muito Yang) sendo uma delas a famosa cenoura da Coréia (Gin Seng). Ferver um pacote deste chá num litro de água du¬rante dez a vinte minutos. Esta bebida pode ser consumida dia¬riamente pelos doentes Yin. Neste caso, é necessário deixar ferver até evaporar a metade e tomar durante dois dias. Pode ser reaquecido. É a bebida mais Yang. 0 “Gin seng" é extrema¬mente Yang.
310 - Chá de três anos (Chá verde”) (banchá) Tostar por alguns minutos o chá verde natural (as folhas devem ficar três anos no pé) e, após, ferver 1 colher de sopa cheia durante 10 minutos em fogo brando.
311 - Chamol (Syo Ban) Chá de três anos banchá com molho de soja) Pôr molho de soja no fundo de uma xícara (a 1/4 da altura) e adicionar o chá quente preparado conforme acima se indica. Este chá é muito indicado para a fadiga, para depois de acidentes e fraqueza cardíaca.
313 - Chá Yang Yang Este chá deve ser usado pelas pessoas muito Yin.
314 - Chá dragão Este chá é recomendado às pessoas extremamente Yin, que sofrem de náuseas, matinais vômitos e leucorréia.
315 - Chá Habu - (Chá chinês). Tem excelente gosto e é muito recomendado contra os resfriados da cabeça.
316 - Caldo (suco) de raiz de Iótus seco Kohren Esta bebida, feita com raízes de Iótus, seca e moída, é recomendada principalmen¬te contra a tosse, a coqueluche, a asma, a tuberculose. Convém utilizá la na razão de uma colher de chá por 1 xícara de água fervente, e tomar três vezes ao dia. Fazer exclusão de todos os outros líquidos.
317 - Caldo de araruta (Kuzu) É uma excelente bebida para todos, muito boa também contra a diarréia e os resfriados da cabeça. Diluir uma colher de chá cheia de farinha de araruta em 2 a 3 partes de água. Adicionar, a seguir, um quarto de litro de água, e ferver até ficar transparente. Adicionar um pouco de molho de soja. (shoyu).
318 - Chá de raiz de Iótus cru Esmagar uma raiz de Iótus cru de 6 cm de comprimento para extrair o suco; adicionar 10%, de gengibre, um pouco de sal, e ferver como no n.º 316. Recomen¬dado contra a tosse e a asma e às pessoas Yin.
319 - Caldo feijão “azuki” Ferver o feijão japonês “azuki)5 na proporção de uma colher de sopa em dois litros de água até reduzir pela ebulição em 1 litro Caldo muito bom para os males dos rins. Pode se juntar uma pitada de sal.
320 - Chá de nabo branco comprido nº 1 Tomar a quantidade de duas colheres de sopa de raiz de nabo branco ralado e adicionar 3/4 de litro de água quente. Acrescentar duas colheres de sopa de molho de soja e 1 colher de chá gengibre ralado. Tomar esta bebida na cama. Se tiverdes um resfriado, haverá transpiração abundante e desejo de urinar.
321 - Chá de nabo branco comprido (Daikon), n9 2 Ralar 1 raiz de nabo branco comprido e espremer o suco. Adicionar o dobro do volume de água e um pouco de sal. Ferver alguns minutos. To¬mar uma vez por dia; não tomar mais do que três dias seguidos. Bom para pés inchados.
322 - Ovo com shoyu (Ransyo) Partir cuidadosamente um ovo fecundado, de maneira que a casca quebre em partes iguais Ba¬ter bem o ovo. Encher uma das metades da casca com molho de soja (shoyu) (Tamari) e adicionar ao ovo. Bater nova¬mente. Engolir esta mistura de uma vez, sem sentir o sabor. Tomar uma vez por dia antes de deitar se e somente durante três dias. Muito bom para doenças cardíacas severas (agudas).
323 - Chá de trigo sarraceno (soba) É a água na qual foi cozido o macarrão de sarraceno, com um pouco de molho de soja e sal.
324 - Suco de ameixa japonesa salgada (“Umeboshi”) Ferver 3 ou 4 ameixas num litro de água. Passar pela peneira. Adicionar um litro de água. Tomar fria, como bebida. Delicioso refresco para o verão.
325 - Ume syo Kozu Chá para resfriados 1 ameixa japonesa sal¬gada; 1 colher de chá cheia de araruta, 3 colheres de chá de molho de soja, 1 de gengibre e três quartos de litro de água. Esmagar a ameixa num quarto de litro de água, adicionar a ara¬ruta, juntar o gengibre e o resto da água e ferver até a mistura se tornar espessa. Ao tomar, adicionar um pouco de molho de soja. ótimo para resfriados (gripe).
326 - Suco especial de creme de arroz - Caldo Tostar 1 xícara de arroz. Fervê lo durante duas horas, em quatro vezes o seu vo¬lume de água. Quanto mais ferver, melhor. Coar num pano de algodão. É um excelente tônico para tomar de manhã, em caso de doença, e à tarde, em caso de fadiga.

SOBREMESA E MERENDAS PÃO –

501 - Biscoitos (Karinto) Misturar duas xícaras de farinha, duas colheres de sopa de sementes de gergelim, uma pitada de sal, e uma colher de chá de canela. Adicionar água de tal modo que fique uma massa mole. Estender a massa e cortá la em tiras. Fritar até dourar ou até tomarem a consistência comum aos bis¬coitos. Formas diversas podem ser dadas; podem ser guarne¬cidos com nozes, ou uma de suas extremidades ser inserida nu¬ma fenda praticada no meio.
502 - Polenta 0 mesmo da receita precedente, porém misturando partes iguais de farinha de trigo e de milho.
503 - Biscoito de trigo sarraceno 0 mesmo da receita anterior, po¬rém utilizando farinha de sarraceno. Excelente como merenda para doentes.
504 - Biscoito de painço e farinha de trigo mourisco. Misturar painço cozido com farinha em partes iguais. Adicionar avelãs ou cas¬tanhas de caju cortadas bem miudinhas, bem como casca de laranja raspada. Amassar com água. Confeccionar com esta massa cilindros de 10 centímetros, que devem ser cortados em tiras bastante finas. Fritar em bastante óleo. Pode se usar tam¬bém farinha de trigo, de arroz, de milho, etc., e adicionar pe¬quenas quantidades de nozes, amendoim, passas de uvas, etc.
505 - Pão “Ohsawa)” Misturar quatro partes de farinha de trigo in¬tegral, duas de farinha de milho, duas de farinha de castanhas e duas de farinha sarraceno. Adicionar um pouco de óleo e al¬gumas passas de uvas e após amassar lentamente com água. Cozinhar numa forma untada e colocar um pouco de massa. Pincelar ovo batido (gema) sobre o pão. Para os doentes, mis¬turar farinha de trigo sarraceno, farinha de trigo integral, fa¬rinha de milho, farinha de painço, etc., sem passas de uva e nozes. Fatias deste pão frio podem ser cortadas e torradas em um pouco de óleo. 0 pão “Ohsawa” não contém fermento, não é muito leve, porém é saboroso quando bem mastigado.
506 - Torta de maçãs Cortar maçãs em fatias, adicionar um pouco de sal e cozinhá las no forno, até ficarem tenras. Preparar massa para o pastelão; guarnecer uma forma, enchê la de ma¬çãs e colocá la no f orno. Para o preparo da crosta do pastelão, ver o capítulo de massas.
507 - Maçãs ao forno (nº 1) Retirar a parte central das maçãs, tendo o cuidado de não perfurá las completamente. Rechear com manteiga de gergelim (tahin) misturada com um pouco de sal e levar no forno até ficar no ponto.
508 - Maçãs ao forno (nº 2) Preparar massa de pastelão e estendê-la bem fina. Cortar em pedaços que dêem para enrolar uma maçã. Preparar as maçãs como foi indicado anteriormente. Co¬locar dentro de pedaços da massa e enrolar, aperte em cima pa¬ra fechar. Pincelar com gema de ovo. Levar ao forno. 0 resto da massa pode ser cortada em tiras para decorar. Se as maçãs fo¬rem muito grandes, podem ser cortadas em quatro, porém ma¬çãs inteiras de pequeno tamanho, são mais deliciosas.
509 - Pastel de maçã. Preparar a massa do pastel e estirá4a para que fique fina. Cortá la em discos de 10 em de diâmetro. Dispor uma sobre a outra e recheá la com compota de maçã.
510 - Pastel de passas de uvas Estirar a massa do pastel até ficar bem fina e cortá la em pedaços redondos de 6 em de diâmetro. Colocar algumas passas de uva no seu interior e fechar as duas extremidades, apertando com os dedos. Pincelar com gema de ovo antes de colocar no forno. Pode substituir se as passas de uva por castanhas de caju.
Variedade no 1 Enrolar a massa em torno de um bastão de dois em e meio. Fritar em bastante óleo, deixar esfriar e retirar o bastão. Rechear com compota de maçã, purê de castanha, pu¬rê de abóbora, etc.
Variedade nº 2 Cortar a massa da torta em tiras de 4 em de largura por 12 em de comprimento. Enrolar na massa um cone de madeira de 6 em de diâmetro de base. A parte superior deve ser do diâmetro de um lápis. Leve ao forno, retire o cone de madeira e substitua o por geléia ou purê, como acima.
511 - Bolacha nº 1 Crackers Misturar farinha de trigo ou de aveia, ou de milho, com um pouco de óleo, sal e água. Amassar. Enro¬lar esta massa e cortá la em quadrados de 5 em. Fazer ponti¬nhos com 1 palito. Levar ao forno. Para biscoitos faz se a mas¬sa um pouco mais grossa. Temperar como desejar.
512 - Bolacha nº 2 (Halawah) Misturar 1 xícara de farinha de tri¬go integral grossa sêmola 2 colheres de sopa de passa de uva, 2 colheres de chá de canela em pó e 1 maçã. Dourar a farinha em quatro colheres de sopa de óleo. Adicionar as passas de uva e a maçã cortada em pedaços. Sobre esta mistura, derra¬mar água em quantidade correspondente a quatro vezes o volu¬me (da mistura) e uma colher de chá de sal, e cozinhar em fogo brando. Quando a mistura engrossar, adicionar canela. Molhar a forma com água fria e forrar o fundo com salsa picada e des¬pejar a mistura sobre a forma. Esfriar. Inverter o conteúdo da forma e servir. Pode se alternar esta mistura com camadas de farinha de castanhas, com castanhas em purê ou com abóbora em purê. Outras formas podem ser usadas, redondas e tubu¬ladas.
513 - Sêmola - farinha de trigo integral grossa A sêmola pode ser empregada como alimento complementar, se for feita com ce¬vada grossa moída e torrada em um pouco de óleo. Neste caso, a farinha deverá ser de grãos integrais de cevada,
514 - Sanduíches (Nituke) Pode se fazer “refogadinho” (“nitu¬ke”) de diferentes variedades, com creme de abóbora, creme de nozes, geléia de maçã, etc., usados como recheio entre as fatias de pão, resultando em sanduíches gostosos. Para os doentes, o melhor pão é o “Ohsawa”, só com cereais, cozido ao forno e cortado em fatias finas, com recheio de vegetais, etc. Pode se, igualmente, utilizar pastéis, crepes, chapati, etc.
515 - Canapés - Coloquem se alimentos variados sobre pequenos qua¬drados de pão, que se levam ao forno, por breves instantes.


Anterior  - MACROBIÓTICA ZEN / CAPÍTILO VII

PRÓXIMO  - MACROBIÓTICA ZEN / CAPÍTILO IX