sábado, 31 de julho de 2010

OITO ANOS DE IMPUNIDADE / DIREITOS HUMANOS NO BRASIL

Publico aqui uma excepcional apresentação elaborada pela Marli Delucca, uma grande defensora dos direitos dos animais. Não dá para ver e não ficar triste.

Os slides falam por sí. Não deixem de ver. Marli, parabéns!!!

Fonte: http://www.slideshare.net/tetello/direitos-humanos-para-humanos-dir...

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Gato cego dá exemplo de vida em "A Odisseia de Homero"


Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/livrariadafolha/774059-gato-cego-da-exemplo-de-vida-em-a-odisseia-de-homero.shtml

da Livraria da Folha
Divulgação
Gato superou as dificuldades da cegueira para ter uma vida normal
Gato superou as dificuldades da cegueira para ter uma vida normal
Quem imagina um felino sem a visão como um animal triste, medroso e incapaz, deve mudar de ideia ao conhecer "A Odisseia de Homero" (Gmt Sextante, 2010), da escritora norte-americana Gwen Cooper.
Cooper conta a história real de seu gato que, mesmo com deficiência visual, conseguiu encarar os desafios cotidianos e levar uma vida normal.
De acordo com a autora, a falta dos olhos nunca fez falta ao bichano. No livro, o leitor pode acompanhar a vida de superação do felino e como ele foi parar no centro das atenções para sua dona, a qual se deu conta do quanto estava sozinha em sua vida até então.
Ao longo das páginas de seu livro será possível descobrir como o animal era implicante, bagunceiro e temperamental, mas também dengoso e engraçado, como qualquer outro gato.
"A Odisseia de Homero" é a história de superação tanto para a dona como para Homero e mostra o amor incondicional que pode existir na relação entre um humano e seu mascote.
Gwen Cooper também é autora de "Diary of a South Beach Party Girl", ainda não publicado no Brasil.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Adolescentes realizam mais cirurgias de redução de estômago no Brasil

Absurdo! Isso é atuar sobre os efeitos e não causas! É necessário educar os pais para que as crianças tenham bons hábitos alimentares e não sejam jovens obesos. A geração Mac Donald é forte candidata a ter precocemente problemas no passado típico de idosos.

IARA BIDERMAN
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

A indicação de cirurgia para obesidade em adolescentes está crescendo no Brasil, mas ainda está longe de ser consenso entre especialistas.

Cinco por cento dessas operações já são feitas em menores de 20 anos. Em 2009, foram realizadas 30 mil
cirurgias bariátricas no país, segundo Thomas Szego, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

Explicam essa alta tanto o aumento da obesidade na população quanto o aperfeiçoamento das técnicas que tornaram o método mais seguro, de acordo com Szego.

Como a legislação brasileira só permite a cirurgia a partir dos 16, esse número poderia ser ainda maior.

Para uma parte dos especialistas, aumentar as indicações é uma tendência.

"Vamos discutir as diretrizes no próximo encontro brasileiro de endocrinologia pediátrica", conta Paulo César Alves da Silva, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Um dos pontos mais polêmicos sobre a cirurgia em menores de 20 anos é a falta de dados sobre os efeitos a longo prazo. "Isso a gente não sabe, mas sabemos dos riscos da obesidade. A cirurgia é uma opção que vale a pena", afirma Silva.

As normas brasileiras determinam que a cirurgia só pode ser feita em casos de Índice de Massa Corporal acima de 40 e com a presença de doenças associadas como diabetes, hipertensão etc.

A equipe médica e os pais ou responsáveis devem assinar um documento declarando que concordam com o procedimento.

Para Arthur Belarmino Garrido Jr., coordenador da Unidade de Cirurgia da Obesidade do Hospital das Clínicas de São Paulo, os riscos da cirurgia em adolescentes são similares aos dos adultos.

Porém, há médicos que apontam para características específicas dessa faixa etária que complicam o tratamento cirúrgico da obesidade.

DOENÇA CRÔNICA

"A pessoa ainda está em fase de crescimento e podemos estar trocando uma doença crônica [a obesidade] por outra [desnutrição], sem saber o que vai acontecer mais tarde", pondera Rosana Radominski, presidente da Abeso (Associação Brasileira para Estudos da Obesidade e da Síndrome Metabólica).

"Mutilar o aparelho digestivo em quem está em crescimento não é bom. Antes de partir para a cirurgia, eu tentaria o tratamento clínico para emagrecer pelo menos duas vezes", afirma o pediatria e nutrólogo Fábio Ancona Lopes, professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

As questões psicológicas de uma operação que promove o emagrecimento ultrarrápido são ainda mais importantes na adolescência.

"Essa é a idade em que se manifestam vários distúrbios psiquiátricos, especialmente os transtornos alimentares. É perigoso reduzir o estômago se o problema de base não for tratado", analisa o psiquiatra Carlos Henrique Rodrigues dos Santos, do Grupo de Doenças Afetivas do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/773886-adolescentes-realizam-mais-cirurgias-de-reducao-de-estomago-no-brasil.shtml

Consumo de refrigerante diet pode estar ligado a risco de parto prematuro

24/07/2010 - 14h03
Consumo de refrigerante diet pode estar ligado a risco de parto prematuro
PUBLICIDADE

DA REUTERS

Uma nova pesquisa sugere que o hábito beber bebidas adoçadas artificialmente em excesso pode estar ligado a um risco maior de parto prematuro em mulheres grávidas.

"Pode ser não opcional para as grávidas o consumo elevado destes tipos de produtos", disse Thorhallur I. Halldorsson do Statens Serum Institut de Copenhagen, um dos pesquisadores do estudo.

As bebidas diet são amplamente promovidas como uma alternativa saudável a refrigerantes e sucos com açúcar, mas Halldorsson e seus colegas observam que há pouca pesquisa sobre a segurança do consumo regular de adoçantes artificiais em seres humanos.

Refrigerantes -tanto adoçados artificialmente como com açúcar- foram recentemente ligados a pressão arterial elevada, acrescentaram os investigadores, o que aumenta o risco de parto prematuro. Para investigar se poderia haver uma ligação direta, os investigadores avaliaram a dieta de cerca de 60.000 mulheres dinamarquesas, incluindo quantos refrigerantes consumiam a cada dia, em torno da 25ª semana de gravidez.

Cerca de 5% das mulheres deram à luz antes da 37ª semana.

As mulheres que tiveram pelo menos uma unidade de refrigerante adoçado artificialmente ao dia quando estavam grávidas tinham 38% de chance de ter parto prematuro em relação às mulheres que não beberam refrigerante diet, relataram os investigadores em um jornal americano da nutrição clínica.

As mulheres que tiveram pelo menos quatro por dia tiveram 80% mais chance de ter um bebê prematuro. A associação foi a mesma em mulheres com peso normal e acima do peso.

Os investigadores não relataram o risco real de bebês prematuros em cada grupo. No entanto, um em cada oito bebês -ou cerca de 13%- nasce muito cedo. Isto significa que, se beber refrigerante diet, de fato, aumenta o risco -que primeiro deve ser confirmado por outras equipes de investigação-, uma mulher que bebe pelo menos um refrigerante diet por dia teria um risco de 17%, e cerca de 22% se bebesse quatro ou mais.

Em comunicado, o Conselho de Controle de Calorias, um grupo de empresas que produzem e distribuem alimentos de baixa caloria, chamou a pesquisa de "enganosa".

"Este estudo pode alarmar indevidamente as mulheres grávidas. Embora seja contra o peso das evidências científicas que demonstram que os adoçantes de baixas calorias são seguros para uso durante a gravidez, a pesquisa mostrou que o sobrepeso e a obesidade podem afetar negativamente os resultados da gravidez", afirmou em comunicado Beth Hubrich, nutricionista do conselho.

"Além disso, adoçantes de baixa caloria podem ajudar mulheres grávidas a apreciar o gosto de doces, sem excesso de calorias, deixando espaço para alimentos e bebidas nutritivas -algo que pode ser prejudicial tanto para a mãe quanto para o bebê em desenvolvimento."

Como apenas o refrigerante diet foi ligado ao parto prematuro, não as bebidas com açúcar, os resultados sugerem que o adoçante artificial em si poderia explicar a relação, de acordo com os pesquisadores. No entanto, eles acrescentam que outras causas possíveis para a ligação não podem ser descartadas.

Os investigadores não avaliaram adoçantes artificiais específicos e Halldorsson notou que muitas bebidas contêm mais de uma dessas substâncias químicas. Apesar disso, ele e seus colegas dizem que há evidências indiretas que liga o aspartame ao parto prematuro em animais.

O aspartame se decompõe em metanol e outras substâncias no corpo, que por sua vez podem ser convertidas em substâncias tóxicas, como formaldeído e ácido fórmico, explicaram os pesquisadores. Estudos em primatas ligaram a baixa exposição ao metanol à gravidez e complicações do parto prematuro.

Enquanto as grávidas que consomem refrigerante não devem ficar alarmadas com as conclusões, Halldorsson disse, "o que estamos avaliando merece uma atenção maior".

Segundo o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas, as mulheres que normalmente utilizam a sacarina ou o aspartame podem continuar a fazê-lo "com moderação", durante a gravidez.

Publicado em: http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/771874-consumo-de-refrigerante-diet-pode-estar-ligado-a-risco-de-parto-prematuro.shtml

quinta-feira, 22 de julho de 2010

SEGUNDA SEM CARNE

Convido a todos a participarem e divulgarem a SEGUNDA SEM CARNE.

Você que simpatiza com a ideia de não comer carne, ou mesmo que está diminuindo a quantidade, 
junte-se a muitos que em todas as partes do mundo apoiam essa importante ação.

Conheça o site SEGUNDA SEM CARNE:
http://www.svb.org.br/segundasemcarne/

Faça sua adesão através do link abaixo:

http://www.svb.org.br/segundasemcarne/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=8&Itemid=9

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Distúrbio do sono pode levar a morte


De acordo com uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira do Sono, 43% dos brasileiros sofrem de algum tipo de distúrbio enquanto dormem. A apnéia do sono é considerada um dos principais e atinge cerca de 4% das mulheres adultas e aproximadamente 9% dos homens adultos, principalmente em quem tem acima de 35 anos. Existem três tipos: a apnéia central, causada por uma rara disfunção do sistema nervoso central, neste caso a pessoa não faz nenhum esforço para respirar e por isso não há entrada nem saída de ar pelos pulmões; a obstrutiva, que acontece quando alguma região da garganta está obstruída; e a mista, no início não há esforço para respirar, mas quando a pessoa tenta não consegue porque há alguma obstrução. 

 Gerson I. Köhler, ortodontista e ortopedista-facial da Clínica Köhler Ortofacial, explica que o ronco é a demonstração sonora que indica a existência de alguma anormalidade na respiração. “Quando há obstrução da faringe o ar não chega até os pulmões, mesmo que haja o esforço respiratório. Se ocorrer o fechamento ou o colapso da faringe então ocorre a apnéia”, esclarece. Quem sofre desta síndrome não percebe, mas quando está dormindo simplesmente para de respirar. “As interrupções são breves, duram geralmente 10 segundos, e acontecem no mínimo cinco vezes a cada hora de sono. Há ainda a hipopnéia, que ao invés de interromper completamente a respiração, reduz o fluxo de ar de 30 a 50%”, acrescenta.

O ronco é o sintoma mais comum, mas não é o único. Irritabilidade, depressão, redução da libido, impotência sexual, dificuldade de concentração, problemas de memória, suor excessivo durante a noite, pressão alta e dores de cabeça pela manhã também são sinais de que alguma coisa está errada. “A sonolência diurna acontece porque a interrupção da respiração faz a pessoa acordar várias vezes durante a noite. Esta fragmentação do sono prejudica a sua qualidade e impede que ele progrida para as fases mais profundas, nas quais o descanso é maior”, ressalta Juarez Köhler, outro especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial da Clínica Köhler Ortofacial. 

A obesidade é um fator que prejudica a respiração, já que a gordura fecha o canal da faringe, órgão por onde passam os alimentos e o ar. Ela é responsável pela conexão entre o nariz e a boca e entre a laringe e o esôfago. Segundo Nilse Waltrick Köhler, fonoaudióloga e especialista em distúrbios miofuncionais da face da Clínica Köhler Ortofacial, o crescimento exagerado das amígdalas e a adenóide também podem causar esta síndrome. “A mal formação da mandíbula ou da faringe, a hipertrofia da língua, a diminuição da força dos músculos da faringe ou até mesmo a falta de coordenação dos músculos respiratórios são outros elementos que podem ser determinantes para causar a apnéia”, afirma. Os ossos da face também devem ser levados em consideração, principalmente nas pessoas que possuem o queixo e o maxilar pequenos.  
Classificada entre as doenças que mais matam no mundo, a apnéia do sono aumenta o risco de acidente vascular cerebral (AVC), infarto e causa batimentos cardíacos irregulares – chamado de arritmia cardíaca- e hipertensão arterial. Também aumenta as chances de desenvolver resistência a insulina, o que pode levar a diabetes tipo 2 e de sofrer acidentes no trabalho e de trânsito devido à da fadiga.  Segundo Gerson, a apnéia do sono diminui a qualidade de vida, principalmente devido à fragmentação do sono e a sonolência diurna. “É necessário um tratamento adequado para tratar este distúrbio e limitar os riscos de desenvolver estas doenças. O diagnóstico pode ser feito através da polissonografia, exame que permite testar durante o sono os potenciais elétricos da atividade cerebral, dos batimentos cardíacos, os movimentos dos olhos, a atividade muscular, o esforço respiratório, a saturação de oxigênio no sangue, entre outros parâmetros”, conclui.
Doutor Gerson Köhler (CRO 3921 – PR)
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial
Fone: 41 3224.4883
Endereço: Rua Comendador Araújo, 143, conj. 42, Centro, Curitiba/PR.

Liberado para Celíacos



Comprometida com a missão de garantir alimentos saudáveis e saborosos do campo à mesa do consumidor, a Urbano amplia a lista de alimentos permitida para celíacos –pessoas com resistência a glúten -   disponibilizando nos principais supermercados brasileiros Macarrão Urbano, produzido a partir do arroz, e Farinha de Arroz Urbano, uma opção deliciosa para empanar, preparar bolos, nhoques, pão e muitos outros alimentos deliciosos.

O Macarrão Urbano, produzido a partir da farinha de arroz, é uma saborosa opção para celíacos e para consumidores que cuidam da saúde e evitam o aumento do peso. O sabor e a consistência é a mesma do macarrão de trigo, porém o amido resistente do arroz oferece energia gradual ao organismo, que digerido lentamente, prolonga a sensação de saciedade e em quantidades balanceadas contribui para o controle do peso.

Um bolo, um nhoque, um frango empanado e muitas outras delicias podem ser incluídas na lista de alimentos dos celíacos e dos que buscam uma alimentação saudável quando preparadas com a Farinha de Arroz Urbano. Os empanados com este produto ficam mais crocantes, sequinhos e menos calóricos, pois absorvem menos gorduras que os outros tipos de farinha.

Para facilitar algumas receitas deliciosas com o Macarrão e com a Farinha Urbano estão disponíveis no site www.urbano.com.br .

terça-feira, 13 de julho de 2010

MOVIMENTO DE DEFESA ANIMAL

Com as eleições se aproximando falsos amigos dos animais estão de olho no nosso voto.  CUIDADO!!!