segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Como controlar o suor excessivo.

Republicando uma antiga mas super útil postagem!
Antigamente eu suava demais nos pés, chegava até forrar os sapatos. Mas a partir do momento em que aprendi a equilibrar a alimentação, principalmente através da macrobiótica o excessivo suor nos pés desapareceram. Então se tem esse problema, recomendo que leia sobre a macrobiótica e passe a usar algumas de suas orientações. Mas como regra geral procure usar produtos integrais, não use ou use um mínimo de farinhas refinadas e açucares, tome chá verde e somente beba água quando tiver vontade e com PH acima de 7, jamais beba refrigerantes nem consuma produtos enlatados, embutidos e artificiais.





O suor é considerado um problema?
Nós os mamíferos absorvemos líquidos e precisamos eliminá-los. Este equilíbrio é auxiliado pela evaporação através da pele chamado suor que tem a função de manter  estável a temperatura do organismo em torno de 36 a 36,5ºC.
Quando o excesso de transpiração ocorre chamamos de Hiperidrose.
O excesso de suor geralmente é relatado pelos pacientes, pois é desagradável para que possui e para quem está perto afirma Dr Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que trata a hiperhidrose com botox e em casos excessivos indica a cirurgia.
Dr Alderson relata que há escalas próprias (sudorímetros) de medição, mas elas somente são utilizadas em trabalhos científicos e 1% a 2,5% da população que têm doença de suor excessivo, isto é , hiperidrose.
As partes do corpo mais afetadas são as mãos (hiperidrose palmar), os pés (hiperidrose plantar) e axilas (hiperidrose axilar), e ela ainda pode se manifestar na face e no couro cabeludo (hiperidrose crânio-facial).


Como controlar a transpiração?

As causas do suor em excesso são desconhecidas, sabe-se que a quantidade da transpiração é uma característica individual ligada a raça (devido ao número e tamanho das glândulas sudoríparas- fatores genéticos) condições como temperatura e umidade externas, atividade física (metabolismo), fatores psicológicos, além do consumo de álcool, cafeína, drogas ilícitas ou medicamentos, doenças específicas como obesidade, menopausa, alterações endócrinas ou neurológicas (disfunções do sistema nervoso) também causam hiperidrose.
Não bastasse o excesso de suor, pode ocorrer o excesso de odor ou odor desagradável chamado bromidrose causando problemas estéticos e sociais.

Existe mais de um tipo de transpiração?
As glândulas écrinas são responsáveis pelo suor fluído, e geralmente inodoro e de distribuição mais generalizada As glândulas écrinas são encontradas principalmente na testa, palma das mãos e sola dos pés e excretam principalmente água e sais.
As apócrinas surgem após a puberdade e se restringem às axilas, regiões periumbelical, anogenital, perimamilar, prepúcio, escroto, na testa, palma das mãos e sola dos pés, e produzem uma secreção de aspecto leitoso, sem odor ou de odor suave.
Glândulas sudoríparas apócrinas contém água, gordura e resíduos de nosso metabolismo corporal: Lipofucsina. A maioria dessas glândulas é desencadeada por emoções.
O cheiro característico das regiões axilares são mais evidentes por causa da flora bacteriana local. Nós pés, há ainda a umidade, que pode ser muito incômoda e de difícil controle.

Para controlar o cheiro característico da sudoreseee nada melhor que o desodorante. Há dois tipos de desodorantes: os desodorantes antiranspirante e os antiperspirante: Ambos combatem o odor característico da transpiração, porém o antiperspirante reduz a sudorese e o antiranspirante não.
Após a depilação deve-se ter cuidado com os desodorantes para não causar alergia. O recomendado são produtos suaves evitando-se aqueles que contenham álcool etílico.
Existe uma variedade de produtos, são spays, cremes, sticks e roll-nos, para peles sensíveis.

Desodorante Antiperspirante:  Minimiza a quantidade de suor eliminado. Essa redução na umidade da área diminui a chance de proliferação das bactérias. Existe, porém, o risco de obstrução dos poros e inflamação da glândula. Algumas pessoas podem apresentar, ainda, irritação a componentes derivados do alumínio, como hidróxido e cloridróxido de alumínio. 

DESODORANTE:
 Não regula a transpiração, no entanto, conta com ingredientes anti-sépticos, que inibem o crescimento de bactérias na região. A princípio, isso elimina o mau cheiro causado pelos microorganismos. Há versões sem perfume e com aromas variados – basta escolher a que mais lhe agrada. Se apresentar algum tipo de alergia ou qualquer outra reação, substitua por outra disponível no mercado
.

O suor tem cor?
Há também casos em que o suor chega a provocar manchas nas roupas, na área das axilas, pois o suor tem a cor alterada. A isto se chama de CROMIDROSE.
A cromidrose é o suor colorido (azulado, amarelo, preto, vermelho ou sangüíneo), geralmente ocorre nas axilas por pigmentos endógenos (lipofucsina, medicamentos, doenças hemorrágicas e escorbuto) ou são de origem exógena pela ação de bactérias cromogênicas, tipoCorynebacterium.

Por que o suor mancha as roupas? O que fazer para evitar e tirar as machas?
O que mancha a roupa não é o suor, mas os sais de alumínio e derivados que contém os desodorantes antitranspirantes, inclusive um dos possíveis causadores do câncer de mama. 
Manchas amareladas de suor podem ser retiradas com sumo de limão. Coloque sobre a blusa seca e deixe por um tempo. Depois, coloque-a de molho com sabão em pó no máximo por 3 horas, pois após este período o sabão em pó perde o efeito. outra dica é eliminar manchas de suor de roupas, esfregando-as com uma solução igual de álcool e amoníaco.


O uso continuo de antitranspirantes faz mal à saúde? Se sim, por qual produto substituir?
Os sais de alumínio e derivados que contém os desodorantes antitranspirantes, são um dos possíveis causadores do câncer de mama. O recomendado são produtos suaves evitando-se aqueles que contenham álcool etílico.


Por que a transpiração tem mal cheiro? Como diminuí-lo?
Formado por 99% de água, nele também encontramos alguns sais minerais, cloreto de sódio, e substâncias tóxicas como a ureia que, apesar da pequena quantidade, é responsável pelo cheiro desagradável. 
Podemos diminuir a transpiração com a aplicação de botox.

Complementando as questões:

Considerado um dos procedimentos não cirúrgicos mais realizados no Brasil, o botox também é usado no tratamento da hiperidrose
O suor excessivo além de ser desagradável, pode comprometer a vida pessoal, profissional e afetiva de quem sofre com o problema. A hiperidrose atinge 1% da população mundial e ocorre devido à hiperatividade das glândulas sudoríparas e pode ser influenciada por fatores como exercícios físicos, temperatura e ansiedade. A doença é classificada como primária, quando é desencadeada na infância e aumenta na adolescência , ou secundária, quando surge a partir de tumores, lesões, distúrbios psiquiátricos, entre outras causas.
Segundo o cirurgião plástico Alderson Luiz Pacheco, um dos tratamentos utilizados com sucesso para amenizar a hiperidrose é a aplicação de toxina botulínica. “A substância pode ser utilizada no tratamento de rugas na face, pescoço envelhecido, assimetrias, espasmos e paralisias faciais, além de ajudar nos casos de hiperhidrose e bromidrose (suor com cheiro desagradável)”, afirma. 
A doença afeta principalmente as mãos, pés, axilas e o rosto, mas pode se manifestar em outras partes do corpo. O incomodo é grande, já que a pessoa sempre tem que estar lavando as mãos e não consegue esconder a transpiração que deixa as roupas molhadas. Pacheco explica que é possível aplicar o botox nas mãos, axilas e em outros locais. “O tratamento elimina completamente o suor, mas não é definitivo. A reaplicação varia de acordo com o paciente e ela pode ser feita a cada seis ou 12 meses”, ressalta.
A vantagem do botox é que para realizar o procedimento não é necessário internação e o paciente pode voltar as suas atividades no mesmo dia. “A hiperidrose também pode ser tratada através de uma cirurgia chamada de Simpatectomia. Apesar do resultado ser definitivo, há riscos de complicações irreversíveis. Já o botox não apresenta efeitos colaterais”, esclarece. 
A substância age como um bloqueador do estímulo constante nas glândulas sudoríparas que provoca o excesso de suor. “O nervo volta ao normal e não há mais a passagem do estímulo. Após um período de tempo da aplicação do botox, o nervo volta a se religar a glândula e o estímulo retorna, ocasionando suor excessivo novamente. Conforme são feitas as aplicações, a intensidade da hiperidrose vai diminuindo e o paciente demora cada vez mais para fazer o procedimento novamente”, acrescenta Pacheco.
O cirurgião explica ainda que a aplicação é simples e não exige muitos cuidados  antes nem depois. O paciente recebe anestesia local e o profissional aplica a toxina na pele das regiões atingidas. “A técnica dura cerca de 40 minutos nas mãos e 20 nas axilas. Antes da aplicação é necessário apenas fazer higiene do local que será tratado com sabonete. No caso das mãos é recomendado evitar poeira e sujeiras como graxa por um ou dois dias após a aplicação”.