quarta-feira, 2 de março de 2011

Zumbido: o que é e suas principais causas’

Na próxima sexta-feira (04) será realizado o primeiro encontro de 2011 do Grupo de Apoio a Pessoas com Zumbido de Curitiba (GAPZ), no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba. O encontro tem como tema ‘Zumbido: o que é e suas principais causas’ e a palestrante será Rita de Cassia Guimarães, otorrinolaringologista, otoneurologista e coordenadora do grupo. “Mais uma vez estaremos reunindo profissionais de diferentes áreas, como a fonoaudiologia, a psicologia, a fisioterapia, a otorrinolaringologia e a odontologia para falar sobre este sintoma que atinge mais de 28 milhões de brasileiros”, afirma o ortodontista e ortopedista facial Gerson Köhler, que também faz parte do grupo.

De acordo com Köhler, o zumbido é caracterizado como um som que não existe no meio externo, mas que é percebido nos ouvidos ou na cabeça. “O zumbido não é uma doença e sim um sintoma de que algo está errado. Existem várias causas diferentes para o problema e sua origem pode estar relacionada a um ou mais sistemas ou partes do corpo simultaneamente. Por isso o tratamento multidisciplinar é tão importante para minimizar os desconfortos causados pelo zumbido, devolvendo a saúde, a vida e a auto-estima dos portadores”, explica o ortodontista.

Rita de Cassia esclarece que o sinal sonoro percebido pelo paciente pode se manifestar de diversas formas, como cachoeira, apito, abelha e até mesmo grilo. “Geralmente é originado por alterações da nossa audição, mas possui diversas causas. Danos nas células sensoriais da audição, doenças do labirinto, alterações craniofaciais e ou cervicais, e alterações vasculares ou musculares também são causas frequentes de zumbido. Alterações no colesterol, ruídos intensos e até mesmo o envelhecimento pode causar doenças do labirinto, que por sua vez podem causar zumbido”, destaca.

No caso de alterações craniofaciais ou cervicais, o paciente pode se queixar de outros sintomas além do zumbido, como dores de cabeça, apertamentos de dentes e bruxismo. “Por este motivo as questões odontológicas também estão intimamente ligadas ao zumbido, já que elas podem ser a causa ou um fator que piora o quadro. Dependendo do caso é possível minimizar o problema, mas não eliminá-lo. O mais importante é dar o primeiro passo e consultar um médico otorrinolaringologista, que após descartar problemas na estrutura interna do ouvido encaminhará o paciente a outras especialidades”, observa.

Segundo Rita de Cassia, quanto mais se aprende sobre o zumbido, maior a chance de melhorar. “O GAPZ está se tornando cada vez mais importante, já que estimula a propagação de informações sobre o problema. Por isso reunimos nossos conhecimentos e sempre nos mantemos atualizados para esclarecer as dúvidas, compartilhar informações e explicar tudo sobre o zumbido nas reuniões do GAPZ”, acrescenta.



GAPZ

O Grupo de Apoio a Pessoas com Zumbido de Curitiba (GAPZ) tem a missão de informar e atualizar as pessoas sobre o que é, as causas, consequências e tratamentos para o zumbido, visando melhorar a qualidade vida e dar esperança a quem sofre com o problema.

As palestras contam com especialistas de diversas áreas como médicos otorrinos, odontologistas, fonoaudiólogos, psicólogos e fisioterapeutas, que dão orientações e esclarecem as dúvidas dos presentes.

Os encontros do GAPZ acontecem todas as primeiras sextas-feiras do mês, no 5º andar do anexo B do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, a partir das 14 horas. O evento é aberto para qualquer pessoa, a entrada é gratuita e quem quiser colaborar pode fazer a doação de um produto de higiene pessoal. Mais informações sobre o próximo encontro podem ser obtidas através do fone (41) 3225-1665.

Serviço: Grupo de Apoio a Pessoas com Zumbido

Próximo encontro: 04 de março de 2011

Tema: Zumbido: o que é e suas principais causas.

Palestrante: Rita de Cassia Guimarães, otorrinolaringologista, otoneurologista e coordenadora do grupo.

Horário: a partir das 14h

Local: 5º andar anexo B do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná

Agendamento de presença e mais informações: (41) 3225-1665

Entrada livre