terça-feira, 3 de maio de 2011

Fragmentos



Sou fragmento do vento.
Que acaricia a face,
Que desalinha o cabelo,
Que sopra sem cessar,
Que muda com o tempo,
Que se agita e destroi,
Que tomba a embarcação,
Que uiva nos morros,
Que assusta aos tolos.
Sou fragmento do vento,
Sou sopro de vida,
Dos pulmões para as narinas.
Sou fragmento do mar,
Com águas salgadas,
Com calmarias intensas,
Com tempestades de arrasar,
Com ondas imensas.
Sou fragmento do mar,
Com brisas refrescantes,
Com marés carinhosas,
Sou fragmento do mar.
Que me corre nas veias,
Que excreto nos poros,
Que transbordo nas lágrimas.
Sou fragmento de ti,
Que como o vento e o mar,
Acaricia,
Agita,
Assusta,
Acalma e
Refresca
Como o vento e o mar,
Es parte de mim.