segunda-feira, 18 de julho de 2011

ÁLCOOL NÃO COMBINA COM TRÂNSITO E COM VIDA


Fonte : DETRAN
Os estudos mais recentes mostram que em 61% dos acidentes de trânsito, o condutor havia ingerido bebida alcoólica. Uma capacidade indispensável ao motorista é prejudicada pelo consumo de bebida alcoólica: a percepção. O condutor que insistir em se embebedar e depois dirigir, corre o risco de sofrer diminuição dos reflexos e terá predisposição a acidentes de todo o tipo – que podem ir de um tropeço a um acidente automobilístico.

Por isso, é muito importante que se tenha sempre em mente que BEBIDA E ÁLCOOL não combinam. É de mau gosto. É contra a vida. Sabe o que as estatísticas mostram como resultado dessa mistura? 28 mil mortos por ano e 199 mil feridos. Geralmente quem bebee acha que tem condições de dirigir pensa que o álcool não influencia em sua habilidade como motorista. É comum ouvir que a ingestão do álcool em doses determinadas não altera os efeitos psicológicos. Isso é falso pois muitas vezes o indivíduo ingere uma pequena dose e o efeito acaba sendo idêntico a ingestão de uma grande dosagem alcoólica.


EFEITOS DO ÁLCOOL NO ORGANISMO
Digestivos – gastrite, vômitos fáceis, hemorragia gástrica ou intestinal

Hepáticos- hepatite alcóolica, figado gorduroso, pele amarela, cirrose hepática.

Respiratórios- laringe, bronquite, efisema pulmonar, falta de ar ao falar ou subir escadas

Cardíacos- doença do miocárdio com alterações circulatórias sob os efeitos tóxicos do álcool, aumenta o trabalho cardíaco, provoca o aumento dos batimentos cardíacos.

Neurológicos- lesão etílica cerebral, diminuição da coordenação motora, delírios e confusão mental, inflamações dos nervos, doenças dos músculos, demência progressiva, falta de apetite, diminuição da glicose sanguínea, inflamação do pâncreas.
Punições para quem dirige embriagado