segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Dia Nacional de Combate ao Câncer visa à conscientização da população sobre o assunto

Dia Nacional de Combate ao Câncer visa à conscientização da população sobre o assunto

O oncologista André Sasse retoma os temas mais relevantes ligados à prevenção
Celebrado no dia 27, o Dia Nacional de Combate ao Câncer, tem como um dos objetivos proporcionar importante mobilização popular quanto aos aspectos educativos e sociais na luta contra essa doença. O oncologista André Deeke Sasse, do Instituto do Radium de Campinas e do Centro de Evidências em Oncologia da Unicamp (Cevon), complementa que essa data é muito importante para retomar as principais maneiras de se prevenir o câncer. “Os tratamentos estão muito avançados, mas ainda assim a prevenção é o melhor remédio”, afirma.
O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) elenca 10 atitudes que ajudam a ter uma vida mais saudável. A primeira delas é evitar fumar, já que são liberadas cerca de 4.700 substâncias tóxicas e cancerígenas que são inaladas por fumantes e não fumantes. Uma ressalva também para o uso do Narguilé, que também é extremante prejudicial, uma hora de uso do produto equivale a fumar 100 cigarros. Na sequência estão itens como ter uma alimentação saudável, fazer 30 minutos diários de atividade física, evitar a ingestão de bebidas alcoólicas, evitar exposição ao sol no período das 10h às 16h. “São atitudes que colaboram não somente em evitar o câncer, mas em ter uma vida mais saudável e esses conselhos deveriam fazer parte da rotina de cada indivíduo”, explica Sasse.
Além dessa receitinha de uma vida melhor, o médico adverte que há exames específicos que devem ser realizados ao longo da vida, a fim de qualquer alteração ser diagnosticada logo no início e combatida. É recomendável que mulheres acima de 40 anos realizem mamografia e os homens a partir dos 50 anos o exame de próstata. “São exames que devem ser encarados como rotina, eles fazem um diagnóstico precoce, possibilitando que os tratamentos tenham resultados positivos”, analisa André.
Como falado anteriormente os tratamentos estão cada vez mais eficientes, mas os números ainda assustam. A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez uma projeção de 27 milhões de novos casos de câncer para o ano de 2030 em todo o mundo, e 17 milhões de mortes pela doença. Os países em desenvolvimento serão os mais afetados, entre eles o Brasil. E de acordo com Estimativa 2012 – Incidência de Câncer no Brasil realizada pelo INCA e válida para o biênio 2012-2013 para o sexo masculino o câncer de próstata permanecerá como o mais comum, seguido pelo de pulmão, cólon e reto, estômago, cavidade oral, laringe e bexiga. Já entre as mulheres, a glândula tireoide, de modo inédito, aparece no quinto lugar geral, atrás do câncer de pele não melanoma, mama, colo do útero, cólon e reto. Na sequência, vêm os tumores de pulmão, estômago e ovário.
Sasse comenta que essas estimativas são muito importante para os profissionais da área oncológica. “Conseguimos planejar as políticas públicas de combate ao câncer e no meu caso faço revisões de estudos publicados anteriormente, sempre atento a novos medicamentos para o câncer de maior incidência”, explica.