segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Cardiologista do HCor alerta sobre o consumo de bebidas alcoólicas nas festas de final de ano



Especialista alerta para a influência do álcool em doenças do coração e dá dicas de como aproveitar as comemorações sem colocar a saúde em risco. Estudo canadense diz que consumo moderado reduz em até 25% risco de desenvolver doenças cardíacas
O mês de dezembro é marcado pelas comemorações de final de ano. São festas empresariais, encontros com a família, amigo secreto, entre outras confraternizações, que são um convite para o consumo abusivo de comidas gordurosas e bebidas alcoólicas. É possível, porém, aproveitar todas essas comemorações, mesmo com bebidas alcoólicas, sem colocar em risco a saúde.

Estudo realizado na Universidade de Calgary, no Canadá, mostrou que pessoas que bebem moderadamente tem 25% menos chances de desenvolver problemas cardíacos. Outro estudo, realizado na mesma universidade, considera que o consumo moderado de bebidas alcoólicas aumenta significativamente os níveis de colesterol considerado bom, criando um efeito protetor contra doenças cardíacas.
Para ter esse efeito benéfico, porém, o indicado é o consumo de no máximo uma dose de 40ml de bebida destilada (vodka, uísque, cachaça), 150 ml de vinho ou, no máximo, uma lata de cerveja (335ml).

De acordo com o supervisor de cardiologia do HCor – Hospital do Coração, em São Paulo, Dr. Ricardo Pavanello, o consumo em excesso de bebidas alcoólicas aumenta os níveis de triglicérides no sangue. No caso de bebidas destiladas, o malefício pode ser ainda maior, já que seu consumo em doses elevadas e por período prolongado, pode causar danos ao músculo do coração. Outro órgão bastante afetado pelo excesso de álcool no organismo é o fígado, trazendo mal-estar, vômitos e, em casos mais extremos pode ocasionar até o coma alcoólico.
“Consumidores de álcool em excesso podem sofrem efeitos tóxicos no músculo cardíaco (miocárdio), causando arritmias cardíacas e, com o tempo, pode ocorrer uma queda do rendimento do coração devido a miocardiopatia alcoólica”, explica Pavanello.

Segundo pesquisas, o vinho tinto, em especial, por ser rico em flavonóides que ajudam na diminuição do acúmulo de placas de gordura, podendo reduzir a possibilidade de um infarto. A bebida contém ainda outro grupo de substâncias químicas, os polifenóis, que atuam numa enzima vaso-protetora presente no coração que sintetiza o óxido nítrico, outro relevante elemento que ajuda a estabilizar o endotélio, camada fina de células que reveste as artérias do coração.

Nível de álcool encontrado nas bebidas:
Bebidas (Dose) Nível de álcool na bebida Calorias por bebida
1 lata de cerveja 17 gramas 144 calorias
1 copo de chope 10 gramas 126 calorias
1 taça de vinho 10 gramas 90 calorias
1 dose de destilado 25 gramas 100 a 110 calorias

Dicas para combater e evitar a ressaca:
* Tomar água entre um copo e outro de bebida alcoólica;
* Evitar doces, frituras e carnes muito gordurosas. Esses tipos de alimentos sobrecarregam o fígado, o que pode contribuir ainda mais para a sensação de desconforto causada pelo excesso de bebida alcoólica;
* No dia seguinte, hidratar-se bastante. Sucos com folhas verdes e gengibre contribuem para minimizar os efeitos da ressaca;
*Limão, maçã, beterraba, folhas verdes e cenoura são alguns alimentos que ajudam no processo de desintoxicação.