Seguidores

segunda-feira, 29 de abril de 2013

DÚVIDAS SOBRE O SEU ANIMAL?


Os prós do parto normal


Apesar da taxa nacional de cesárea ser a maior do mundo, o Amparo Maternal mostra os benefícios do parto normal e explica porque os países desenvolvidos estão na nossa frente quando o assunto é nascimento.

Chegada a hora de ser mãe, a primeira principal decisão que a gestante toma em relação ao seu filho é o tipo de parto. No Brasil, o parto transformou-se em sinônimo de cirurgia, a conhecida cesárea. Mas o recomendado pelo Ministério da Saúde é o parto normal. Normalmente, a mulher associa o parto normal a dor. Mas existe outro lado deste tipo de parto que somente as mulheres com visão mais ampla têm o prazer de vivenciar: o vínculo entre a mãe e o bebê.

O Ministério da Saúde determina que os estabelecimentos que prestam serviço ao Sistema Único de Saúde (SUS) devem ter apenas 30% dos partos operatórios. Relatório global do UNICEF (Situação Mundial da Infância 2011) mostrou que a taxa de cesárea no Brasil é a maior do mundo, de 44% (de 2005 a 2009). O Amparo Maternal, maternidade filantrópica localizada em São Paulo, foge das estatísticas nacionais, uma vez que cerca de 80% dos partos realizados na instituição são normais.

A supervisora de enfermagem do Amparo Maternal, Camila Bellão, defende que o parto normal é uma forma da mulher ser a protagonista do próprio parto. Mais do que um momento mágico, a especialista em obstetrícia acredita que este tipo de parto é um processo natural do organismo da mulher e possui menor risco de infecção, hemorragias, além de trazer benefícios para a mãe e bebê. “O parto normal, na maioria das vezes, ocorre quando o bebê já está preparado para nascer, ou seja, já possui maturidade pulmonar adequada. Mais do que isso, o processo normal aumenta o vínculo entre mãe e bebê, que é aumentado ainda mais após o nascimento”, conta.

De acordo com Camila, ainda existem muitos medos e mitos em relação ao parto normal que favorecem o aumento do número de cesáreas, principalmente no que tange a dor. “Mas existem métodos não farmacológicos para o alívio da dor, como por exemplo, banho terapêutico, massagens, entre outros”, contrapõe. Entretanto, a enfermeira avalia que a melhor forma da gestante se preparar para o parto normal é se informar sobre o assunto. “Uma forma interessante e adequada é através da realização de um curso de gestantes, onde são abordados todos os temas sensíveis. No Amparo Maternal, são oferecidos cursos gratuitos mensais”, reforça.

Um dos principais medos das gestantes que chegam ao Amparo Maternal é se o parto normal alarga o canal vaginal e a recuperação do corte de períneo. “A episiotomia, conhecida como corte no períneo, é feita na minoria dos casos, quando se faz necessário para a passagem do bebê. Sua recuperação é rápida e não impede as atividades e rotinas diárias. Assim como o corpo da mulher se adapta à gestação, o canal vaginal também se prepara para o momento do parto com sua elasticidade e retorna à sua anatomia após este processo”, esclarece.

Sobre o Amparo Maternal
Há 73 anos, o Amparo Maternal é uma maternidade filantrópica que atua com Saúde e Assistência Social, atendendo exclusivamente aos sistemas públicos na cidade de São Paulo. O complexo hospitalar disponibiliza atendimentos de urgência obstétrica, serviços ambulatoriais, internação e Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e o Centro de Acolhida assiste às gestantes, mães e bebês em situação de vulnerabilidade e risco social.

sábado, 27 de abril de 2013

28 de abril - Dia Mundial da Saúde e Segurança do Trabalho


Nota do Blog: Publico essa postagem em homenagem ao grande amigo Taciano, detentor de 2 franquias da Casa do Construtor, sendo uma em Cotia e outra em Vargem Grande. 
Há 3 anos ele virou a mesa e adquiriu a primeira franquia. Sendo o profissional que é, o resultado não poderia ser outro, ou seja um sucesso!


 
Valorizando a vida do trabalhador da construção civil: Casa do Construtor mantém ações diversificadas para disseminar a importância da segurança

Jornada de Segurança na Construção Civil, Comitê para avaliação de equipamentos, palestras, distribuição da NR18 e oferta de equipamentos que seguem as normas de segurança são algumas das ações da rede
No dia 28 de abril é celebrado o Dia Mundial da Saúde e Segurança do Trabalho. A ocasião é uma boa oportunidade para refletir sobre o tema: segundo o Ministério da Previdência, mais de uma morte acidental de trabalhadores da construção civil é registrada por dia em canteiros de obras espalhados pelo Brasil. É um número subestimado, uma vez que leva em conta apenas os trabalhadores com registro em carteira – e cerca de 40% dos colaboradores de obras são considerados informais.

“Não podemos nos resignar diante de situação tão alarmante”, afirma Expedito Arena, engenheiro civil e sócio-diretor da Casa do Construtor, rede pioneira no Brasil em aluguel de equipamentos para a construção civil. “Apesar de a economia estar aquecida, do mercado estar gerando vários empregos e diminuindo a informalidade, ainda se vê muito descaso com relação à segurança e todos devem se mobilizar”.
É o que a Casa do Construtor procura fazer. Todos os equipamentos disponíveis para locação nas 160 lojas espalhadas pelo Brasil obedecem às normas de segurança e são adquiridos de fornecedores homologados. “Eles são testados e revisados antes de cada locação”, completa Arena.

Ainda com relação a equipamentos, todos saem da loja com um manual de instruções ilustrado – que traz informações sobre o equipamento, dados técnicos e instruções de montagem. O locatário assina um protocolo para atestar que foi devidamente instruído sobre o manuseio.

A rede também mantém um Comitê de Produto, composto por franqueados, que avaliam os equipamentos do mix das lojas. “Já chegamos a propor modificações aos fornecedores com base em nossa experiência com o cliente. Entendemos que é também nosso papel”, revela o franqueador.

Eventos – A Casa do Construtor, com recursos próprios, imprime e distribui a NR-18, que reúne as condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção. E mantém uma equipe para dar palestras e cursos sobre segurança e os equipamentos que disponibiliza nas lojas.

O grande investimento, no entanto, é a Jornada de Segurança na Construção Civil – cuja sexta edição aconteceu no dia 25 de abril na cidade de Atibaia, em São Paulo. Na ocasião, especialistas de renome nacional – como o auditor fiscal do Trabalho, o engenheiro Antonio Pereira Nascimento; o engenheiro civil Haruo Ishikawa, vice-presidente do Sinduscon/SP; e o engenheiro civil e de segurança do Trabalho, Rogério Eduardo Ferreira – falaram sobre as alterações da NR-12, NR-18 e NR-35, trabalho em altura e como as construtoras podem lucrar praticando as normas de segurança. “Sentimos que quem trabalha com construção civil é sedento por novidades. E sta é a razão pela qual promovemos as Jornadas: em conjunto com todas as outras ações que desenvolvemos em prol da segurança, temos como intenção mostrar ao mercado que valorizamos a vida como o bem mais precioso que existe”.

Sobre a Casa do Construtor
Pioneira no segmento de aluguel de equipamentos para construção civil, a rede Casa do Construtor está no mercado há vinte anos. Atualmente, conta com 160 lojas no Brasil e tem como meta fechar o ano de 2013 com 270 unidades.
A rede vem se destacando no mercado não só pela qualidade dos seus serviços, mas por sua gestão moderna – que inclui práticas que são destaque em grandes empresas. É Empreendedora Endeavor desde 2011, parceria que vem colaborando para a profissionalização, valorização da marca e crescimento. Todo este investimento se traduz em um alto índice de satisfação dos franqueados e em prêmios: “Em 2010, recebemos o prêmio de melhor franquia do Brasil, segundo a revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios. Em 2011, fomos eleitos Empreendedores Endeavor e ganhamos o Prêmio Eco do jornal Valor Econômico e da Câmara de Comércio Americana (Amcham). Em abril de 2012, ganhamos o prêmio da ABF Destaque Franchising na categoria Franqueador por ter mos sido eleitos a melhor franqueadora do ano. No mesmo ano, recebemos o prêmio Afras, na categoria Líder Sustentável. Tudo isso nos dá muito orgulho e mostra que estamos no caminho de um crescimento sustentável”.

Em 2013, mais reconhecimento: “Ganhamos mais um Selo de Excelência em Franchising – chancela que nos é concedida desde 2004. E fomos incluídos, pela Bittencourt Consultoria, num seleto grupo de 25 franqueadoras, consideradas as melhores do Brasil”, completa Altino Cristofoletti Junior, sócio-franqueador da marca.

Numa unidade da Casa do Construtor, profissionais que atuam na construção civil, construtoras e pessoas comuns que estejam executando uma reforma em sua casa, por exemplo, podem locar equipamentos de pequeno e médio portes – ferramentas elétricas, rompedores; compactadores, betoneiras, painéis e acessórios para andaimes etc. “O grande diferencial, além de preço e comodidade, é que todos os equipamentos obedecem às normas de segurança e são adquiridos de fornecedores homologados. Oferecem segurança, economia e rapidez para quem os usa”, reforça Arena. “Eles saem da loja revisados e o locatário recebe todas as instruções de como manuseá-los”.

O investimento médio para a abertura de uma unidade da Casa do Construtor é de a partir de R$ 450 mil (sem ponto comercial). Segundo Cristofoletti, que recomenda a abertura de franquias em localidades com mais de 100 mil habitantes, o negócio é bastante rentável, mas requer dedicação do franqueado. “E nós, da franqueadora, também fazemos muito investimento em prol da rede”.
Site: www.casadoconstrutor.com.br


CISA alerta sobre a associação entre o uso de bebidas alcoólicas e a hipertensão arterial


O Centro de Informações sobre Saúde e Álcool – CISA oferece dados sobre a associação entre o uso de bebidas alcoólicas e a hipertensão arterial, considerando a proximidade do Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, comemorado no dia 26 de abril.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são responsáveis por cerca de 17 milhões de mortes por ano (um terço do total de mortes); destas, 9,4 milhões são decorrentes de complicações associadas à hipertensão arterial.

Devido às consequências negativas relacionadas à hipertensão arterial, esta foi tema do Dia Mundial da Saúde, comemorado no último dia 7. Estima-se que seja responsável por pelo menos 45% das mortes por doença cardíaca e 51% das mortes por acidente vascular cerebral. Entre os fatores de risco associados à hipertensão, destacam-se: alimentação pouco saudável, tabagismo, sedentarismo, diabetes, obesidade, entre outros. Em relação ao uso de bebidas alcoólicas, estudos mostram que a substância pode tanto trazer prejuízos como benefícios associados à hipertensão.

Quando consumido excessivamente, o álcool pode levar a aumento da pressão arterial. Em contrapartida, quando consumido regularmente em pequenas doses pode diminuir o estresse oxidativo e exercer um efeito vasodilatador endotelial, proporcionando uma potencial diminuição da pressão arterial em indivíduos que possuem diagnóstico de hipertensão.

Contudo, os mecanismos desses efeitos ainda não estão claros, e por isso é sempre recomendável que o indivíduo certifique-se com seu médico sobre a possibilidade de consumir álcool, mesmo que em pequenas quantidades.

Por fim, a OMS estabelece que não existe um nível considerado “seguro” para o consumo do bebidas alcoólicas; no entanto, para evitar prejuízos à saúde como um todo, o consumo relacionado ao baixo risco de desenvolvimento de problemas é de até duas doses por dia para homens e uma dose por dia para mulheres. Os homens não devem ultrapassar o consumo de três doses diárias de álcool e as mulheres duas doses diárias, sendo que tanto homens quanto as mulheres não devem beber por pelo menos dois dias na semana. Em alguns casos, como por exemplo para menores de 18 anos, gestantes, pessoas em uso de medicamentos cujos efeitos possam ser alterados pelo uso concomitante de bebidas alcoólicas, entre outros, o uso do álcool é inaceitável.
Sobre o CISA
O Centro de Informações sobre Saúde e Álcool – CISA, organização não governamental criada em 2004 pelo psiquiatra e especialista em dependência química Dr. Arthur Guerra de Andrade, é, hoje, a maior fonte de informações no País sobre o binômio saúde e álcool. Por meio de seu website (www.cisa.org.br), a ONG disponibiliza um banco de dados que tem como base publicações científicas reconhecidas no cenário nacional e internacional, em dados oficiais (governamentais) e na informação de qualidade publicada em jornais e revistas destinados ao público geral, estudantes, profissionais de saúde, pesquisadores e empresas sobre o álcool e suas relações com o corpo, a mente e a sociedade.
O CISA acredita na importância do rigor ético e na transparência de suas ações no que diz respeito à obtenção e divulgação de conhecimento atualizado e imparcial na área de saúde e álcool, e prontifica-se a colaborar com políticas públicas que abordem o tema de forma eficaz. Também está comprometido com o avanço do conhecimento nessa área e encoraja a adoção de medidas para prevenir o uso nocivo de álcool e suas consequências, por meio de parcerias e elaboração de materiais educativos e de prevenção.
Para mais informações, acesse o site www.cisa.org.br ou os perfis da organização nas mídias sociais: http://www.facebook.com/pages/CISA e no Twitter @CISA_oficial.

América Latina terá 17 milhões de casos de câncer até 2030

 Um relatório produzido por especialistas da revista "Lancet Oncology" que será apresentado hoje em um seminário em São Paulo mostra que a América Latina não está pronta para lidar com o crescimento dos casos de câncer.
A equipe, liderada pelo médico Paul Goss, da Universidade Harvard, mostra que os casos de câncer na região devem somar 17 milhões até 2030, com 1 milhão de mortes por ano previstas.
Apesar de ainda ter uma incidência menor de câncer do que os EUA e a Europa, a América Latina tem maior mortalidade pela doença do que as outras regiões.
Na América Latina, há 163 casos de câncer por 100 mil habitantes e 13 mortes a cada 22 casos. Nos EUA, são 13 mortes a cada 37 casos.

Um dos grandes motivos para a diferença é o estágio no qual os tumores são detectados. Nos EUA, 60% dos casos recebem diagnóstico já no início da doença, o que acontece só em 20% dos casos no Brasil e 10% no México.
De acordo com Paul Goss, uma das explicações para a falta de diagnósticos precoces é o fato de os países da América Latina terem concentrado esforços e investimentos na prevenção e no tratamento de doenças infecciosas. "A aplicação de recursos em doenças como o câncer não aconteceu", escreveu Goss em comunicado.

O problema é que o câncer é uma doença ligada ao envelhecimento da população. O relatório estima que, até 2020, 100 milhões de pessoas na América Latina terão mais de 60 anos.
"A adoção de estilos de vida similares aos praticados em países desenvolvidos levará a um rápido crescimento do número de pacientes com câncer, um custo para o qual os países da América Latina não estão preparados."

O estudo também destaca o problema da concentração dos centros de atendimento oncológico em grandes cidades, deixando descoberta grande parte da região.

Fonte: Folha de SP

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Casacos feitos com pele de cachorro!


Ajude a pressionar o estilista Marc Jacobs a parar de usar todo tipo de pele nas suas roupas!
Clique para assinar
O famoso estilista norte-americano Marc Jacobs foi denunciado por usar pele de cachorro em alguns casacos da sua última coleção. E, o pior, os casacos estavam etiquetados como sendo de pele sintética.

Indignada com a notícia, Tiffany Young, de Chicago, criou uma campanha para convencer o estilista a parar de usar peles. "Não importa se são cães, gatos, visons, raposas ou quaisquer outros animais. É crueldade por vaidade. Marc Jacobs tem uma escolha. Ele quer ser um estilista conhecido por bondade ou por crueldade?", diz Tiffany. 

Clique aqui para pedir para o estilista Marc Jacobs parar de usar peles em todas as suas criações.

A investigação que expós o caso durou 5 meses e foi recentemente divulgada na imprensa. A pele encontrada foi de cães-guaxinins chineses, que segundo especialistas é mais barata do que a pele sintética. Estima-se que na China mais de 70.000 cachorros-guaxinins são sacrificados para a indústria da moda, geralmente esfolados.

Marc Jacobs viaja sempre ao Brasil e  esteve recentemente no Rio de Janeiro com o seu namorado brasileiro, por isso vamos mostrar a eles que os brasileiros também querem o fim das peles em suas criações.


"Por favor assine meu abaixo-assinado pedindo para o Marc Jacobs se juntar aos estilistas "fur-free", como Stella McCartney, Marc Bouwer, Calvin Klein e Todd Oldham. Chega dessa crueldade com os animais." - Tiffany.
Obrigado por agir, 
Graziela Tanaka, Change.org 
PS. Se quiser mais informações sobre este caso, leia a notícia

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Sea Shepherd Brasil no Senado Federal - Wendell Estol





O Instituto Sea Shepherd Brasil pede, no Senado brasileiro, fiscalização rígida do ambiente marinho e entrega pedido de moratória para a pesca de tubarões, na costa brasileira

A perseguição a ativistas ambientais, a proteção ao ambiente aquático e à fauna marinha e a defesa do ecossistema, no desenvolvimento sustentável do Planeta, foram os temas da audiência pública, presidida pelo senador Paulo Paim (PT-RS), promovida em Julho de 2012 pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado.

O Instituto Sea Shepherd Brasil foi representado pelo diretor geral Wendell Estol, que no inicio seu discurso apresentou números alarmantes a respeito da pesca predatória. “Não temos o objetivo de combater o pescador artesanal ou as empresas pesqueiras que 
cumprem as leis de proteção ambiental. Buscamos a condenação de criminosos que degradam nosso ecossistema visando somente o lucro. Muitos destes crimes são praticados por multinacionais que contratam nossa força de trabalho, na maioria pescadores humildes, para a pesca de arrasto, proibida por lei, prática do finning, entre outras atividades de degradação ambiental” apontou Estol.

Wendell mostrou diversas fotos da prática de pesca de arrasto na costa brasileira, bem como imagens de toneladas de barbatanas de tubarão, resultado do finning, sendo armazenadas e comercializadas em portos brasileiros. “As imagens que exponho aqui foram feitas no Porto de Rio Grande (RS), onde mais de três toneladas de barbatanas foram apreendidas. Não houve nenhuma tentativa dos infratores de esconderem essas barbatanas que estavam acondicionadas em caixas com o nome da empresa pesqueira. As barbatanas estavam secas e acondicionadas em salas climatizadas e bem estruturadas, sem a menor intenção de encobrir o crime; ou seja, não temiam nenhuma fiscalização ou punição. Isso não pode mais ocorrer”, destaca.

Na oportunidade, Estol entregou para o senador Paulo Paim, um pedido de moratória – pedindo a paralisação total, por 20 anos, da pesca de tubarões na costa brasileira. “Aproveito a oportunidade para repassar ao Senado brasileiro um pedido de proibição da pesca, de todas as espécies de tubarão, na costa brasileira. Estes animais correm sério risco, não temos mais tempo. Sua extinção é eminente. Eles são topo da cadeia alimentar marinha, uma vez extintos, o ecossistema marinho entrará em colapso, afetando diretamente nossa existência”.

Estol finalizou destacando a importância da fiscalização e punição dos crimes ambientais. “Não temos mais tempo, não podemos esperar até 2015, nosso ecossistema marinho está em perigo. Não vamos acabar com a extinção de nossas espécies marinhas com promessas, precisamos agir. O ISSB prefere pecar pelo excesso, nunca pela omissão. Não pensamos em fazer ou em debater, nós fazemos. Precisamos de uma severa fiscalização ambiental. A fiscalização deve ser a tônica de nossas políticas de preservação ambiental”.

http://seashepherd.org.br/issb-pede-no-senado-brasileiro-fiscalizacao-rigida-do-ambiente-marinho-e-entrega-pedido-de-moratoria-para-a-pesca-de-tubaroes-na-costa-brasileira/

Confira o vídeo do diretor do ISSB: Wendel Estol, debatendo a questão da defesa da vida marinha em Audiência Pública no Senado Federal:

Parte 1:


Parte2:



Fonte: http://www.facebook.com/photo.php?fbid=517815944931725&set=a.277822568931065.64040.250387178341271&type=1&theater

terça-feira, 23 de abril de 2013

Diabetes: saiba como a doença afeta o coração


Estima-se que 12 milhões de brasileiros sejam diabéticos. Apesar disso, de acordo com dados do Ministério da Saúde, aproximadamente metade desse número não sabe que possui a doença, caracterizada pelos altos níveis de açúcar no sangue. A falta de conhecimento sobre esse fator é de grande periculosidade para a saúde do corpo e, principalmente, do coração.

O infarto agudo do miocárdio, quando ocorre em diabéticos, tem seus sintomas reduzidos a sensações de mal-estar, sudorese, náuseas e vômitos. A dor no peito, principal sinal de infarto, muitas vezes não se manifesta nesse quadro. “Além da neutralização dos sinais de infarto, as pessoas com diabetes normalmente carregam consigo outras doenças como hipertensão arterial, colesterol e obesidade ou peso acima do ideal. Esse conjunto proporciona um cenário de difícil funcionamento para o coração, colaborando para o acontecimento de um infarto”, explica o Dr. Marcelo Queiroga, presidente da SBHCI (Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista).

Os fatores de risco presentes no organismo do diabético podem levar ao desenvolvimento da aterosclerose, que é a formação de placas de gordura nas paredes das artérias, causando a obstrução da passagem sanguínea que leva oxigênio e nutrientes ao coração, ocasionando a angina e, no caso do rompimento de uma dessas placas, o infarto agudo do miocárdio.

“Os estudos sugerem que o bom controle da glicemia nos diabéticos é fundamental para prevenir a doença aterosclerótica. Além disso, não podemos esquecer que a prevenção e o controle dos outros fatores de risco são de extrema importância para a saúde do coração”, enfatiza o Dr. Marcelo Cantarelli, cardiologista intervencionista e coordenador da Campanha Coração Alerta da SBHCI.

Sabendo-se que o diabetes muitas vezes tem sua ocorrência devido a fatores genéticos, os médicos alertam aqueles que possuem diabéticos na família a fim de desenvolver hábitos de vida saudáveis. “Para ajudar a manter os níveis de açúcar no sangue, os diabéticos devem procurar realizar uma dieta balanceada, rica em legumes, verduras e frutas, grãos integrais e derivados do leite desnatado. Além disso, a prática de atividades físicas ajuda a manter o peso ideal”, finaliza o Dr. Marcelo Queiroga.

Campanha Coração Alerta
A SBHCI e a SBC – Sociedade Brasileira de Cardiologia – uniram-se para promover a Campanha Coração Alerta. No site (www.coracaoalerta.com.br), a população tem acesso às matérias e vídeos que, de maneira informativa, abordam temas relacionados à saúde do coração e os riscos de doenças cardíacas. Além disso, o conteúdo é divulgado por meio dos perfis nas redes sociais: Facebook (www.facebook.com/CoracaoAlerta) e Twitter (www.twitter.com/CoracaoAlerta, @CoracaoAlerta).

Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista
Fundada em 1975, a Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista – SBHCI - é uma entidade sem fins lucrativos que tem como principais objetivos zelar pelo nível ético, eficiência técnica e sentido social do exercício profissional da Cardiologia Intervencionista. A entidade é responsável por regulamentar à concessão do título de especialista, estabelecer normas e fiscalizar os serviços de cardiologia intervencionista, denunciando às autoridades competentes o não cumprimento das exigências mínimas de funcionamento. Além disso, a SBHCI promove cursos de atualização para estimular os estudos, à pesquisa científica, tecnológica e à educação continuada.

Chá de Hibisco auxilia quem retém líquido e quer emagrecer

                                                                                                                                                                                                                                                                                        
Dentre os vários benefícios à beleza e ao organismo em geral, a bebida elimina toxinas e substâncias que favorecem o acúmulo de líquido no organismo.
De vários sabores, cores e origens, os chás nunca somem das casas dos brasileiros. Mesmo que eles fiquem esquecidos no armário, todo mundo tem pelo menos um tipo deles em casa. Contudo, o hábito de consumir o produto deveria ser mais habitual, aponta especialista, pois eles oferecem benefícios à beleza e à saúde como, por exemplo, o Chá de Hibisco, considerado o protagonista do momento.

Conforme a Nutricionista Especialista em Clínica Funcional, Esportiva e Materno-Infantil, Dra. Fernanda Granja, o hibisco tem diversas propriedades benéficas, como ação antioxidante, anti-inflamatória, digestiva, diurética e auxilia no processo de emagrecimento, porque ajuda o organismo e eliminar toxinas (substâncias que dificultam a eliminação de alguns quilinhos e retêm líquidos). Ainda por cima, a bebida é rica em flavonoide, um poderoso agende antioxidante, que combate os radicais livres, protege o coração de doenças e a pele do envelhecimento.

"Vale destacar também que o consumo diário de chá de hibisco, em uma quantidade facilmente incorporada na dieta, diminui a pressão arterial em adultos pré e levemente hipertensos e pode revelar-se um componente eficaz na dieta de pessoas com essas condições", observa a nutricionista.

Para facilitar a absorção do chá, empresas especializadas apresentam opções práticas e ágeis para consumir o produto. A NutraWay, por exemplo, especializada nutracêuticos, produtos naturais e suplementos alimentares, disponibiliza nas melhores lojas especializadas o Chá de Hibisco em pote, o que facilita a absorção dos nutrientes e a praticidade de levá-lo para todos os lugares.
"Nos sabores abacaxi com hortelã, frutas vermelhas e limão, a embalagem de 200g do produto conserva por mais tempo as propriedades. Além disso, deve-se manter o chá na embalagem original, em local fresco", comenta o Farmacêutico e Consultor Técnico da empresa, Rafael Martins Xavier.

Modo de preparo:
Adicione 1 (uma) colher de sopa de Chá de Hibisco (aproximadamente 10 g) em um copo com 200 ml de água gelada ou quente. Agite vigorosamente com a colher.

NutraWay - Fundada em 1981 em Hortolândia, a indústria é especializada em nutracêuticos, produtos naturais e suplementos alimentares de qualidade e excelência. É uma empresa comprometida a gerar maior qualidade de vida aos consumidores através de produtos e serviços de referência nacional.
www.nutraway.com.br

Haloterapia: vilão ou mocinho das doenças respiratórias?

                                                                                                                                                                                       
Especialista da SPPT comenta os possíveis benefícios, mas alerta população para a necessidade de manter tratamentos e procurar orientação médica em caso de dúvida

Surge na mídia a notícia de que chegam ao país clínicas especializadas em haloterapia, uma antiga técnica descoberta no século 19, na Polônia, que consiste em recriar um ambiente de uma caverna, com temperatura e umidade controladas. Voltada especialmente a portadores de doenças respiratórias, estas salas são recobertas de sal, que também é borrifado no ar para ampliar a inalação.
O principal chamariz para estas clínicas é a afirmação de que permanecer neste ambiente por 45 minutos equivale a quatro dias na praia. O objetivo é limpar as vias respiratórias, reduzir medicamentos utilizados para controlar doenças crônicas, como asma, rinite ou sinusite, e até mesmo aliviar o estresse.

Mas todo o cuidado é pouco quando se trata de doenças sérias, como a asma, responsável por cerca de 250 mil mortes prematuras ao ano no mundo, sendo três mil delas no Brasil.

Segundo o Dr. Élcio dos Santos Oliveira Vianna, diretor de Assuntos Científicos da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT), ainda não há estudo científicos que expliquem o mecanismo da haloterapia.
Confira a seguir algumas orientações do médico pneumologista sobre a terapia, e jamais reduza, substitua ou altere um tratamento médico sem a orientação de um especialista.
Em que se baseia a haloterapia e como funciona?

Embora ainda não existam pesquisas sobre a haloterapia, há na literatura médica diversos estudos sobre a inalação de soluções com sal, chamadas hipertônicas, ou seja, salgadas como a água do mar, bem mais salgadas que o soro fisiológico ou que a concentração de sal que temos no sangue. A partir de pesquisas sobre estas soluções hipertônicas podemos entender os efeitos positivos da haloterapia. Dentre eles, a indução da saída de secreção brônquica e consequente liberação das vias aéreas.

Que outros benefícios podemos apontar?

Existe o mecanismo de agir nos receptores neurológicos. A substância salgada, quando entra em contato com o nosso organismo, estimula receptores neurais e há reflexos que também podem contribuir ou não para o corpo humano. Além disso, as substâncias muito salgadas reduzem o crescimento bacteriano e estimulam algumas células inflamatórias. Ou seja: o sal inalado pode matar bactérias e ativar as nossas células da defesa, que passam a agir melhor contra vírus, fungos e bactérias.

A haloterapia é indicada para portadores de doenças respiratórias?

Ela pode ser indicada para uma higienização e o conforto de doenças como a rinite ou a sinusite, estimulando a secreção. É um complemento terapêutico. Há também doenças que acometem os brônquios que podem ser beneficiadas, como a bronquiolite viral na infância. Mas isso não significa que a haloterapia deva ser o único tratamento ou o mais importante. A consulta médica e eventual uso de medicamentos não devem ser descartados.

E no caso de doenças respiratórias crônicas, como a asma, a fibrose cística ou a DPOC?

Soluções hipertônicas já foram indicadas para portadores de fibrose cística e asma. Em alguns casos de asma houve benefícios, mas temos que levar em conta que esse tratamento não está regulamentado, consolidado como uma opção terapêutica; e que pode induzir no asmático uma resposta imediata de contato com o sal que é a de piora transitória, ainda que seguida de melhora. Na fibrose cística, a inalação da solução hipertônica também é indicada como tratamento para a higienização brônquica. Já no caso do enfisema, a haloterapia não deve trazer nenhum benefício, pois não há nenhuma relação com qualquer pesquisa já realizada. Isso porque não é uma doença do brônquio, mas do alvéolo.

Como fica o uso de medicamentos como os broncodilatadores após a adesão a haloterapia?

A haloterapia pode ser realizada como um complemento, desde que a pessoa não deixe de usar o tratamento principal e farmacológico recomendado. Pode vir a ser benéfica, sim, mas que a pessoa empregue como um recurso adicional aos que já vêm sendo ministrados, pois a consequência de se interromper o tratamento para asma pode, inclusive, levar à morte. Os broncodilatadores, popularmente chamados de bombinha, são parte importante do tratamento para a asma. As de uso diário devem ser continuadas, a menos que um médico faça uma orientação diferente. O mais provável é que os medicamentos de alívio possam ser reduzidos com a haloterapia.

Existem contra-indicações para a haloterapia?

Conforme dito acima, é preciso considerar que algumas pessoas podem reagir à inalação do sal, principalmente portadores de asma. Para estes pacientes é contraindicado. O mesmo vale para aqueles que têm brônquios, mucosa ou nariz muito sensíveis. Nestes casos, o sal pode irritar ainda mais.

Da mesma forma que de um lado promovem-se os benefícios da haloterapia, de outro surgem as críticas ao tratamento. Quais os argumentos contrários?

O principal alerta é que é necessário esclarecer, por meio de estudos científicos, o real valor terapêutico desse procedimento. Além disso, há diferentes pacientes, portadores de diferentes doenças sendo submetidos a esse tratamento. Então precisamos ter estudos particulares para cada doença para então definir quais as situações em que é indicada, para quais não é e, ainda, para quais pacientes a haloterapia não terá qualquer efeito.

Qual a sua opinião sobre o assunto?

A terapia com sal tem futuro, mas não acho que precisamos frequentar clínicas especializadas para usufruir de seus efeitos. Uma vez confirmados os benefícios, o tratamento pode ser feito em casa, por meio de inalação de solução com sal. Parece promissor, sim, mas não devemos nos precipitar. Por enquanto, não farei a indicação para meus pacientes nem em clínicas especializadas, nem na forma simples - de inalar o sal em casa.

domingo, 21 de abril de 2013

Saber beijar no lugar certo

Muito interessante e chega a ser científico!
Beijar no lugar certo é o segredo para o relacionamento feliz!
Recebi isso. E achei que precisa ser compartilhado.


Vejam abaixo


    O segredo é apenas saber beijar no lugar certo...

Ontem, falando com um amigo, entrou no papo um amigo comum, médico, que, há muitos anos, se mudou para P.Alegre.
Com o tempo, separou-se da esposa original e, depois de outro tempo, ele, com 53 anos, encontrou nova cara metade; um bela gata de..... 22 aninhos e, com tudo "em riba".
Certo dia, em um restaurante encontram um casal de médicos, ex-colegas de turma (logicamente com mais de 50 anos) e sentam juntos para rememorar os "bons tempos".
O amigo médico ficou impressionado com a gata e, quando as esposas foram ao "toilete", não se conteve e perguntou como ele conseguira a proeza de estar com uma gata daquelas.
Nosso amigo, com a maior calma do mundo, disse:
- "Para manter um bom relacionamento, com uma gata daquelas, o importante é onde tu beijas ela".
Imediatamente o cara perguntou:

- "E onde é que tu beijas ela?".
Sem perder a compostura nosso amigo informou:

- "Eu beijo ela em Paris, Londres, Roma, Veneza, etc...

sábado, 20 de abril de 2013

"Refris" são ligados a 180 mil mortes por ano

O consumo de refrigerantes, sucos industrializados e outras bebidas açucaradas pode estar associado a cerca de 180 mil mortes por ano no mundo, de acordo com uma pesquisa apresentada nesta semana no congresso da Associação Americana de Cardiologia.

Sucos industrializados e "refri" são 15% das calorias ingeridas diariamente por jovens
 
Os autores da pesquisa usaram dados do estudo "The Global Burden of Disease" (literalmente, "O Peso Global da Doença") de 2010 e relacionaram a ingestão de bebidas açucaradas a 133 mil mortes por diabetes, 44 mil mortes por doenças cardiovasculares e 6.000 mortes por câncer. Cerca de 80% dessas mortes ocorreram em países de rendas média e baixa.

Especialistas afirmam que o consumo dessas bebidas pode gerar resistência à insulina e levar ao diabetes tipo 2, além de aumentar o risco de obesidade.

Os pesquisadores calcularam as quantidades consumidas dessas bebidas por idade e sexo, os efeitos desse consumo na obesidade e no diabetes e o impacto das mortes relacionadas a essas doenças.

A América Latina e o Caribe tiveram o maior número de mortes por diabetes relacionadas ao consumo de bebidas adoçadas em 2010. Entre os 15 países mais populosos, o México teve a maior taxa de mortes por causa da ingestão das bebidas.

 À CNN, a Associação Americana de Bebidas disse à que o estudo traz "mais sensacionalismo do que ciência".
A Associação Americana de Cardiologia recomenda que os adultos consumam menos de 450 calorias por semana de bebidas adoçadas.



Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/1249143-refris-sao-ligados-a-180-mil-mortes-por-ano.shtml

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Papa Francisco corta bônus dos funcionários do Vaticano


O papa Francisco I decidiu eliminar o bônus concedido tradicionalmente aos 4.000 funcionários do Vaticano por ocasião da chegada de um novo Pontífice.
A gratificação, de cerca de mil euros, sempre foi dada aos trabalhadores por ocasião da troca de papa, mas o Pontífice levou em consideração as dificuldades financeiras enfrentadas pelo Vaticano e cortou o benefício.
O novo papa decidiu que parte do dinheiro previsto para os funcionários irá para obras de caridade.


Nota do Blog: Poxa que boa sacada! Já tinha escutado que ele é um bom administrador. 


26 de abril é o Dia Nacional de Combate à Hipertensão. O Hospital Geral de Carapicuíba dá dicas para manter a pressão em '12 por 8


Chamada popularmente de pressão alta, a hipertensão arterial é uma doença silenciosa e, por isso, perigosa. É causada por alterações na pressão sanguínea nas artérias, ou seja, em longo prazo podem acontecer modificações no sistema cardiovascular, como a insuficiência cardíaca, mais conhecida como coração dilatado e fraco, obstrução das artérias, o que pode levar ao infarto do miocárdio e Acidente Vascular Cerebral (AVC), chamado de derrame cerebral, além de problemas nos rins, entre outras complicações.
Apesar da existência de medicamentos para o combate à hipertensão, o melhor tratamento é a mudança do estilo de vida e da alimentação. Não fumar, perder peso, substituir o consumo de álcool, sal e gorduras por frutas e praticar atividades físicas reduzem o risco de hipertensão. É importante lembrar ainda de medir a pressão arterial no mínimo a cada seis meses, e buscar sempre estar próximo dos famosos “12 por 8”.
Segundo a Organização Mundial da Saúde, a hipertensão é uma das 10 maiores causas de morte no mundo e agrava as doenças cardiovasculares, que lideram esse ranking. A doença não tem cura, mas pode ser controlada com acompanhamento médico e um estilo de vida mais saudável.
Dicas
• Meça a pressão pelo menos uma vez por ano.
• Pratique atividades físicas todos os dias.
• Mantenha o peso ideal, evite a obesidade.
• Adote alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes.
• Reduza o consumo de álcool. Se possível, não beba.
• Abandone o cigarro.
• Nunca pare o tratamento, é para a vida toda.
• Siga as orientações do seu médico ou profissional da saúde.
• Evite o estresse. Tenha tempo para a família, os amigos e o lazer.

Os médicos do Hospital Geral de Carapicuíba (HGC) estão disponíveis para entrevistas.


Mais informações para imprensa:
Tathiana Freire | (11) 4185-7675

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Brasil retoma produção nacional de insulina


1,1 milhão de pessoas utilizam a insulina disponibilizada pelo SUS / Foto: Portal Brasil R$ 430 milhões serão investidos na construção de fábrica em Minas Gerais para a produção do medicamento para diabetes
O governo federal, por meio de parceria do laboratório público Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com a empresa brasileira Biomm, promoverá a retomada da produção nacional de insulina, medicamento vital para o controle de diabetes. A previsão de investimento é de R$ 430 milhões nos próximos cinco anos - R$ 80 milhões do Ministério da Saúde e Fiocruz, e o restante via financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O anúncio foi feito nessa terça-feira (16), em Belo Horizonte.

A fábrica da Biomm deve começar a produzir a partir de 2015 e a população terá acesso ao medicamento nacional em 2017. De acordo com o Ministério da Saúde, a produção nacional de insulina - interrompida em 2001 - representa avanço não apenas na assistência, mas também confere ao Brasil autonomia e reduz a vulnerabilidade do país frente a potenciais crises internacionais de produção.

Com a retomada da produção, o Brasil volta a fazer parte do seleto grupo de países que produzem insulina, ao lado de Ucrânia, Dinamarca e Estados Unidos. “A retomada só se tornou viável porque o programa Farmácia Popular, do Ministério da Saúde, criou um mercado que sustenta a produção. Aumentou cinco vezes o número de pessoas com acesso a medicamentos de graça. Subiu de 15 mil para 25 mil o número de farmácias que ofertam esses medicamentos”, afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.
Assistência - Atualmente, há cerca de 10 milhões de diabéticos no país. Desses, 1,1 milhão utilizam a insulina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Biomm produzirá 50% da insulina distribuída no SUS.

O Ministério da Saúde ampliou o acesso aos medicamentos para diabetes por meio do Saúde Não Tem Preço - ação lançada em 2011 pelo governo federal - que tornou gratuitos os medicamentos para diabetes, além de hipertensão e asma, nas farmácias credenciadas ao programa Farmácia Popular.

Em pouco mais de dois anos, o número de pessoas com diabetes atendidas pelo Saúde Não Tem Preço passou de 306 mil (em janeiro de 2011) para 1,5 milhão (em março de 2013). No total, 4,8 milhões de pessoas foram atendidas em dois anos. O programa também contribuiu para reduzir as internações por diabetes. Em 2012, houve 6,6 mil menos pacientes internados do que em 2010 - queda de 148,6 mil para 142 mil.

Novas medidas visam impulsionar indústria brasileira de saúde
A construção de uma fábrica nacional de insulina está inserida na estratégia do governo federal de aumentar a autonomia do país em relação ao mercado externo de medicamentos e equipamentos de saúde. Uma série de medidas foi anunciada pelo governo na semana passada para impulsionar a indústria brasileira nesse setor. Foram firmadas oito parcerias entre laboratórios públicos e privados para a produção nacional de medicamentos e equipamentos, que vão gerar economia de R$ 354 milhões em cinco anos.

Com os novos acordos, estão em vigor um total de 63 parcerias entre 15 laboratórios públicos e 35 privados para a produção nacional de 61 medicamentos e seis equipamentos. Estima-se que essas parcerias resultem em uma economia anual aproximada de R$ 2,8 bilhões para o Ministério da Saúde. O governo federal também vai disponibilizar R$ 7 bilhões para a concessão de crédito a empresas brasileiras com projetos inovadores no campo da saúde, além de R$ 1,3 bilhão na infraestrutura de laboratórios públicos.

Na ocasião, também foram assinados acordos de cooperação entre a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o Instituto Nacional de Propriedade Industrial e a Associação Brasileira de Notas Técnicas para dar celeridade ao processo de concessão de patentes e registro a produtos prioritários para a saúde pública. Com isso, será possível reduzir o déficit do setor, que atualmente está em R$ 10,5 bilhões.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

É possível aparentar dez anos mais jovem?

Cirurgião plástico afirma que a jovialidade depende muito da harmonia entre o volume e o equilíbrio estético da pele, além de hábitos saudáveis ao longo da vida.
"Você não aparenta a idade que tem". Quem não gosta de ouvir esse elogio? Sem dúvida, é o desejo da grande maioria das pessoas, sobretudo, àquelas que já passaram dos 50 anos de idade, quando os sinais do envelhecimento são mais visíveis. Infelizmente, não existe uma máquina do tempo nem mágica que impede a lei da gravidade, porém a cirurgia plástica moderna e qualificada pode ajudar a conquistar uma pele e um corpo até dez anos mais jovem, garante o Cirurgião Plástico e Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica com Doutorado pela USP, Dr. Marcelo Wulkan.
Flacidez das mamas, dos braços, das mãos, gordura abdominal, nariz desproporcional, dentre outras regiões, são alguns dos sinais que proporcionam uma aparência envelhecida. Contudo, o especialista afirma que qualquer pessoa pode conquistar um corpo mais jovem ao corrigir essas regiões, pois há técnicas eficientes e de rápida cicatrização, desde que haja total sincronia entre volume e equilíbrio da pele. "É possível restaurar o volume perdido ao longo dos anos, principalmente na face, região onde a perda do contorno zigomático (área das maçãs do rosto) e queda da pele facial são mais acentuadas. A pele continua do mesmo tamanho, mas as camadas abaixo dela ficam menores com o tempo. Sem a estrutura de suporte abaixo da pele facial, ocorre o enrugamento e o surgimento de sulcos indesejáveis", explica.
Obter uma pele com equilíbrio significa bom senso estético de acordo com as necessidades do paciente, sem excessos e sem resultados exagerados que evitam a aparência estigmatizada de que "foi operado". "O equilíbrio envolve, por exemplo, redistribuir a bolsa de gordura presente embaixo das pálpebras ao invés de retirá-las. Com isso, se evita o aspecto de olho profundo e sem vida. O bom senso e equilíbrio notam que cada paciente tem uma necessidade distinta e não existe uma conduta universal", descreve Dr. Wulkan.
Além do volume e restauração do equilíbrio das estruturas faciais, o cirurgião afirma que ainda existe espaço para o lifting facial, procedimento que cada vez mais se atenta à menor cicatriz possível. Muitas vezes, o cirurgião associa o lifting à lipoenxertia estruturada; com isso se restabelece volume e se equilibra melhor as estruturas faciais reposicionando os tecidos musculares abaixo da pele.

A aparência jovem e saudável da pele não depende somente da cirurgia plástica, mas também de mudança de hábitos. Dr. Wulkan pontua algumas:

1-Exposição solar: a exposição solar diminui a elasticidade da pele acentuando as rugas de expressão, principalmente ao redor dos olhos, testa e região do queixo. A recomendação é proteção solar diária com filtro solar (fator 30 no mínimo), óculos escuros e chapéu. Nada de bronzeador.
2-Cigarro: é um "veneno" para a pele. Além de ser a maior causa de mortes evitáveis no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde, torna a pele visivelmente mais amarelada e diminui o calibre dos vasos sanguíneos. Com isso, dificulta a oxigenação da região assim como a absorção de vitaminas, nutrientes e minerais essenciais.
3-Nutrição: uma dieta balanceada sempre ajuda a manter a vitalidade e turgor da pele. Na dúvida, consulte um nutricionista.
4-Peso: o emagrecimento radical pode deixar o rosto exageradamente magro e encovado. Entre 30 e 40 anos, a falta de um mínimo de gordura facial pode deixar os olhos fundos. Aos 50, o resultado é semelhante, acrescido da flacidez cutânea. Para rejuvenescer o rosto, usa-se a lipoenxertia estruturada onde a gordura do próprio paciente é tratada e reaplicada na face. As chances de rejeição são mínimas, pois a gordura é do próprio indivíduo.
5-Estresse: embora não seja um consenso entre os médicos, a vida agitada da sociedade moderna parece agir negativamente na aparência das pessoas. Faça atividades físicas e tenha momentos de lazer para aliviar a tensão.
6-Alcoolismo e drogas: fazem "secar" o rosto. Diga não às drogas e ao alcoolismo.


Fonte: Dr. Marcelo Wulkan - Cirurgião Plástico-CRM 108732- RQE 28948
Médico cirurgião plástico com doutorado pela Faculdade de Medicina da USP. É membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da International Confederation for Plastic, Reconstructive & Aesthetic Surgery (IPRAS). É também "active member" e "full voting member" da Rhinoplasty Society, a mais importante sociedade de cirurgiões plásticos do mundo com foco em rinoplastia. Foi o cirurgião plástico estrangeiro mais jovem a apresentar aula em Harvard-BIDMC. Após o término de sua residência em cirurgia plástica, optou por se especializar ainda mais em cirurgia plástica estética e reconstrutiva nos Estados Unidos em Harvard, New York University, University of Illinois at Chicago e University of Pittsburgh. Com o conhecimento adquirido nos EUA, o Dr. Wulkan se tornou o único representante no Brasil e América do Sul de um dos mais experientes centros de contorno corporal/plástica pós-grande perda de peso do mundo: o Hurwitz-Center for Plastic Surgery (centro pioneiro do Total Body Lift). Esta parceria é única e levou à criação do Wulkan-Hurwitz Center for Plastic Surgery visando ajudar pacientes dos EUA, Brasil e outros países a realizar tratamentos completos seguindo rigorosas condições de qualidade e segurança. Autor do livro: Desvendando a Cirurgia Plástica: orientações ao paciente.

Oito dicas para ter olhos mais saudáveis


Poeticamente, os olhos são a janela da alma. Mas experimente executar de olhos fechados qualquer tarefa a que esteja acostumado no dia a dia e verá que, sem enxergar, a vida fica muito mais difícil. Na opinião do doutor Renato Neves, médico oftalmologista e diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, as pessoas normalmente negligenciam a visão como se pudessem prescindir desse sentido tão fundamental. “Basta entrar um cisco no olho para a pessoa perder a calma. É nesses momentos em que algo de errado acontece com a visão que algumas pessoas se dão conta de que precisavam cuidar melhor da saúde ocular, agindo de forma preventiva”. O especialista aponta oito dicas para ter olhos saudáveis:
1. Mantenha uma alimentação saudável. “Abandone aqueles maus hábitos alimentares, como excesso de fritura, sal, açúcar e carne vermelha, e adote refeições saudáveis. Durante o dia, é importante consumir frutas variadas, legumes, verduras frescas e castanhas. A ideia é aumentar a ingestão de vitaminas, minerais, proteínas saudáveis, ômega-3 e luteína, já que os alimentos antioxidantes oferecem grandes benefícios à saúde ocular, retardando doenças como catarata e degeneração macular.”
2. Dê um basta no cigarro. “O fumo compromete a circulação sanguínea da retina, reduz a quantidade de antioxidantes presentes no sangue, e afeta a visão em qualquer fase da vida, principalmente a partir dos 65 anos. Mesmo quem parou de fumar há quinze ou vinte anos apresenta mais chances de sofrer de doenças oculares do que quem nunca fumou. Portanto, quanto mais cedo parar de fumar, menores serão as chances de desenvolver catarata, glaucoma e degeneração macular relacionada à idade (DMRI).”
3. Não saia de casa sem óculos de sol... nem no inverno. “A exposição aos altos índices de raio ultravioleta provoca degeneração macular – doença que afeta a parte central da retina, membrana posterior dos olhos onde as imagens são transmitidas para o nervo óptico. Como não existe tratamento eficaz para alterações retinianas, a prevenção com lentes protetoras ainda é o melhor remédio. Vale lembrar a importância dos óculos de boa procedência, que têm proteção UVA e UVB, além de tratamento nas lentes.”
4. Muito cuidado ao passar horas diante do computador. “Quem trabalha ou estuda muitas horas em frente ao computador deve fazer pausas a cada duas horas para que os olhos descansem durante o período. Durante as pausas, beba muita água e pisque os olhos aceleradamente para evitar a síndrome do olho seco. Também é indicado focar um objeto ou uma paisagem ao longe para trabalhar o músculo ocular.”
5. Jogue fora a maquiagem velha. “Leia atentamente o prazo de validade das sombras e do rímel, descartando o que já venceu. Até mesmo cremes e loções que apresentam o selo “dermatologicamente testado” devem ser utilizados com parcimônia, evitando o contato direto com a vista para que não provoquem ardor, irritação, vermelhidão e sensação de areia nos olhos”.
6. Aprenda a usar óculos de proteção. “Assim como cada prática esportiva tem seus equipamentos de proteção, também os olhos merecem ser protegidos durante o esporte, as atividades de lazer e até mesmo durante alguns serviços manuais. Uma bolada forte nos olhos pode, por exemplo, resultar no descolamento da retina e ser responsável pela perda parcial ou total da visão.”
7. Use sempre o cinto de segurança no carro. “Antes de se tornar obrigatório o uso do cinto de segurança, os acidentes de trânsito eram os maiores causadores de traumas oculares graves. Felizmente, esse tipo de acidente é bem menos frequente, mas ainda tem muita gente achando que não precisa do cinto para andar pequenas distâncias de carro. Ledo engano! Nesse tipo de acidente, é comum ocorrer perfuração ou laceração ocular.”
8. Não deixe de consultar um oftalmologista. “Há pessoas que simplesmente passam anos e anos sem fazer um checkup da visão, dando como garantido um bem – a visão – que pode se deteriorar com o passar do tempo, principalmente se a pessoa não tomar os devidos cuidados. O adulto que tem presbiopia, miopia, astigmatismo e/ou hipermetropia deve visitar o oftalmologista uma vez ao ano para checar o grau e as formas de tratamento indicadas. Já quem sofre de doenças mais graves, como glaucoma, catarata e DMRI, entre outras, deve seguir recomendações médicas e consultar um especialista a cada seis meses, em geral.”
Fonte: Prof. Dr. Renato Neves, médico oftalmologista, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo – www.eyecare.com.br

Dieta com comida processada na primeira infância pode diminuir o QI

Fonte: O Globo - Publicada em 08/02/2011 às 12h06m


- Uma dieta rica em gorduras, açúcares e alimentos processados na primeira infância pode reduzir o quociente intelectual (QI) das crianças. Já uma alimentação cheia de vitaminas e nutrientes pode fazer o oposto, sugere a pesquisa publicada no Journal of Epidemiology and Community Health.


Os pesquisadores baseiam seus resultados no Estudo Longitudinal Avon de Pais e Filhos (ALSPAC), que acompanha a saúde a longo prazo e o bem-estar de cerca de 14 mil crianças nascidas em 1991 e 1992.


Os pais preencheram questionários, detalhando os tipos e a frequência da comida e da bebida de seus filhos, consumida quando eles tinham 3, 4, 7 e 8,5 anos de idade. Três padrões alimentares foram identificados: "processada" com alta ingestão de gorduras e açúcar; "tradicional" rica em carne e hortaliças e "consciente da saúde" rica em saladas, frutas e legumes, arroz e macarrão.

Para medir o QI foi usado um teste validado (o Wechsler Intelligence Scale for Children) quando as crianças estavam com 8,5 anos de idade.

Os resultados mostraram que uma dieta com alimentos processados aos 3 anos foi associada a um QI mais baixo na idade de 8,5 anos, mesmo que a dieta tivesse melhorado depois. Já a dieta saudável foi associada ao aumento de QI. O padrão de alimentação entre 4 anos e 7 anos não teve impacto sobre o QI.

Os autores dizem que estes resultados, embora modestos, estão de acordo com as pesquisas ALSPAC anteriores, mostrando uma associação entre a dieta da primeira infância e o posterior comportamento e desempenho escolar.

O cérebro cresce em sua taxa mais rápida durante os primeiros três anos de vida, justificam os autores, acrescentando que outras pesquisas indicaram que o crescimento da cabeça neste momento estaria ligada à capacidade intelectual.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Alimentos funcionais podem reduzir os riscos de câncer de mama

O câncer de mama é um dos mais frequentes entre pessoas do sexo feminino. Consiste no desenvolvimento anormal das células da mama, que multiplicam-se repetidamente até formarem um tumor maligno. Sabe-se que estão predispostas a ter esse tipo da doença mulheres na menopausa, que tiveram menstruação precoce, fazem uso de álcool, engravidaram depois dos 30 anos, sofrem de estresses ou tomam anticoncepcional.

Pode-se tratar o câncer de mama junto a uma dieta ortomolecular, para evitar a proliferação de tumores na doença já instalada e controlar o aparecimento de casos em familiares geneticamente predispostos.

A alimentação antes, durante ou após o aparecimento destes tumores é de vital importância para o sucesso do tratamento instituído. O consumo de alimentos funcionais pode contribuir para a manutenção da saúde e reduzir o risco da doença.

São alimentos funcionais todos aqueles que apresentam em sua composição substâncias biologicamente ativas que funcionam como remédios. Entre eles podemos citar:

SOJA (GLYCINE MAX) – possui tocoferóis, fitosteróis e fosfolipídios. Na soja, encontra-se em abundância a isoflavona, fitoestrógeno que tem ação estrogênica e antiestrogênica, e também atua junto aos hormônios femininos diminuindo a circulação destes e reduzindo seus efeitos deletérios, o que contribui para a prevenção da doença.

LINHAÇA – também chamada de Linum Usoitassimum, é rica em lignana, que possui efeito protetor contra o câncer de mama. Trata-se de um fitosteróide que simula a ação do estrogênio e tem ação negativa em relação ao tecido mamário. Ou seja, a lignana neutraliza o efeito do estrogênio na mama, além de impedir a angiogênese, isto é, o aparecimento de novos vasos sanguíneos, o que evita a proliferação de tumores alimentados por sangue.

PEIXES MARINHOS – Os peixes de água salgada são ricos em ômega 3, que protege a mama de tumores. Também atua como antiinflamatório e evita a degeneração celular. Sabe-se que muitos dos tumores de mama na sua fase inicial são estrogênios dependentes e a inibição de inflamação impede a produção de estrogênio.

CURCUMA – o açafrão da índia (CURCUMA LONGA) pode ser encontrado nas cores amarela e vermelha, e é um dos alimentos funcionais mais importantes. O cúrcuma é um fitoquímico que tem potencial anticancerígeno e mata células tumorais. A curcumina do curry indiano pode inibir o aparecimento de vasos sanguíneos que alimentariam o tumor.
Sobre Dra. Sylvana Braga

* Dra. Sylvana Braga (www.sylvanabraga.com.br) – Nutróloga, reumatóloga, fisiatra e especialista em prática ortomolecular, também autora do livro “Dieta Ortomolecular – dieta natural para emagrecimento saudável e evitar definitivamente o efeito sanfona", que traz mais de 100 receitas para se manter saudável de forma natural.
 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...