segunda-feira, 1 de abril de 2013

Cresce importância dos produtos da agricultura familiar na composição da alimentação escolar


Tema estará em discussão durante o 9º Fórum Nacional de Alimentação Escolar, que acontece em São Paulo, nos dias 23 e 24 de maio
Neste início de ano letivo, prefeituras e secretarias de educação da maioria dos municípios brasileiros se reúnem para traçar as diretrizes de como incluir produtos da agricultura familiar na merenda escolar. Todas as administrações municipais debatem a melhor forma de atender a determinação do governo Federal de aplicar 30% dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Escolar (FNDE) na compra de gêneros cultivados por produtores da agricultura familiar. O tema, seus benefícios e problemas estarão sendo discutidos também pelos participantes do 9º Fórum Nacional de Alimentação Escolar, marcado para os dias 23 e 24 de maio, em São Paulo.
O assunto mobiliza todos os envolvidos com a cadeia produtiva principalmente pela importância que a agricultura familiar vem adquirindo no País. E não poderia ser diferente, pois, segundo levantamento do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), responsável pela produção da agricultura familiar, ela já responde hoje por 70% de todo o feijão produzido no País, por 87% da mandioca, 46% do milho, 58% do leite, 30% da carne bovina e nada menos que 59% da carne suína. Ainda de acordo com o MDA, em 2012, o total produzido pela agricultura familiar alcançou a marca de R$ 284 bilhões.
Tanto entre os gestores de escolas, quanto entre especialistas que participarão do 9º Fórum Nacional de Alimentação Escolar, que é promovido pela Fenerc – Federação Nacional das Empresas de Refeições Coletivas, há uma perspectiva de crescimento na adesão de prefeituras à compra de gêneros da agricultura familiar. Nesse caso, há interesse de todos os lados: do agricultor que encontra uma fonte confiável, próxima de sua fazenda ou sítio e com potencial constante de compra. Também do lado das escolas, as principais vantagens são: ter um produto, em tese, mais saudável, já que o produtor local usa menos defensivos agrícolas, e também pelo fato de os alimentos terem características regionais, combinando melhor com o paladar dos estudantes, o que facilita a aceitação da refeição escolar.
Serviço:
9º Fórum Nacional de Alimentação Escolar
Datas: 23 e 24 de maio de 2013.
Local: Centro de Convenções Rebouças
Informações e inscrições: (11) 5084-5713/ 4115-5938