quinta-feira, 2 de março de 2017

Óleo Vegetal pode causar Demência.




Manter uma dieta rica em óleo vegetal poderia colocá-lo em risco de demência, afirmam os especialistas. Pesquisas mostram que o óleo é mais provável de causar a formação de placas no cérebro, conhecidas precursoras de doenças neurodegenerativas graves.

Em meados do século 20, os americanos estavam cada vez mais preocupados com a taxa crescente de doenças cardíacas e foram instruídos a abandonar gorduras saturadas – como manteiga e creme – em favor do óleo vegetal. Mas Dr.ª Catherine Shanahan, nutricionista, diz que isso foi um grave erro. Dr.ª Shanahan explica que nos anos 50, os consumidores adotaram essa prática, tornando-a popular. Havia um outro fator a sua popularidade: “Restaurantes e outros estabelecimentos adotaram o óleo vegetal por causa do custo e da disponibilidade. O azeite é de 10 a 50 vezes mais caro. Além disso, outro óleo é muito fácil de ser usado na cozinha, porque não tem sabor como o do azeite.”

Existem diversos tipos de óleos vegetais: canola, palma, milho, soja, girassol, cártamo, semente de algodão, farelo de arroz e outros. De acordo com Drª. Shanahan, muito destes tipos de óleos em nossas dietas pode fazer mal. Ela diz que os óleos vegetais podem fazer você se sentir fatigado, causar enxaquecas e até mesmo desencadear doenças como a de Alzheimer ou demência. “O óleo vegetal provoca estresse oxidativo, que prejudica as membranas cerebrais e resulta na formação de placas no cérebro. Vimos em pesquisas com pacientes de Alzheimer, que os médicos analisam parte do cérebro e veem que a placa se construiu.

Mas Dr.ª Shanahan diz que mesmo que você tenha crescido com uma dieta rica em óleo vegetal, você pode inverter os efeitos negativos cortando-o a partir de agora. Eu encorajaria as pessoas a fazerem um desafio de sete dias sem ele para perceber a diferença.” Aconselhou a médica.

Se você se livrar dele, seu paladar vai acordar um pouco, você vai provar o alimento de verdade e verá melhora. Você terá mais energia.” Um relatório divulgado em maio pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos descobriu que os componentes do óleo de palma – o óleo vegetal mais utilizado e encontrado em produtos como Nutella – são “geotóxicos e cancerígenos”.

Em uma declaração ao Daily Mail Online, um representante da Ferrero, a empresa que fabrica Nutella, disse que o óleo de palma usado na pasta é refinado a um menor calor e, portanto, contém menos contaminantes. Dr.ª Shanahan disse que isso ajuda a diminuir os riscos, mas não muito: “É como dizer: ‘Mamãe, vou começar a fumar, mas vou fumar três cigarros por dia em vez de um maço inteiro.’ Você não vai se dar bem com isso”, disse ela.

As empresas querem esses óleos porque têm benefícios antimicrobianos que prolongam sua vida útil e impedem que estraguem – mas é exatamente por que são tóxicos”. Muita pesquisa ligou os óleos vegetais a doenças cardíacas e depleção de antioxidantes. O óleo é promovido como saudável porque contém gorduras monoinsaturadas e ômega 3. Mas também contém altos níveis de gorduras poli-insaturadas. Estas gorduras oxidam facilmente, deixando o corpo deficiente de antioxidantes e causando inflamação e mutação nas células.

O óleo vegetal também contém gorduras trans, que são altamente tóxicos e associados a várias doenças, como as cardíacas, câncer, diabetes e obesidade. Nos últimos anos, começaram a encontrar benefícios para um coração saudável em gorduras como manteiga e abacate.

Dr.ª Shanahan ainda diz que os consumidores deveriam substituir óleos vegetais por azeite, óleo de coco, abacate ou amendoim. E completa: “Eu diria que quando você está fazendo a sua própria comida, pode escolher óleos que têm sabor, como coco ou amendoim, e não se esqueça de verificar que não seja refinado.”

Fonte: Jornal Ciência