segunda-feira, 27 de julho de 2009

LIVRETOS APÓIAM EDUCADORES A PROMOVER CONSUMO DE FRUTAS, LEGUMES E VERDURAS

Professores, merendeiras, gestores escolares e agentes de saúde tem novas ferramentas para promover a alimentação saudável e a prevenção da obesidade, hipertensão e diabetes principalmente entre crianças e adolescentes. Livretos, produzidos pelos parceiros do projeto FLV, que é coordenado pela Embrapa Agroindústria de Alimentos (Rio de Janeiro-RJ), estão disponíveis gratuitamente na internet (http://www.ctaa.embrapa.br/produtos/pub-download.php) .

As publicações fazem parte do projeto "Construção de uma estratégia de intervenção em nível local para a promoção do consumo de frutas, legumes e verduras (FLV)". De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), um adulto deve ingerir, no mínimo, 400 gramas de frutas, legumes e verduras por dia. A presença desses alimentos protege o organismo contra as deficiências de vitaminas e minerais, aumenta a resistência às infecções; melhora a disposição, evita o consumo de alimentos ricos em açúcar e gorduras e ajuda a prevenir doenças crônicas graças à presença de compostos bioativos. No Brasil, a população consome apenas 1/3 da quantidade recomendada pela OMS.

"Um dos principais fatores do baixo consumo é o hábito alimentar. E isso preocupa ainda mais quando vemos crianças com excesso de peso e pressão alta, situações que abrem caminho para a instalação de doenças crônicas", explica a pesquisadora Virgínia Matta, da Embrapa Agroindústria de Alimentos, líder do Projeto FLV.

No livreto dirigido aos professores (Promover o consumo de frutas, legumes e verduras - Escolas e Creches), há sugestões de atividades para colocar o tema em discussão como explorar a influência dos sentidos na alimentação; estimular o aluno a trazer uma fruta que nunca tenha comido para prová-la na companhia de amigos na sala de aula e assim descobrir novos sabores; visitar uma feira livre e explorar cores, formas, tamanhos, nomes e classificação dos alimentos; ou então, com a ajuda de pais e avós montar um livro de receitas saudáveis com FLV.

O livreto destinado aos agentes de saúde (Estratégia de Saúde da Família) incentiva, por exemplo, o consumo de sopas no dia-a-dia, substituindo parte da batata, do inhame e do aipim por legumes e verduras como chuchu, couve, abobrinha e cenoura. Assim, a refeição fica mais nutritiva e menos calórica. Outra dica é substituir o sal e os temperos prontos e gordurosos por limão e ervas como cebolinha, manjericão, salsa e orégano. Para ter noção de quantidade, o livreto compara porção com colheres de sopa, fatias e unidades para frutas, legumes e verduras.

A terceira publicação destina-se a gestores escolares (Programa de Alimenmtação Escolar) e traz exemplos concretos de iniciativas eficazes para ilustrar as propostas de ação. Por fim, um folder (12 pasos para uma alimentação saudável) apresenta uma síntese de atitudes que colaboram para a melhoria da qualidade de vida.

Na Zona Oeste do Rio, nos bairros de Campo Grande, Guaratiba, Santa Cruz, Paciência e Antares, os livretos reforçarão as oficinas já feitas com professores, merendeiros e agentes de saúde e darão subsídios para novas atividades como feiras, cursos e palestras. As publicações são uma realização do Instituto de Nutrição Annes Dias/Secretaria Municipal de Saúde, Embrapa Agroindústria de Alimentos, Instituto de Nutrição/Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Instituto Nacional do Câncer, Fundação Xuxa Meneghel, Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa e Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. A iniciativa tem o apoio da Faperj, Associação de Nutrição do Estado do Rio de Janeiro, Universidade Federal Fluminense, Conselho Regional de Nutricionistas, Centro Universitário Metodista Bennet e Secretaria de Estado de Saúde e Devesa Civil.

Para mais Informações:
Embrapa Agroindústria de Alimentos
Av. das Américas, 29501 - Guaratiba - RJ - cep 23020 470
projetoflv@gmail.com