sábado, 17 de março de 2012

Dia Mundial do Sono: Como fugir das noites mal dormidas - Por Renata Federighi*


Ansiedade, vida estressante, falta de exercícios físicos. Muitas são as variáveis que podem causar insônia. Um fator pouco considerado, mas que também pode prejudicar o sono é o travesseiro, que além de alinhar a coluna cervical com o tronco, melhora a circulação sanguínea e facilitando os estímulos elétricos enviados pelo cérebro aos demais órgãos. Às vezes, o travesseiro que escolhemos não se adéqua ao nosso tipo físico.

O uso do travesseiro em altura e suporte apropriados faz com que a postura de descanso favoreça a anatomia fisiológica da coluna, permitindo que a pessoa se levante bem disposta e sem dores no corpo no dia seguinte, além de não comprometer a qualidade de vida do indivíduo, ao longo do tempo. Portanto, é imprescindível estar atento na hora de comprar o travesseiro. É preciso considerar a posição em que se dorme e também a altura do travesseiro, que deverá preencher o espaço entre a cabeça e o colchão, formando um ângulo de 90 graus no pescoço. O uso do travesseiro em altura e suporte apropriados faz com que a postura favoreça a anatomia fisiológica da coluna vertebral.

Dormir de forma inadequada, além de interferir no rendimento das atividades diárias, pode agravar processos como contraturas, osteoporose e má circulação. Além disso, com o tempo, o travesseiro acumula em seu interior microorganismos que se alimentam das secreções que eliminamos durante o sono, como suor e peles mortas. Um travesseiro repleto de impurezas torna-se ambiente propício para proliferação de ácaros, fungos e bactérias, se transformando em fontes prováveis de diversos tipos de alergia. Esses microorganismos são possíveis causadores de conjuntivite, eczema, sensação de peito fechado à noite, espirros, coceira nas mãos ou face, corrimento ou bloqueio e até mesmo asma.

O ácaro é o principal agente de substâncias causadoras de alergias numa casa se proliferando nas camas, colchões e travesseiros cujo grau de calor e umidade favorecem a sua reprodução. Os ácaros, que são poluentes biológicos, agridem ainda mais as pessoas alérgicas, colaborando para um sono de má qualidade.

Quem é alérgico deve verificar se o travesseiro realmente possui proteção contra ácaros, fungos e bactérias e se os materiais usados não causarão alergia. Se for uma pessoa que transpira muito durante a noite, é aconselhável ainda verificar o conforto térmico do produto.

A escolha do travesseiro deve ser baseada na posição em que se dorme e no biótipo de cada pessoa. A escolha pelo material também deve levar em conta o gosto pessoal. Para as pessoas mais altas ou pesadas, é indicado, por exemplo, travesseiros de maior altura ou com suporte mais firme. Uma boa dica é o travesseiro de Látex Natural, também especialmente indicado para pessoas que transpiram muito a noite. Moldado com milhares de furos que formam canais internos de circulação de ar, sua estrutura é composta por milhões de células totalmente abertas, facilitando a respiração e fazendo com que o travesseiro fique todo o tempo numa temperatura inferior à do corpo, além de permitir evaporação rápida de umidade e transpiração, prevenindo odores e contaminações. Vale salientar que o mais importante e é usar um travesseiro que cumpra bem o seu papel de manter a coluna cervical sempre alinhada, garantindo, assim, um sono restaurador.