segunda-feira, 24 de maio de 2010

Glúten vira cola no intestino e provoca diversas complicações


O inimigo de quem busca uma vida saudável está no pão, no bolo ou na cerveja. É o Glúten – uma substância encontrada no trigo, no centeio, na aveia e na cevada. Segundo médicos e especialistas, ao chegar no intestino o glúten transforma-se em uma espécie de cola grudando nas paredes intestinais. Com o passar do tempo, provoca saturação do aparelho digestivo, aumento da gordura na região do abdome, dores articulares, alergias cutâneas e depressão.

Muito desses problemas de saúde são em decorrência na mudança de cardápio dos brasileiros que passaram a comer em excesso alimentos ricos em glúten como pães, biscoitos, macarrão e bolos. Hoje até queijos embutidos vem com a substância. A nutróloga Clara do Brandão, do Ministério da Saúde, alerta para a criação de uma soberania alimentar. “Mandioca, milho e arroz no lugar do trigo importado, que faz tanto mal a saúde”, disse.

O corpo responde de diversas maneiras: obesidade, síndrome de resistência à insulina, deficiência de cálcio, alergias, diarréias e doenças auto-imunes. O nutrólogo João Curvo conta que os chineses consideram o excesso de glúten sinal de má higiene interna já que o metabolismo emperra, favorecendo bactérias que gostam de calor e estagnação.

A dieta sem glúten é moda nas academias pois o emagrecimento e a redução de gordura na área abdominal é comprovada. Muita gente está incluindo na alimentação pães de aipim e de milho, macarrão de arroz e cookies de soja. O nutricionista Leonardo Haus está recomendando a dessensibilização ao glúten. Trata de um período de três meses no qual não se pode comer os quatro cereais que contêm o glúten - trigo, centeio, cevada e aveia. “A idéia é uma reeducação alimentar. Você pode comer um pãozinho mas o excesso pode alterar todo o seu metabolismo, baixar a imunidade do organismo e levar doenças. Mas é bom lembrar que nem todo obeso tem essa intolerância alimentar”, explica.

Intestino sem glúten produz serotonina e gera alegria é a afirmação de especialistas da área nutricional. As dificuldades no começo da dieta podem aparecer por isso uma boa dica para ter o sucesso esperado é a ingestão constante de frutas, que além de leves são nutritivas e de baixa caloria. Outro fator importante é procurar no mercado alimentos produzidos com boa qualidade.

Pessoas alérgicas aos efeitos do glúten estão agindo de maneira mais radical e submetendo-se a colonterapia. Um procedimento de lavagem do intestino grosso que faz circular de 40 a 50 litros de água provocando uma limpeza geral. Um dado interessante: os alimentos em geral levam 18 horas da mastigação até a eliminação pelo reto. Alimento com o glúten leva 26 horas. Consumido em excesso vai retendo cada vez mais toxinas no organismo e promovendo a disbiose, que é a alteração da flora normal, com fermentação e retenção de líquidos. Podendo ocorrer uma série de doenças articulares, auto-imunes e depressão. Depois da colonterapia, o intestino volta a produzir o neurotransmissor da alegria – serotonima.

Ainda existem casos que as pessoas tem uma intolerância genética ao glúten, os celíacos. Pesquisas indicam que um em cada 300 brasileiros são portadores da doença. O diagnóstico é difícil pois é uma doença pouco conhecida no Brasil. Se o glúten é estritamente proibido para os celíacos, as pessoas que não sofrem do problema não precisam ser tão radicais. Comer um pãozinho de vez em quando está liberado.

Problemas relacionados ao consumo de glúten

· Intolerância alimentar: o glúten é uma cola que adere as paredes intestinais e vai bloqueando o funcionamento do intestino. Os primeiros sintomas são intolerância alimentar, desconforto abdominal, gases e retenção de líquidos.

· Obesidade: Com o metabolismo lento não se processa devidamente os alimentos tendo como conseqüência o acúmulo de gordura abdominal.

· Baixa imunidade: afeta o sistema imunológico favorecendo doenças auto-imunes.

· Intoxicação e enxaqueca: o metabolismo estagnado dificulta a eliminação das toxinas elevando o risco de doenças como dores de cabeça e enxaquecas.

· Açúcar: Como o glúten é aliado do açúcar, seqüestrador do cálcio, aumentam os riscos de osteoporose, cáries, ranger de dentes, insônia, hipertensão e colesterol alto.

Veja também  http://www.fatimahborges.com.br/artigo.php?code=124



Fonte: Márcia Cezimbra do O GLOBO.   http://www.senado.gov.br/sf/senado/portaldoservidor/jornal/jornal70/saude_contem_gluten.aspx

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Los cerdos sufren "torturas generalizadas" en España


Muita gente diz que não gosta de ver.
é conveniente fazer parte de uma industria do horror e lavar as mãos para saborear o sofrimento, na hora do almoço.


http://www.europapress.es/epsocial/medio-ambiente-00323/noticia-cerdos-sufren-torturas-generalizadas-espana-20100519134555.html


Los cerdos sufren "torturas generalizadas" en España

Foto: Igualdad Animal/EPMADRID, 19 May. (EUROPA PRESS) -


La organización Igualdad Animal ha denunciado este miércoles, a través de un documental con imágenes explícitas, que los cerdos de las más de 99.500 granjas españolas sufren "de forma generalizada" trato vejatorio, hacinamiento, torturas, estrés, problemas psicológicos, castraciones, enfermedades tumorales, infecciosas.

Así, la organización ha explicado que las imágenes pertenecen a 172 granjas "elegidas al azar" en todo el país, cinco de las cuales han sido premiadas por el Ministerio de Medio Ambiente y Medio Rural y Marino (MARM). Además, señala que se trata de la mayor investigación realizada a nivel mundial en explotaciones porcinas, con una muestra "muy representativa", en la que durante dos años han grabado imágenes sobre como "viven y mueren los 40 millones de ejemplares que pasan por el matadero al año" y los 85.000 cerdos que fallecen durante su traslado al matadero.

Con este documento visual, Igualdad Animal pide a los consumidores que "conozcan las condiciones en las que viven los cerdos" y se movilicen ante estos abusos que, sin embargo, no "tienen por qué ser ilegales". "La sociedad tiene que movilizarse", ha exigido la portavoz de la organización, Sharon Núñez.

NO EXISTEN GRANJEROS BUENOS

"Para nosotros no existen los granjeros buenos. Esta es una imagen rutinaria y diaria y no queremos que el debate se centre en la legalidad o no sino en el hecho en sí", asegura el presidente de la organización, José Valle.

Concretamente, Núñez ha indicado que las imágenes se obtuvieron en granjas porcinas de Andalucía, Castilla-La Mancha, Castilla y León, Comunidad Valenciana, Extremadura, Murcia, Navarra y País Vasco, en las que se "infiltraron" como trabajadores, veterinarios, estudiantes, e incluso, en algunas obtuvieron permiso para grabar. "A cada nueva granja que acudíamos, pensábamos que siempre nos íbamos a encontrar algo peor y las peores imágenes las obtuvimos en las granjas premiadas", denuncia.

También apunta que Cataluña (16,35 millones), Castilla y León (6,85 millones) y Castilla-La Mancha (3,60 millones) son las comunidades autónomas donde más cerdos se sacrifican en contraposición con Cantabria (2.255), País Vasco (46.906) y La Rioja (47.359), que son las que menos.

ESPAÑA, CUARTO EXPORTADOR MUNDIAL

Asimismo, ha añadido que en España se crían cerdos en 99.561 explotaciones de las que 82.648 son intensivas, 13.475 son extensivas y 1.813, Por número de explotaciones, la primera comunidad autónoma es Galicia (28.110) seguida por Castilla y León (17.864) y Andalucía (14.601). También recuerda que el España es el cuarto exportador mundial de cerdo, por detrás de Estados Unidos, China y Alemania.

En cuanto a las situaciones vejatorias que se producen, la organización ha señalado que se dan "en todas las etapa de la vida y muerte" del gorrino, tanto a los machos como a las hembras. Concretamente, asegura que las cerdas pasan en las jaulas de gestación casi todo el tiempo que están embarazadas, entre 110 y 120 días, en cubículos que miden unos 60 centímetros de ancho y 2,10 metros de alto, en contra de la normativa de bienestar animal de la UE que entrará en vigor en 2013 que exige que los corrales tengan un mínimo de 2,8 metros de lado y que cada cerda cuente con 2,25 metros cuadrados.

Por ello, la ONG denuncia que sufren problemas asociados a los partos continuados como el prolapso uterino o vaginal, mastitis en las mamas y problemas psicológicos, mientras que las crías nacen normalmente en suelos de plástico, o hierro y generalmente rodeados de excrementos.

También, apunta que un granjero reconoció que a las madres enfermas las suelen matar de un disparo en la cabeza, otras con una inyección letal y otras son abandonadas hasta que mueren lentamente. En cuanto a los lechones, Igualdad Animal, subraya que los que mueren entre el 4 y el 21 día de vida lo hacen a causa de causas genéticas, factores asociados a la madre, a la interacción con los operarios, a las infraestructuras, a factores ligados al medio ambiente y a causas de origen infeccioso.

MUTILACIONES, CANIBALISMO Y CASTRACIÓN

En cuanto a las mutilaciones, Núñez ha asegurado que a los pocos días de nacer a las crías se les somete a "una serie de mutilaciones" como castración sin anestesia, corte de dientes, destete precoz y ultraprecoz y tras ser separadas de sus madres, sufren estrés por la competencia con sus nuevos compañeros, el cambio de alimentación. Las principales enfermedades de los lechones son diarrea, meningitis, parásitos intestinales, y síndrome respiratorio.

Núñez ha dicho que a medida que van creciendo aumenta la escasez de espacio y la dificultad de acceso a los comederos, provocando un incremento de las interacciones agresivas que derivan en lesiones, infecciones y canibalismos. "Los cerdos llegan a comerse entre ellos", ha destacado, al tiempo que añade que el estrés y la falta de estímulos incrementan las mordeduras de las colas entre ellos, dando origen a heridas, e infecciones que llegan a necrosarse.

Respecto a las denuncias de canibalismo, la organización sostiene que a muchos de los cerdos enfermos que están a punto de morir se les lleva fuera de la zona de engorde para que mueran en un pasillo sin acceso a agua ni comida y que otros agonizan dentro del cubículo de engorde mientras el resto de los cerdos los pisan, muerden o comen.

Igualmente, afirma que en otras de las fases de la vida del animal debido a esta situación, numerosos cerdos quedan inválidos, sufren parálisis, padecen infecciones oculares, "tumores que llegan al suelo", prolapso rectal y otras enfermedades respiratorias.

Finalmente, Igualdad Animal ha recordado que entre los principios de su organización está la promoción del veganismo, que es la ausencia de ingesta de carne entre otros principios, y la puesta en práctica "del respeto que merecen los animales no humanos".

terça-feira, 18 de maio de 2010

HOSPITAL DO CORAÇÃO ALERTA PARA O DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DAS DOENÇAS UROLÓGICAS

Tradicionalmente os homens são mais resistentes à procura espontânea por avaliação médica, principalmente quando o foco desta abordagem é a saúde urológica. A timidez em abordar certos assuntos, como a vida sexual, e o mito que envolve a masculinidade durante o exame prostático cria uma barreira e afasta o público masculino do consultório médico.

Estima-se que 40 a 50% dos homens após os 50 anos desenvolvam algum grau de disfunção erétil, que significa a incapacidade de ter ou manter uma ereção satisfatória. As causas podem ser de origem emocional, psicogênica ou orgânica, as quais abrangem alterações vasculares, neurológicas, hormonais, entre outras. Muitas vezes, apenas a história clínica já permite identificar o diagnóstico e a etiologia. Exames laboratoriais como glicemia de jejum, dosagem hormonal e perfil lipídico (triglicérides e colesterol) devem ser solicitados. O tratamento é escalonado e evolui desde o auxílio psicológico, prescrição de medicamentos até o tratamento cirúrgico.

Atuando há seis anos na área de urologia, com exames diagnósticos, equipe multidisciplinar e equipamentos de ponta, o HCor - Hospital do Coração, em São Paulo, oferece aos pacientes o que há de mais moderno em exames preventivos e terapias cirúrgicas minimamente invasivas de última geração. Com cobertura 24 horas para os diversos setores do HCor ao tratamento das mais variadas doenças do trato-urogenital, o Serviço de Urologia do HCor realiza cerca de 300 a 350 consultas por mês e aproximadamente 100 avaliações urológicas dentro do programa de check-up da Instituição.

Entre todas as patologias urológicas, o câncer de próstata é o que mais preocupa os homens, principalmente no que diz respeito à prevenção. "Atendemos pacientes de todas as idades com queixas de dificuldade urinária, distúrbios sexuais e de fertilidade, pedra nos rins, infecções urinárias, fimose, incontinência urinária, tumores, entre outras afecções do sistema gênito-urinário. Para homens acima dos 40 anos, realizamos avaliação prostática, visando a detecção precoce das doenças da próstata, explica o coordenador do Serviço de Urologia do HCor, Dr. Antonio Corrêa Lopes Neto.

O HCor dispõe de uma equipe de urologia reconhecida e preparada para oferecer um atendimento diferenciado com o objetivo de prevenir, diagnosticar e tratar a saúde urológica. A Instituição conta com o apoio de laboratório capacitado para realizar quaisquer exames diagnósticos das patologias urinárias e excelência em exames radiológicos, tomografia computadorizada de última geração, ressonância magnética, PET_CT e estudo urodinâmico (para incontinência urinária), além de endoscopias urológicas que são realizadas pela equipe de urologia no centro cirúrgico do hospital.

Diagnóstico e tratamento das doenças urológicas:

Com o envelhecimento, os níveis de testosterona (hormônio masculino) apresentam um declínio progressivo, o que caracteriza a DAEM (Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino). Entre 40 e 50 anos de idade, 10% dos homens apresentam níveis de testosterona abaixo do normal, cifras que evoluem com o avançar da idade chegando a 20%, 30% e 50% dos indivíduos após os 60, 70 e 80 anos, respectivamente. Este quadro pode levar a diminuição da libido, disfunção erétil, sudorese intensa, diminuição de massa muscular, desânimo, entre outros. A simples dosagem hormonal e a reposição quando necessário podem resolver completamente esta questão.

A próstata é uma glândula responsável pela produção de líquido que faz parte do sêmen. Devido sua localização junto à saída da bexiga, patologias prostáticas podem interferir no padrão urinário dos homens. A partir dos 40 anos, ela começa a sofrer alterações estruturais e algumas doenças podem se desenvolver.

"É importante que tal comportamento se modifique, pois o avançar da idade é "fator de risco" para o surgimento de disfunção erétil, distúrbios hormonais e doenças da próstata. Felizmente, quando diagnosticadas precocemente, estas doenças podem ser resolvidas muitas vezes com tratamentos simples e levando a melhora substancial na qualidade de vida", explica Dr. Corrêa.

Considerando que os últimos censos demonstraram maior longevidade da população brasileira, um maior contingente de homens apresentarão tais distúrbios em algum momento da vida. Como podem se apresentar de forma assintomática, a avaliação periódica é necessária, independente do indivíduo ter algum transtorno urinário.

"A espera pelos sintomas pode diminuir a probabilidade de um diagnóstico precoce e uma terapia curativa. Para isso realiza-se a dosagem de Antígeno Prostático Específico (PSA) no sangue e o exame prostático, onde verificamos a consistência da glândula. Caso ela esteja fibroelástica (mais macia) está tudo bem. Porém, se estiver endurecida pode significar uma situação mais preocupante e outras providências devem ser tomadas", finaliza o urologista.

Em relação ao aumento prostático, o tratamento varia entre observação, prescrição de medicamentos ou cirurgia. Existem indicações específicas para cada opção e no caso de câncer de próstata, o tipo de tratamento é definido de acordo com o estágio em que se encontra a doença, e incluem observação vigilante, radioterapia, cirurgia ou tratamento hormonal. Aproximadamente 90% dos casos em que a detecção é feita precocemente, o paciente pode ser curado.

AZIA, TOSSE OU DOR NO PEITO: ALGUNS SINAIS DE HÉRNIA DE HIATO

Abaixo divulgo interessante reliese sobre hernia de hiato. Antes de optarem por cirurgia recomendo  àqueles que sofrem de hernia de hiato que procurem fazer uma reeducação alimentar. Uma das causas da hernia de hiato tem origem nos maus hábitos alimentares.  A macrobiótica é uma excelente alternativa para combater esse mau. Como dica recomendo que cortem drasticamente doces, refrigerantes, café, produtos refinados e que optem por produtos integrais e orgânicos passando a comer lentamente, mastigando muito bem os alimentos. Este Blog está repleto de postagens úteis para se fazer uma alimentação saudável. Para aqueles que estão em crise, recomendo que além de seguirem as dicas acima que passem a tomar diariamente Banchá, que é o chá verde torrado. Para as crises, uma salada de nabo ralado, temperado com shoyo macrobiótico, algumas gotas de limão e azeite de oliva virgem é um excelente antiácido natural. Essa salada deve ser mastigada muito lentamente. Essa sugestão também é um excelente remédio para enjoo de gravidez. Outro produto bastante útil para combater problemas estomacais é a bardana, que pode ser consumida junto às refeições. A bardana também é encontrada em cápsulas.


Musculação e atividade física excessiva podem agravar hérnia de hiato

Problema atinge cerca de 10% dos brasileiros com mais de 50 anos

Incidência do distúrbio aumentou 5% na última década


Segundo dados do IBGE, a expectativa de vida dos brasileiros vem aumentando nas últimas décadas. Com isso, alguns distúrbios comuns durante o envelhecimento também tiveram sua incidência aumentada. É o caso da hérnia de hiato que registrou um aumento de 5% na última década. O problema que afeta a região do estômago atinge pessoas com mais de 50 anos, mas também aqueles que excedem na atividade física e musculação.

Para entender melhor esse distúrbio, seus sintomas e tratamento, conversamos com o Dr. Vladimir Schraibman (CRM-SP 97304), orientador de Cirurgias Robóticas do Hospital Israelita Albert Einstein e que acaba de voltar do Congresso World Robotic Symposium, em Orlando, Estados Unidos, onde deu uma aula sobre os benefícios do uso do robô em casos de hérnia de hiato volumosas.

Outra novidade desse congresso trazida pelo especialista é que em cerca de um ano as cirurgias robóticas deverão ser feitas também pela técnica de orifício único pela cicatriz umbilical, com menos dor, menor tempo de recuperação pós-operatória, melhor aspecto estético e mais precisão.

1) O que é hérnia de hiato?

A hérnia de hiato é uma projeção de uma porção do estômago por meio do orifício que o esôfago passa para penetrar na cavidade abdominal. Caracteriza-se por uma fraqueza do músculo diafragma. Esse músculo divide o abdómen do tórax, e é por um espaço nesse músculo, conhecido por hiato esofágico, que o esófago penetra na cavidade abdominal. Devido ao alargamento deste espaço, uma parte do estômago desliza em direção ao tórax, o que se denomina hérnia de hiato.


2) O que causa e quais são os sintomas?

Ainda não se sabe corretamente o que causa a hérnia de hiato. Porém, sabemos que esforço físico e musculação em excesso, obesidade, constipação e tosse crônica podem predispor a formação da hérnia de hiato. Na maior parte dos casos, a hérnia de hiato é assintomática. Quando os sintomas ocorrem, os principais são azia, eructação e regurgitação. Caso a hérnia seja muito grande, podem ocorrer sintomas de compressão de estruturas torácicas, como tosse e falta de ar. Algumas vezes, seus sintomas podem ser parecidos com os das doenças cardíacas

3) A prática de esportes pode levar ao surgimento da hérnia de hiato?

Esportes que forçam a musculatura abdominal como futebol, musculação em excesso e levantamento de peso aumentam a pressão intra-abdominal, um dos fatores para o desenvolvimento da hérnia. Portanto, podemos concluir que tais práticas podem contribuir para o aparecimento da hérnia.

4) Como prevenir o aparecimento dessa hérnia?

Recomenda-se o emagrecimento para quem está muito acima do peso, além de evitar a prática de exercícios que levam ao aumento da pressão intra-abdominal, como levantamento de peso e musculação em excesso.

5) Como é diagnosticada a hérnia de hiato?

O diagnóstico é feito pela endoscopia digestiva, um exame rápido e seguro.

6) Quais os tratamentos mais indicados?

A princípio, o tratamento é clínico e consiste, basicamente, em emagrecer e ter uma dieta regrada, além de evitar refrigerantes, chocolates, café, frutas cítricas e alimentos gordurosos que irritam a mucosa gástrica agravando os sintomas.

Se o paciente apresentar sintomas de refluxo gastroesofágico, o tratamento deve incluir antiácidos por um período de quatro a 12 semanas. Podendo-se associar medicamentos ditos pró-cinéticos que auxiliam no esvaziamento gástrico, diminuindo a sensação de plenitude.

O tratamento cirúrgico só é indicado quando há falha do tratamento clínico ou quando há presença de alguma complicação. A cirurgia é feita por videolaparoscopia e consiste na correção da hérnia de hiato com sutura na porção do diafragma, ou da incontinência do esfíncter inferior do esôfago por meio da confecção de uma válvula anti-refluxo com o fundo gástrico que envolve total ou parcialmente o esôfago. O uso do robô está indicado em situações de re-operação, pacientes idosos e hérnias volumosas.

Perfil

Dr. Vladimir Schraibman / CRM-SP 97304 (Cirurgia Geral e Gastrocirurgia)

Especialista em cirurgia geral, gastrocirurgia e único orientador de Cirurgias Robóticas da área de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo do Hospital Israelita Albert Einstein (Proctor Intuitive Robotic System).

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo, com mestrado e doutorado em Ciências Médicas pelo Departamento de Cirurgia da Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina, Dr. Vladimir Schraibman é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Videolaparoscópica (Sobracil), é médico colaborador do Setor de Fígado, Pâncreas e Vias Biliares do Departamento de Cirurgia da Universidade Federal de São Paulo, além de integrar o corpo clínico do Hospital Albert Einstein. Tem diversos artigos publicados em revistas e jornais científicos do Brasil e do exterior, além de intensa participação em congressos nacionais e internacionais.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Assinem abaixo assinado em favor "Código Federal de Bem Estar Animal".

O Deputado Edson Portilho, do Rio Grande do Sul, criou um projeto de lei que permite  a tortura e morte de animais em rituais religiosos.

Obviamente os animais não tiveram quem os representassem. Houve 32 votos contra os animais e 2 a favor.
Por outro lado, existe um projeto de lei que institui o "Código Federal de Bem Estar Animal".
São necessárias 500.000 assinaturas (1% da população eleitoral do país, distribuída por ao menos 5 Estados) para que o projeto seja submetido à votação.

Assinem

 http://www.leideprotecaoanimal.com.br/

e ajudem a divulgar!

sexta-feira, 7 de maio de 2010

REPÓRTER ECO DESTA SEMANA VAI DA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL À EXTINÇÃO ANIMAL


No meio da "bagulhada televisiva"  apresentada aos domingos, a TV cultura é uma boa alternativa. Vejam a seguir:




Programa de domingo (9/5) da TV Cultura leva o telespectador até cachoeiras e grutas em área preservada, mas também revela o perigo de extinção de tubarões

O Repórter Eco da TV Cultura exibe neste domingo (9/5), a partir das 17h30, matéria especial direto do Parque Estadual Intervales, relembra projetos de inclusão social através da reciclagem e mostra pesquisa inédita que analisou alimento ingerido pelo tubarão azul.

O Parque Estadual Intervales, localizado no interior de São Paulo, é uma das mais preservadas reservas contínuas de Mata Atlântica do país. Considerado referência na área de ecoturismo, em seu habitat caminham juntos preservação, equilíbrio e educação ambiental. A equipe do programa acompanhou monitores que trabalham para diminuir o impacto sobre a fauna e a flora locais que abrigam cachoeiras e grutas.

A repórter Cláudia Tavares foi até São Vicente, litoral sul de São Paulo, para conhecer detalhes de uma pesquisa inédita realizada pela equipe da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Teodoro Vaske Júnior integra o grupo de pesquisadores que estuda a alimentação de grandes tubarões na costa do Brasil. A dieta de uma espécie de tubarão ensina um pouco mais sobre a biodiversidade marinha. O levantamento realizado não só avaliou o alimento ingerido como também revelou uma situação preocupante: o lixo encontrado no estômago do animal. Essa espécie de tubarão azul é a mais abundante do planeta e ainda não é ameaçado de extinção. Mas, segundo a União Internacional para a conservação da natureza (IUCN), esse perigo pode se dar por conta da pesca intensiva.

Em comemoração aos 18 anos do programa, o público revê projetos de inclusão social realizados por Ongs. Com ajuda dessas instituições moradores de rua e jovens carentes aprenderam o ofício de reciclagem e resgataram a auto-estima.

Apresentado por Márcia Bongiovanni o Repórter Eco, é exibido semanalmente, sempre aos domingos, às 17h30, e reapresentado às sextas-feiras, a partir das 7h30.

Conheçam a REDEBICHOS.  A proteção e defesa dos animais levada a sério: http://redebichos.ning.com

quarta-feira, 5 de maio de 2010

ÓLEO DE CÁRTAMO: EMAGRECENDO COM SAÚDE

O óleo de cártamo é um anti-oxidante natural, que acelera o metabolismo das gorduras e auxilia no combate à obesidade.

Substâncias presentes no óleo de cártamo contribuem para o emagrecimento, combatem inflamações, reduzem o colesterol, previnem a celulite, dão energia, aumentam a imunidade, moderam o apetite, protegem o coração, reduzem os níveis de glicose, além de ajudarem na tonificação da musculatura.

óleo de cártamo é uma gordura poliinsaturada derivada de sementes de açafrão. O consumo de óleo de cártamo diário melhora o metabolismo e auxilia na diminuição da porcentagem de gordura corporal.

Em um estudo realizado foram dados oito suplementos diários de óleo de cártamo divididos em doses de dois comprimidos antes de cada refeição e antes de deitar. Os estudos demonstraram que o óleo de cártamo diminui a gordura corporal. Durante o estudo da Universidade de Ohio que durou de 16 semanas, os pacientes perderam em média 3,2 por cento de sua gordura corporal.

Pesquisadores acreditam que o consumo de óleo de cártamo, aumenta a produção do hormônio adiponectina, que parece aumentar a capacidade do organismo queimar gordura.

Onde comprar óleo de cártamo: http://www.mundototal.com.br.

Vejam também : http://www.ehow.com/facts_5828538_safflower-oil-weight-loss.html

segunda-feira, 3 de maio de 2010

ENVELHECIMENTO BEM SUCEDIDO!

Esta é a hora de você cuidar para que isto aconteça

É verdade que nem todas as doenças são ainda totalmente evitáveis. Mas mesmo assim, muitas doenças dentre as mais comuns, podem ser pelo menos minimizadas. Nesse contexto, a promoção de saúde tem papel fundamental para quem deseja um envelhecimento bem sucedido. Por isso, podemos começar o acompanhamento com o médico geriatra – que também é necessariamente um bom clínico geral – desde cedo, por volta dos quarenta anos ou antes.

A Geriatria é a especialidade médica que se dedica ao cuidado da pessoa idosa. Em vistas das mudanças sociais de nossa sociedade, nascem menos crianças e morre-se mais tarde em comparação aos séculos passados da História da Humanidade. Isso significa que cada vez mais, essa especialidade ganhará destaque e esses profissionais serão mais necessários.

Entretanto, o aumento da expectativa de vida, leva-nos, às vezes, a sentimentos contraditórios em relação à vida: não desejamos morrer, tampouco queremos envelhecer.

Ainda que seja uma dura realidade, não é possível evitar por completo o envelhecimento, uma vez que se trata de um processo natural do ciclo de vida de todos os seres vivos, e sendo assim, cabe-nos cuidar agora para que tenhamos um envelhecimento com qualidade e bem sucedido.

Cabe aqui, diferenciarmos o envelhecimento normal, tecnicamente chamado de senescência, daquele processo anormal ou patológico, que chamamos de senilidade.

Ora, se o envelhecimento enquanto senescência é um processo normal, devemos buscar como meta, o envelhecimento saudável, livre dos efeitos da senilidade.

Senescência

Sabe-se, pelos atuais conhecimentos científicos, que o avançar do tempo traz alterações no organismo que são notadas quando o comparamos ao desempenho do adulto jovem. Essas alterações, no processo de senescência, são muito discretas, ainda que contínuas, porém não são intensas o suficiente para comprometer a vida do idoso a ponto de ele perder independência e autonomia. Alguns exemplos dessas alterações esperadas são: diminuição do vigor, da força e da rapidez de reações e funções, físicas e mentais.

Senilidade

Já os efeitos ao longo dos anos de doenças mal controladas, levam a desgastes do organismo que vão além do processo natural. Portanto, o diagnóstico precoce e o acompanhamento rigoroso das doenças que por ventura nos acometerem ao longo da vida, é essencial para um envelhecimento saudável. São exemplos de comprometimentos freqüentes que são devidos a processos anormais do envelhecimento: doenças cardíacas decorrente de hipertensão arterial e/ou diabetes, dificuldade motora por causa de artrose, perda de memória devido à doença de Alzheimer, doença pulmonar causada pelo tabagismo etc.

PREVENÇÃO

Aí está a grande importância da prevenção e do papel do geriatra. O médico geriatra pode começar o seguimento de uma pessoa a partir da idade adulta já que também é um clínico geral. Assim, não é preciso esperar por uma determinada idade cabalística para procurar por um.

A vantagem de se ter um geriatra, é que esse profissional sempre procura ver o paciente como um todo, integrando as múltiplas especialidades que muitas vezes acompanham o paciente, principalmente idoso. Além do mais, com o envelhecimento, o organismo passa por diversas mudanças com repercussões físicas, psíquicas e sociais! O geriatra está habituado a lidar com essas alterações e propõe não só tratamentos específicos para determinadas doenças mas também enfoca a prevenção.

Além do mais, o geriatra está apto para acompanhar seu paciente nos mais diversos locais: no consultório, em casa, no hospital, em instituições de longa permanência, conforme a necessidade de cada um. Nesse sentido, é sempre importante ter um médico que nos conheça por inteiro e que esteja preparado para nos ajudar no futuro!

Dra. Luciana Pricoli Vilela é medica especializada em Clínica Geral e Geriatria pela Universidade de São Paulo e membro da Sociedade Brasileira de Clínica Médica e Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

www.pricolivilela.com.br