terça-feira, 22 de novembro de 2011

Diabetes: Cirurgia é alternativa de tratamento para pacientes com sobrepeso



Congresso em Gramado (RS) reuniu especialistas sobre o tema
Na semana em que os olhos do mundo se voltam para o Diabetes, membros da Abeso (Associação Brasileira de Estudo para a Obesidade e Síndrome Metabólica) revelam que procedimentos cirúrgicos para o controle da doença em pacientes com elevado grau de obesidade pode também apresentar bons resultados em indivíduos de IMC inferior a 35. Esse tipo de terapia recebeu consenso favorável de médicos brasileiros no III Congresso Panamericano para Tratamento do Diabetes Melittus Tipo 2, realizado em Gramado (RS) – em total afinidade com as resoluções da International Diabetes Federation (IDF).

Segundo o endocrinologista e membro da Abeso, Alfredo Halpern, há três técnicas disponíveis no Brasil para tal finalidade, afora uma quarta ainda em fase avançada para aprovação (a interposição ileal). Em alguns casos, a medida pode ainda ser aplicável a pacientes com IMC menor que 30. De acordo com o médico os procedimentos mais empregados no controle do diabetes são bypass gástrico, gastrectomia vertical e cirurgia de derivação biliodigestiva.

Dr. Halpern explica que três técnicas (Bypass, derivação biliodigestivo e interposição ileal) baseiam-se na estimulação do hormônio GLP1, responsável pela produção da insulina. O hormônio é gerado no íleo (parte final do intestino delgado) quando este entra em contato com os alimentos. As cirurgias aceleram esse contato, seja pela interposição de parte do íleo para o início do intestino delgado, seja pela passagem do alimento pelo tubo digestivo de maneira mais rápida.

O médico acrescenta que outra terapia, ainda em fase de teste, sem cirurgia, utiliza-se de uma manga (uma espécie de tubo flexível de 60 cm) endoscópica para o controle do diabetes. Por não carecer de cirurgia, esse método apresenta-se muito promissor.

A vice-presidente da Abeso, Dra. Leila Batista Araújo ressalta que “não existe garantia de que a cirurgia vá reverter o diabetes. Deve-se discutir cada caso antes de indicar cirurgia nesta situação – lembrando que aqueles diabéticos obesos de menor duração, que produzem mais insulina, sem outras doenças associadas tem melhor resposta”.